Inventário do Património Arqueológico de Odemira

Compilação de Carlos Tavares da Silva1

Joaquina Soares1

Susana Duarte1

Ana Paula Covas1

1 -AIVADOS 1, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°49'9.40"N; 8°47'33.99"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Referências a estruturas de combustão e indústrias líticas, de fácies mirense, em nível subjacente às dunas móveis.

Cronologia:Epipaleolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; SOARES & TAVARES DA SILVA, 2004.

2 -AIVADOS 2, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°48'25.43"N; 8°47'46.49"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição:Sob as dunas móveis, à superfície da duna consolidada, vestígios de indústrias líticas talhadas em grauvaque e em quartzo leitoso. Presença de termoclastos. Desde o sítio de Aivados 1 até este local encontram-se dispersos, em maior ou menor quantidade, diversos vestígios arqueológicos. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia:Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; SOARES & TAVARES DA SILVA, 2004.

3 -AIVADOS NORTE, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°48'25.74"N; 8°47'21.83"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição:Sobre a duna consolidada, à superfície, e numa extensão de cerca de 100 metros, vestígios de indústrias líticas em grauvaque e em quartzo leitoso e alguns termoclastos. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013;SOARES & TAVARES DA SILVA, 2004.

4 -AIVADOS, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°48'12.56"N; 8°47'21.70"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Vestígios de estruturas de combustão; à superfície utensílios líticos sobre grauvaque (macro-lascas) e quartzo, alguns termoclastos.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013;SOARES & TAVARES DA SILVA, 2004.

5 -ESPIGÃO, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°47'59.80"N; 8°46'53.16"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Estruturas de combustão e instrumentos líticos sobre quartzo, grauvaque e seixos afeiçoados (mirense?), à superfície do terreno argilo-arenoso. Material conquífero, possivelmente de um nível de concheiro não detectado. Densa cobertura florestal de pinheiros e eucaliptos, vegetação rasteira densa e lixeira nas imediações da estação.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: SOARES & TAVARES DA SILVA, 2003; idem, 2004; REIS, 2013.

6 -PRAIA DO MALHÃO / CRUZES, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°47'33.55"N; 8°48'2.27"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Sob as dunas móveis, em nível areno-argiloso castanho-avermelhado resultante da desagregação da duna consolidada, presença de indústrias líticas em grauvaque e em quartzo e alguns termoclastos. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, provisória.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

7 -NASCEDIOS, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°47'30.42"N; 8°48'2.37"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Nível com diversos vestígios arqueológicos (conchas e indústrias líticas) embalados em pequenas depressões na duna consolidada. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; SOARES & TAVARES DA SILVA, 2004.

8 -PRAIA DAS GALÉS 2, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°47'1.19"N; 8°48'6.18"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Nível conquífero rico em Mytilus.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

9 - PRAIA DAS GALÉS 1, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°46'54.58"N; 8°48'6.14"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: No topo de potente duna consolidada, encontra-se um nível de concheiro em horizonte castanho-avermelhado. O material lítico encontra-se à superfície (quartzo, utensílios sobre seixos afeiçoados). O pisoteamento do acesso á praia e a acção do vento estão a provocar forte erosão no nível arqueológico.

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; SOARES, 1997.

10 - ALTURA DO NORTE - MALHÃO, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°46'31.84"N; 8°48'13.99"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Onde as dunas móveis permitem ver o substrato de duna consolidada encontra-se cerâmica manual, indústria macrolítica em grauvaque e seixos afeiçoados. Apesar da dispersão de artefactos líticos, as dunas móveis impedem precisar a dimensão da jazida.

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

11 - ALPENDURADA 3, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°46'28.90"N; 8°43'23.49"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Imenso escorial, com placas de escória de grande dimensão e pingos de fundição, em grandes manchas ininterruptas, no topo do pequeno cabeço de cota 103 até à várzea a Sul e Poente. Grandes lajes de xisto tombadas, em aglomeração (em número 4-5).

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

12 - ALPENDURADA 4, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°46'22.34"N; 8°43'19.31"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Bastante pedra de construção, em lajes de xisto e blocos aparelhados de gneiss, associados a bastante material arqueológico. Escorial exposto (forno de redução?) em talude natural, de erosão, no limite do lado SE.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

13 - ALPENDURADA 1, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°46'19.19"N; 8°43'31.52"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Placas de escórias e pingos de fundição na envolvência do Monte da Alpendurada, sem outros achados.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

14 - MALHADA DO VELHO 2, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°46'13.10"N; 8°47'53.39"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição:Dispersão de material lítico, em pequena quantidade, em zona arenosa com afloramentos de arenitos e gneiss, em vertente voltada a Poente. Material exposto pela erosão no nível argilo-arenoso abaixo das areias de arrastamento eólico, na superfície.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

15 - MALHADA DO VELHO 1, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°46'12.65"N; 8°48'9.87"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Referências à identificação de conchas, lascas em quartzito e em quartzo leitoso à superfície. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, provisória. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

16 - ANGRA DA BARRELA, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°46'12.46"N; 8°48'17.97"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Achados líticos de fácies mirense entre Angra da Barrela e Angra de Vaca, à superfície, ao longo do topo das arribas. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

17 - ANGRA DA VACA, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°45'49.51"N; 8°48'21.79"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição:Indústrias macrolíticas de fácies mirense dispersas por uma vasta área entre Angra da Barrela (a Norte) e Angra da Cerva (a Sul). Os materiais encontram-se, neste local, num nível subjacente a uma duna móvel. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

18 - ANGRA DA CERVA, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°45'7.61"N; 8°48'17.32"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição:Artefactos líticos de fácies mirense dispersos ao longo da faixa litoral, nas arribas, entre Angra da Cerva e Ponta do Ladoiro. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

19 - REGUENGO, Vale de Santiago

Localização: 37°45'26.27"N; 8°25'12.63"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição: Necrópole. Achado de sepulturas e epígrafes romanas. Na zona, de pequenas elevações suaves, encontra-se coberta de algum matagal. Na povoação não há memória de nenhum achado no local indicado pela coordenada.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

20 - PECHOURA 3, Relíquias

Localização: 37°45'10.15"N; 8°36'35.35"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Vestígios diversos. No caminho rural de acesso a dependência agrícola no Monte da Pechoura, muro em lajes de xisto exposto pelo desgaste dos rodados: cerca de 3m de comprimento, largura de 60-70cm, alinhado E-O. Na envolvência escórias e pingos de fundição.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

21 - PECHOURA 2, Relíquias

Localização: 37°45'3.46"N; 8°36'34.72"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Ocorrência de escórias metálicas e pingos de fundição, telhas grossas em base de vertente.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

22 - PECHOURA 1, Relíquias

Localização: 37°45'3.45"N; 8°36'27.00"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição:Em zona lavrada, na partilha de propriedades, grande laje de xisto, quebrada, junto com fragmentos de outras. Notícia de sepulturas tipo cista no local.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

23 - VALE DE SANTIAGO, Vale de Santiago

Localização: 37°45'0.34"N; 8°24'48.04"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição: Dois machados polidos em diorito (?) e grauvaque, sendo o primeiro de perfil ovalado longo e secção subcircular e o segundo, menor, de perfil sub-rectangular e secção rectangular. Foram encontrados durante escavações para a construção do edifício dos lavatórios públicos, não sendo visíveis outros vestígios arqueológicos. A localização em fundo de encosta mas relativamente longe do curso de água, a alguma profundidade em terrenos de aluvião, sugerem uma proveniência não muito distante do local onde foram encontrados, talvez no topo da elevação a oeste, que deve ser verificada.

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

24 - AMENDOEIRA NOVA, Colos

Localização: 37°45'3.36"N; 8°26'13.81"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição:Monumento de falsa cúpula, com câmara de planta circular e corredor longo orientado a sudoeste. Seria composto originalmente por 34 esteios de xisto. As suas dimensões rondavam 6m de comprimento total (3m de corredor + 3m de dimensão da câmara). Do seu interior foram recolhidos líticos em pedra lascada (faca em sílex) e polida (machado), e material cerâmico (tipo Alcalar). Foi totalmente destruído no final da década de 50, princípio da década de 60. Hoje desconhece-se a localização precisa, mas próximo do local foi recolhido um fragmento de dormente de mó manual em xisto grauváquico.

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

25 - MONTE DAS FERRARIAS, Colos

Localização: 37°44'56.28"N; 8°28'49.06"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição:Elevação artificial totalmente constituída por escórias metálicas. Tem uma altura superior a 3 m e foi bastante destruída pela extracção de escórias para pavimentação. De um diâmetro superior a 50 m apresenta hoje 5-6 m num perfil cónico truncado. No corte efectuado pela extracção pode ver-se vários níveis de deposição, contendo para além das escórias cerâmicas romanas de cronologia imperial e tardia (até mesmo terra sigillata) e restos de paredes de forno em barro cozido. Não são visíveis estruturas. Perto, do outro lado da ribeira, temos a informação oral da existência de ruínas de antigas construções, não localizadas, possivelmente relacionadas com a jazida.

Cronologia: Romano, Baixo Império

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

26 - POUSADAS NOVAS, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°44'45.13"N; 8°47'44.52"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição:Achados líticos dispersos, de tipo mirense, que se estendem até ao sítio de Angra da Cerva. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia: Paleolítico e Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

27 - PONTA DA GALHOFA, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°44'41.55"N; 8°48'37.57"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Indústrias líticas de fácies mirense (lascas, núcleos e seixos afeiçoados); cerâmica manual de cronologia indeterminada.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

28 – SENHORA DAS NEVES, Colos

Localização: 37°44'30"N; 8°32'58"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição:No lado NE da elevação, pano de muralha ao longo de 70 m em linha recta, sem torres ou bastiões, com cerca de 2 m de alçado intacto. Construída em pedra de xisto e barro, com blocos por vezes de grande dimensão, em aparelho regular com duas fiadas em "espinha de peixe". Espessura indeterminada, mas superior a um metro. Em patamar baixo, na área intramuros a este da capela que coroa o esporão, muros definem pátios fechados e casas de planta subrectangular, com cantos arredondados. Do lado sul e oeste o penhasco constituí defesa natural, não se detectando estruturas defensivas. A planta da fortificação é subtrapezoidal, envolvendo uma área cercada ou naturalmente defendida de cerca de 2500 m2. Não se detectaram materiais de superfície. Arranjos para acesso automóvel à capela, onde ainda se realizam romarias, causaram um rombo com cerca de 20 m no troco de muralha a NE do templo, assim como o entulhar/destruição do patamar intramuros a Norte da capela, onde informações orais localizam a existência de "caixas" (sepulturas) escavadas na rocha base granitóide. Estes danos serão da década de oitenta. Nessas obras em área exterior à muralha numa das bermas do caminho foi ainda detectado um silo.

Cronologia: Medieval Islâmico, Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: QUARESMA, 1999; VILHENA, 2014.

29 - SENHORA DA ESPERANÇA, Colos

Localização: 37°43'17.15"N; 8°29'32.73"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição:Ermida e monte rural (com inscrição de “1672” na trave da porta principal) em peneplanície, com sepulturas de tipo cista, provavelmente pré-históricas, muito próximas.

Cronologia: Idade do Bronze(?), Moderno

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

30 - GAMA 3, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°44'29.07"N; 8°44'8.68"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição:Dispersão de alguns materiais arqueológicos em nível argilo-arenosos ocupado por seara, desgastado por caminho rural. Escasso material.

Cronologia: Epipaleolítico/Mesolítico.

Bibliografia / Fontes: Informação de Jorge Vilhena.

31 - GAMA 1, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°44'19.36"N; 8°44'9.05"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição:Construção de planta aproximadamente quadrada com dimensões aproximadas de cerca de 20x20m. Potentes muros em grandes silhares de xisto, cobertos de taludes de 1m de altura. Forno metalúrgico em corte no terreno.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

32 - PORTO DAS BARCAS, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°44'19.03"N; 8°48'4.64"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Achados isolados de materiais líticos ao longo do topo da falésia, em nível de duna antiga de cor castanha: lascas de quartzo e quartzito. Material pouco abundante. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, provisória. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia:Paleolítico e Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

33 - PALHEIRÃO FURADO 2, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°44'5.99"N; 8°47'44.14"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Grande povoado aberto dominando a baía. Sob a duna móvel, em nível argilo-arenoso sobre a duna consolidada, há abundantes fragmentos de cerâmica manual e material conquífero (géneros Monodonta e Patella). A jazida está muito danificada pela acção do vento e pela circulação automóvel.

Cronologia: Calcolítico

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1997; REIS, 2013.

34 - MONTE DAS PEREIRAS, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°44'9.70"N; 8°44'45.59"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Grande quantidade de material arqueológico à superfície, associado a alguma pedra presumivelmente de construção. Distribuição dos achados é uniforme no topo e no início da suave encosta, voltada a Sul, sobre o estuário do Mira.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

35 - COLOS (RUA DA FARMÁCIA, 1), Colos

Localização: 37°44'6.04"N; 8°27'29.23"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição: A vala escavada na Rua da farmácia cortou depósitos que embalavam materiais arqueológicos de épocas distintas e que, na área afectada, já se encontravam parcialmente destruídos por depósitos de entulhos e vala de saneamento recentes. Não são visíveis vestígios de estruturas, contudo identificaram-se dois níveis arqueológicos: uma camada de terra solta, castanha escura com uma potência máxima de 60cm que embala, essencialmente, material de época moderna (telhas, fragmentos cerâmicos, numismas) e elementos pétreos; Uma camada de terra mais solta de grão fino e coloração castanha-acinzentada, com espessura máxima de 10cm, que surgiu no nível inferior da vala mecânica. O espólio exumado revelou a presença de fragmentos de ânforas de Época Romana, objectos de adorno em bronze, um possível projéctil e movente de mó de vaivém, ambos em granito e diverso espólio cerâmico sobretudo de épocas históricas (moderno e possivelmente medieval).

Cronologia: Romano Republicano e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

36 - COLOS (RUA CARLOS DA MAIA, 29), Colos

Localização: 37°44'4.67"N; 8°27'28.50"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição: O alçado nascente do n.º 29 da Rua Carlos da Maia, no núcleo antigo da vila de Colos, conserva vestígios de um silo escavado na rocha. Encontra-se sob a escadaria de acesso a esta residência particular erguida sobre a rocha exposta. É visível uma secção que corresponderá a um nível superior da estrutura, próximo da boca. As dimensões do corte actualmente a descoberto são de cerca de 65cm de altura e 55cm de largura. Entulhado com material pétreo e telhas cuja visualização é difícil porque a parede se encontra actualmente caiada.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

37 - COLOS, Colos

Localização: 37°44'8.07"N; 8°27'27.11"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição: Achados dispersos de materiais arqueológicos: moedas de Honório e Constantino; necrópole na zona da escola primária, onde sepulturas de tipologia não especificada continham ossadas e cerâmica à cabeceira. Vários silos ou tulhas escavados na rocha base em xisto, revestidos por vezes a argamassa muito dura, de forma circular ou oval, profundidade superior a 1, 5 m e contendo, no meio de entulho, moedas (indeterminadas), ossos e cerâmica. São por vezes sobrepostos por casas de época moderna. Todos os relatos de achados são da primeira metade ou de meados do século. A topografia da elevação onde se instala a povoação e a sua configuração de malha urbana sugerem um povoado fortificado.

Cronologia: Romano e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

38 - COLOS (RUA DO JARDIM/RUA JÚLIA BRITO PAIS FALCÃO), Colos

Localização: 37°44'8.63"N; 8°27'29.78"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição: Silo escavado na rocha, integralmente conservado. Apresenta forma piriforme, assimétrica, fundo convexo, com estrangulamento ao nível da boca e bordo extrovertido. Atinge 2m de profundidade e 1,25m de diâmetro máximo. O silo encontrava-se colmatado até ao nível do pavimento da rua com detritos domésticos depositados de forma sequencial mas rápida após ter sido abandonado o seu uso original como estrutura de armazenamento, supomos que de produtos alimentares. Apresentava diversos e sucessivos estratos de colmatação com características físicas diferenciadas. Os depósitos são bem individualizáveis e o material arqueológico, embora fragmentário, encontrava-se em bom estado de conservação. O espólio exumado remete a cronologia do enchimento para os séculos XVII-XVIII, tendo portanto o silo - estruturas cuja duração de utilização é normalmente longa - sido aberto em época anterior. Entre os materiais cerâmicos destacam-se as peças de fogo, de mesa, alguidares e de recipientes destinados a armazenagem. Cerâmicas comuns, vidradas e esmaltadas e faianças são elementos bem representados. É muito significativo o espólio de natureza orgânica - fauna mamalógica, avifauna, malacológica e ictiofauna; carvões; objectos metálicos maioritariamente em ferro; numismas.

Cronologia: Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

39 - GALEADO 2, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'59.88"N; 8°45'6.08"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Afloramentos de rochas metamórficas (gneiss), em suaves degraus longitudinais ao esporão, com alguma pedra de xisto e grauvaque (vestígios de construções?) e seixos de rio. Escasso material arqueológico, indicador de um pequeno habitat.

Cronologia: I Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

40 - GALEADO 1/MONTE DOS FOROS DO GALEADO, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°44'0.61"N; 8°45'4.81"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Necrópole de incineração onde surgiram três urnas, possivelmente pertencentes a três tumulações distintas, depositadas em fossas abertas no solo. Estas fossas dispõem-se de forma isolada ou em grupo no terreno, encontrando-se protegidas ou não por cistas ou pequenos túmulos de pedra. Alguns dos enterramentos foram revestidos a cré. Os materiais cerâmicos, metálicos e vítreos de carácter orientalizante foram recolhidos no MNAE por Manuel Heleno e posteriormente publicados por C. M Beirão e M. V. Gomes. Ai terão sido misturados com outro espolio proveniente de Alcácer do Sal. A necrópole do Monte do Galeado foi violada em 1939/40, encontrando-se actualmente destruída. À superfície são apenas visíveis pequenos fragmentos de xisto.

Cronologia: II Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

41 - PALHEIRÃO FURADO 1, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'56.34"N; 8°47'47.86"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Na duna consolidada, sob a duna móvel, vestígios de macrolascas e machados mirenses em quartzito e grauvaque. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, provisória.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

42 - QUINTA DO MIRA, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'56.60"N; 8°45'22.35"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Dispersão de pedras de xisto, gneiss e seixos no terreno argilo-arenoso, associada a materiais arqueológicos (líticos), em quantidade mínima mas muito dispersos.

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

43 - MONTE DA CORÇA 3, São Luis

Localização: 37°43'56.35"N; 8°44'16.95"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Grande área de dispersão de lajes de xisto e rochas metamórficas na planície litoral argilo-arenosa, provavelmente associadas a construções. Material arqueológico espalhado ao longo da encosta voltada a Poente, sobre pequeno regato.

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

44 - MONTE DAS PEDRAS, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'53.53"N; 8°45'42.78"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Patamar sobranceiro ao estuário do Mira, interrompido por linhas de água. Terreno muito pedregoso, com pedras de rochas calcárias. Os materiais arqueológicos ocorrem no ponto mais alto do patamar.

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

45 - MONTE DA CORÇA 2, São Luis

Localização: 37°43'53.29"N; 8°44'29.17"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Dispersão de materiais cerâmicos no nível argilo-arenoso muito revolvido por agricultura. Não foram observadas outras particularidades.

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

46 - BUFARDAS / FONTE DO CALHAU, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'49.95"N; 8°47'44.00"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Achados líticos dispersos (lascas, núcleos, calhaus afeiçoados) em grauvaque e quartzito, num nível contido numa duna consolidada. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, provisória.

Cronologia: Paleolítico e Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

47 - PONTE DO CALHAU, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'49.94"N; 8°47'39.85"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Referências a achados dispersos. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste.

Cronologia: Paleolítico e Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

48 - PEDRA DO SOLDADO, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'40.30"N; 8°47'35.75"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Na duna consolidada, numa pequena arriba sobre a praia, achados dispersos de indústrias macrolíticas: lascas, núcleos, seixos afeiçoados em grauvaque e quartzito. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, provisória.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: ARNAUD, 2002; REIS, 2013.

49 - EIRA DA PEDRA, BICA DA AREIA ou ETAR DE VILA NOVA DE MILFONTES, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'40.32"N; 8°47'29.64"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Extenso povoado calcolítico de ar livre sobre a costa (a 50m do mar). Possui um nível de concheiro. O nível arqueológico é em parte coberto por dunas. Parcialmente destruído pela construção da ETAR, das urbanizações e dos arruamentos. Afectado pelo pisoteamento e circulação automóvel.

Cronologia: Calcolítico

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1997.

50 - MONTE DA CORÇA 1, São Luis

Localização: 37°43'47.03"N; 8°44'37.74"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Em nível argiloso-arenoso, ocorrência de lajes de xisto e pedras metamórficas, associadas a materiais arqueológicos. Perceptíveis suaves taludes no terreno que podem ser de origem antrópica, associados ao arqueossítio.

Cronologia: I Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

51 - PORTO ROMANO DO RIO MIRA, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'40.57"N; 8°46'14.19"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Cais. Sob os taludes e fundações do lado Norte da ponte, e muito afectado por eles, estrutura portuária composta por cerâmicas comuns e de construção, pedra aparelhada e irregular, por vezes em blocos de argamassa, tanque rectangular (130x70cm) escavado no xisto base. Dispersão de materiais ao longo de 200m na margem do rio. Para além dos danos causados pela ponte e pela erosão fluvial, o sitio é frequentemente alvo de escavações clandestinas.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

52 - VILA NOVA DE MILFONTES 2, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'37.37"N; 8°46'34.50"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição:À superfície foram encontrados abundantes materiais de construção (tegulae e outras cerâmicas, pedra aparelhada), cerâmica comum, escórias; visíveis cortes na rocha base em arenito. A quantidade e dispersão de materiais desde o topo da encosta até à margem do rio indicam a existência de um grande estabelecimento romano, certamente relacionado com a estrutura portuária a 500 m a montante, na mesma margem. A caracterização e funcionalidade deste estabelecimento é por agora insegura, sobretudo porque parte importante do sitio foi certamente destruída pelas recentes urbanizações do final da década de oitenta.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

53 - CORGO DAS CONCHINHAS 2, São Luís

Localização: 37°43'37.16"N; 8°44'58.12"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Construções que se elevam do nível do solo até 30cm, de grandes silhares de pedra de S. Luís (rochas metamórficas) de aparelho regular, com ângulos rectos, largura de 30 a 50cm, área visível de 4/5 x 4/5m. Taludes bem pronunciados, área quadrada.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

54 - CORGO DAS CONCHINHAS 1, São Luís

Localização: 37°43'33.93"N; 8°45'2.03"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Grande quantidade de material cerâmico, muros de construções em boa alvenaria de xisto, com ângulos rectos, que se destacam do talude do rio, na plataforma e por baixo do Monte do Corgo das Conchinhas. Construções com cerca de 1m de altura conservada.

Cronologia: Romano e Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

55 - PEDRA DO PATACHO, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'20.84"N; 8°47'31.52"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Achados do tipo mirense, com níveis de concheiro com "Littorina Littorea", macro-utensílios em grauvaque e quartzito.

Cronologia: Paleolítico Superior e Mesolítico

Bibliografia / Fontes: SOARES & TAVARES DA SILVA, 1993; idem, 2004; TAVARES DA SILVA e SOARES, 1997.

56 - VILA NOVA DE MILFONTES 1, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'24.24"N; 8°46'54.75"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Necrópole. Sepulturas de cistas descobertas por Abel da Silva Ribeiro no final do século passado, aproximadamente na mesma altura em que surgiu na margem do rio a montante de Milfontes, uma canoa do mesmo período preservada no lodo. Aparentemente, perderam-se ambas.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

57 - CABEÇO DO COELHO, São Luís

Localização: 37°43'23.97"N; 8°42'26.98"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Talhes no afloramento de chapéu de ferro, em buracos (2) de secção quadrangular, muito entulhados. Largura média de 1,5x1,5m.Possível poço de mina de galeria. Perto, a W, possível corta de superfície. Na envolvência, escórias e pingos de fundição.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

58 - VILA FORMOSA 2, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°43'21.14"N; 8°46'15.52"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Em esporão avançado ao centro de grande enseada na margem esquerda do estuário, mancha de terra diferente em pequena mamoa artificial, com taludes e bastantes lajes de xisto azul, duas delas (afastadas) fincadas com orientação N-S, dimensões 0,8 x 0.15m.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

59 - FOZ DO MIRA, Vila Nova de Milfontes

Localização: 37°43'14.28"N; 8°47'31.49"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Nível de concheiro (contido numa duna consolidada) com macro-utensílios em grauvaque e quartzito (lascas, núcleos, seixos afeiçoados). Foram obtidas três datações por radiocarbono que forneceram resultados médios de 8500 a.C. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia: Paleolítico e Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

60 - CORGO DE EL-REI, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°43'14.62"N; 8°46'40.45"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Construções na base da encosta, pouco acima da cota de alcance máximo das marés. Nível de derrube de telhado, em tegulae e imbrices. Muito afectado por arranjos na envolvência do restaurante e por reparação no caminho de terra.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

61 - VILA FORMOSA 1, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°43'14.63"N; 8°46'36.36"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Ocorrência de escórias e pingos de fundição na envolvência (sobretudo do lado Norte) do Monte velho de Vila Formosa. Sem outros achados.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

62 - VILA FORMOSA 3, Odemira (Longueira-Almograve)

Localização: 37°43'14.53"N; 8°45'47.33"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Extenso povoado em dois núcleos em área ligeiramente elevada na charneca sobre o estuário do Mira, com achados de tipologia mirense

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

63 - MONTALVO, Odemira (Longueira-Almograve)

Localização: 37°43'14.48"N; 8°45'30.90"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Em nível desgastado artificialmente nas traseiras da habitação, nível argilo-arenoso que expõe cerâmicas de fabrico manual e 2 buracos de poste estruturados por lajes de xisto fincadas, de planta quadrada irregular, 10cm de largura.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

64 - DOBADOURA 2, São Luís

Localização: 37°43'14.60"N; 8°44'33.87"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Grande quantidade de escórias em placas de grande dimensão e pingos de fundição, em grande área de dispersão. Sem outros materiais associados.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

65 - BARRANQUINHO, São Luís

Localização: 37°42'53.98"N; 8°39'9.02"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Necrópole sobre afloramento xistoso, destruída propositadamente na década de 70. Situava-se ao lado do Monte do Barranquinho, entre este e o ribeiro com o mesmo nome. Era constituída por 3-4 sepulturas sub-rectangulares, escavadas na rocha, uma delas estruturada por lajes de xisto verticais. Com uma orientação aproximada N-S, cobertas por lajes também de xisto, uma das quais com orifício sobre a cabeceira. O tamanho máximo seria de 1,40x50cm. Continham pequenas vasilhas de cor amarela a cabeceira e um martelo de ferro.

Cronologia: Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

66 - PESOS 1, São Luís

Localização: 37°42'37.52"N; 8°37'4.39"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Necrópole. Notícia da existência de sepulturas na envolvência do Monte dos Pesos, em zona onde foi recentemente construído um armazém agrícola. Ocorrência de xisto.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

67 - CHAMINÉ 4, São Luís

Localização: 37°42'21.69"N; 8°37'43.85"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Escorial muito arrasado e espalhado. Na encosta meridional de um morro alongado, são visíveis bastantes escórias de sangrado, paredes de forno, fragmentos de minério e blocos de quartzo estéril, estranho ao local (resíduos de trituração do minério). Sem cerâmica à superfície. O espólio é testemunho da presença de uma oficina de redução de minério de ferro, onde o mesmo sofreu também tratamentos mineralúrgicos prévios. Situa-se a pouca distância de um jazigo de ferro e manganês (Mina do Cerro dos Tremoços), onde existem trabalhos "antigos", e de onde parece proceder o minério explorado. Não foram encontrados indicadores cronológicos. A tipologia das escórias permite enquadrar o sítio entre o período Romano e baixa Idade Média.

Cronologia: Romano e Baixa Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

68 - PESOS 2, São Luís

Localização: 37°42'21.36"N; 8°37'16.86"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: No topo aplanado de pequeno esporão, concentração de pedra de construção (lajes aparelhada de xisto e grauvaque), associados a dispersão de materiais de superfície.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

69 - BREJO DA MOITA 1 ou ÁGUA DA MOITA, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°42'25.01"N; 8°47'29.58"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Numa vasta área arenosa e ligeiramente elevada, em ambas as margens da ribeira do Brejo da Moita, encontram-se, à superfície, indústrias líticas em quartzo, grauvaque e sílex; presença de termoclastos.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; SOARES, 1997; ZBYSZEWSKI et al., 1978.

70 - BREJO DA MOITA 2, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°42'25.01"N; 8°47'29.58"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Povoado. Sob dunas móveis encontra-se material conquífero (géneros "Patella" e "Monodonta") associado a artefactos vários e vestígios de estruturas domésticas.

Cronologia: Neolítico Antigo

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; SOARES, 1997.

71 - PEDRA DA ATALAIA, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°42'15.90"N; 8°47'43.18"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Na encosta para o mar, muito atingida pela erosão, dispersão de indústrias líticas de fácies mirense: lascas e macrolascas em grauvaque, quartzito e quartzo, por vezes retocadas, núcleo, termoclastos, lâminas e núcleos de sílex. Associado a este material, nível amarelo contendo cerâmica manual de cronologia indeterminada e material conquífero. Um pouco acima surge cerâmica de roda alaranjada de tipologia indeterminada, talvez relacionada com a atalaia que o topónimo denuncia. Corte da erosão demonstra que o material pré-histórico surge em nível amarelo escuro sobre duna fóssil que assenta no arenito base, enquanto o material medieval ou moderno encontra-se 40cm acima, imediatamente sob duna móvel. Local de grande domínio visual sobre a foz do Mira.

Cronologia: Mesolítico, Neo-Calcolítico e Idade Média

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

72 - ANGRA ENTRE A PEDRA DA ATALAIA E A PEDRA DE D. RODRIGO, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°42'10.05"N; 8°47'42.02"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Sobre duna consolidada, nível de areia por vezes negra contendo termoclastos, macrolascas e seixos afeiçoados em grauvaque de tipologia mirense, material conquifero (Patella) e cerâmica manual lisa de cor castanha. As potentes dunas móveis cortam a jazida, separando-a em diversos núcleos com imprecisão da sua dimensão.

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

73 - RELÍQUIAS, Relíquias

Localização: 37°42'7.69"N; 8°29'8.68"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição: Necrópole. Foram detectadas à superfície, cerâmicas tardo-romanas. Existe uma epígrafe funerária medieval, na posse de um particular. A estação está danificada por arranjos urbanísticos.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

74 - CERRO DO OIRO 4, São Luís

Localização: 37°42'5.04"N; 8°37'12.87"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Necrópole. Necrópole de cistas completamente destruída por aceiro agrícola e violação. Visíveis várias lajes de grandes dimensões em xisto de cor azul e cinzento. Alguns seixos rolados de quartzo leitoso. Da topografia inicial do monumento, nada resta.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

75 - CERRO DO OIRO 3, São Luís

Localização: 37°41'58.79"N; 8°37'20.84"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Ocorrência de montículo de escórias e pingos de fundição, área de máxima concentração com 5 x 5m, de planta aproximadamente circular. Material exposto por desgaste no terreno provocado por circulação no caminho rural.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

76 - PEDRA DE DOM RODRIGO, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°41'56.45"N; 8°47'34.80"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Estação de ar livre com níveis de concheiro, junto da arriba. São visíveis, à superfície, indústrias líticas em grauvaque, quartzo e quartzito.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; ZBYSZEWSKI et al., 1978.

77 - CERRO DO OIRO 2, São Luís

Localização: 37°41'51.98"N; 8°37'12.73"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Aparente "tumulus" de sepultura, intacto, planta ovalada, com eixos de 4x5m.Composto por pedras de média e grande dimensão de quartzo leitoso branco, dioritos ("olho de sapo") e lajes de xisto, algumas fincadas. No centro, cresceu grande sobreiro.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

78 - CERRO DO OIRO 1, São Luís

Localização: 37°41'46.44"N; 8°37'14.33"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Instalação em pequena colina com afloramentos quartzíferos, com registo de algumas actividades metalúrgicas.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

79 - QUINTA, Relíquias

Localização: 37°41'48.13"N; 8°33'7.79"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Várias sepulturas encontradas aquando da construção da casa e com o desgaste do chão da "rua", que continuam na horta, embora não sejam visíveis. Compostas de lajes de xisto fincadas, em planta alongada, com tampas de xisto. Dentro, cantarinhas cor de mel.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

80 - RIBEIRA DO SALTO, Relíquias

Localização: 37°41'47.43"N; 8°33'1.25"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Grande dispersão de escórias metálicas e cerâmica comum. O corte provocado pela estrada expõe um nível com 30 cm de espessura. A jazida foi muito destruída pela exploração das escórias para pavimentação de estradas.

Cronologia: Romano e Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

81 - MONTE DO PAÇO, Relíquias

Localização: 37°41'40.91"N; 8°33'33.82"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Tholos. Monumento megalítico violado e muito danificado há cerca de 30 anos. Pequena mamoa com diâmetro máximo de 7-8 m em terra extremamente compactada, ligeiramente ovalada. Pela descrição do escavador, a câmara seria circular, composta por muro em pequenas pedras de xisto, de que não restam ou não são visíveis vestígios além de depressão no terreno. O corredor, curto, abre-se a Sul, com dois metros de extensão, e conserva apenas um esteio em xisto com as dimensões de 80x15cm aflorando à superfície. O monumento tem a particularidade de, segundo a descrição do escavador, o corredor inflectir em ângulo recto, no seu término, para Este, continuado por mais dois esteios. A configuração das fossas de escavação ainda é essa, com um corredor de planta em L.

Cronologia: Calcolítico e Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

82 - CASTELÃO, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°41'29.40"N; 8°24'59.52"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição: Três silos escavados na rocha base de xisto. Resta hoje apenas um que já não se encontra entulhado, pois os restantes dois foram cheios com animais mortos durante a peste suína na década de 70. Terão sido descobertos acidentalmente no inicio da década de 60. O silo que resta desobstruído tem uma profundidade de cerca de 3 m, um perfil ovalado, embora de fundo plano. A planta, circular, torna-se sub-rectangular na abertura de acesso, ao centro do topo, com as dimensões máximas de 90 x 60 cm. Estava coberto por laje de xisto, da qual resta um fragmento ao lado, e encontrava-se vazio. Os outros silos, pela notícia que temos, seriam muito semelhantes. Encontram-se a uma distância de 10 m entre si, formando um triângulo. Os silos entulhados são hoje reconhecíveis por depressões no terreno. São conhecidos como "buracos dos moiros". O Cerro do Castelão, de localização, topografia e dimensão propícia à implantação de um povoado naturalmente fortificado, não apresentou até hoje quaisquer indícios de outra ocupação para além dos silos. Contudo, os taludes nas encostas oeste, sul e este (elevação tem uma planta quadrangular) tem o aspecto de serem artificiais.

Cronologia: Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

83 - MONTE BRANCO 2, Relíquias

Localização: 37°41'28.77"N; 8°33'57.06"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Dispersão de lajes e pedras aparelhadas de xisto, com materiais arqueológicos, estrutura de pedras fincadas, alinhada N-S, ao longo de extensa rechã sobre a ribeira, interrompida por 2 corgos. Na base, painel de xisto decorado com mais de 12 fossettes.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

84 - GALHARDA 1, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°41'25.97"N; 8°23'52.45"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição: Ao longo da crista do esporão, talude provavelmente artificial. Materiais cerâmicos nas encostas dos lados N e W. Pedra de construção no topo. Muito erosionado.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

85 - MONTE BRANCO 1, Relíquias

Localização: 37°41'24.50"N; 8°34'6.43"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Silo escavado na rocha base de xisto. Tem abertura aproximadamente circular, com 70 cm de diâmetro, uma profundidade aproximada de 3 m e perfil ovalado. Surgiu vazio, coberto por laje de xisto. Encontra-se presentemente entulhado por pedras. O terreno tem densa cobertura de matagal que dificulta a localização do sítio.

Cronologia: Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

86 - CARNUDA, São Martinho das Amoreiras

Localização:37°41'22.31"N; 8°25'50.81"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição: Mancha de dispersão de materiais arqueológicos, nomeadamente vestígios de cerâmicas, que sugerem ser uma ocupação de época medieval/moderna?

Cronologia: Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

87 - DOBADOURA 1, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°41'20.77"N; 8°44'38.19"W (C.M.P. 1:25000, Folha 544)

Descrição: Concentração de escórias em placas de grande dimensão e pingos de fundição, associados a pedras de construção e blocos de barro cozido (paredes de forno), material cerâmico.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

88 - CHAIÇA 1, Relíquias

Localização: 37°41'19.01"N; 8°34'9.23"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Dispersão de material de construção e alguns materiais cerâmicos pouco definidos em patamar sobre margem do Mira.

Cronologia: Idade do Ferro, Medieval (?)

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

89 - GALHARDA 2, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°41'16.36"N; 8°23'44.62"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546)

Descrição: Notícia de sepulturas escavadas na rocha, em número impreciso, destruídas. Tinham lajes de xisto fincadas lateralmente e nos topos, configurando planta alongada.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

90 - VALE DA VINHA, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°41'9.73"N; 8°26'4.73"W (C.M.P. 1:25000, Folha 546 e 554)

Descrição: No topo da elevação a 207 m e na encosta este, são visíveis restos de construções e escórias. Concretamente, são perceptíveis, devido a manchas de vegetação diferenciada (silvas), dois grupos de estruturas rectangulares no topo do outeiro. Aí à superfície, encontram-se escórias e telhas espessas, verificando-se a ausência de cerâmicas utilitárias. Na encosta a este, grande quantidade de escórias, formando por vezes espesso tapete que cobre o solo. Círculos na vegetação (também de silvas) podem indicar eventualmente a localização de estruturas de fundição nessa zona da encosta.

Cronologia: Medieval Islâmico e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

91 - CHAIÇA 2, Relíquias

Localização: 37°41'9.29"N; 8°34'13.28"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545 e 553)

Descrição: Dispersão de materiais arqueológicos na encosta e esporões a Sul e Sudoeste do Monte da Chaiça. Material muito disperso. No fundo de um córrego, poço muito estreito e fundo, quando comparado com poços tradicionais. Escorial na vertente junto do poço.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

92 - MONTE QUEIMADO 3, Relíquias

Localização: 37°41'6.51"N; 8°35'10.76"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545 e 553)

Descrição: Silo quase completamente obstruído por escorrimento de terras e arbustos. Escavado no subsolo xistoso, em encosta com alguma inclinação. Surgiu há muitas dezenas de anos. Dimensões não apreciáveis.

Cronologia: Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

93 - CERRO DA IGREJA 2, Relíquias

Localização: 37°41'1.50"N; 8°28'46.66"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Em esporão para O, bastante pedra aparelhada em grauvaque e granito (local de intrusão em solos xistosos), muro (romano?) a aflorar no terreno, com 20m de extensão e 0,5 de largura estimada, alinhado E-O, outros possíveis paralelos e ortogonais.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

94 - PORTO DA BEIÇUDA 1, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°41'0.55"N; 8°25'10.42"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Monumento megalítico ao fundo da várzea, a 20m da Ribeira das Pimentas. Altura em relação do plano da várzea de 0,5m. Materiais arqueológicos associados.

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

95 - PORTO DA BEIÇUDA 2, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°41'0.60"N; 8°25'6.28"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Ocorrência de materiais arqueológicos em patamar com alguma pedra aparelhada, em grauvaque, e ligeiros taludes que se presumem de origem antrópica.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

96 - MONTE QUEIMADO 2, Relíquias

Localização: 37°40'59.81"N; 8°35'14.83"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: No topo do esporão, em zona de pinhal, pedra de construção e materiais arqueológicos. Muito alterado pela plantação mecânica dos pinheiros.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

97 - MONTE QUEIMADO 4, Relíquias

Localização: 37°40'59.55"N; 8°35'6.65"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Em patamar aberto a Sul, entre dois córregos profundos, lajes e pedras de xisto e grauvaque, associadas a escórias e pingos de fundição.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

98 - CERRO DA IGREJA 1, Relíquias

Localização: 37°40'58.25"N; 8°28'38.49"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Em zona de intrusões graníticas em xistos, dispersão de pedra aparelhada em granito e grauvaque, associadas a materiais arqueológicos, nomeadamente bastantes telhas.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

99 - MONTE QUEIMADO 5, Relíquias

Localização: 37°40'53.55"N; 8°35'10.69"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Altos artificiais em patamar, com dispersão de bastante pedra de grauvaque e xisto; a cerca de 50m para SO, em "tumulus" (natural?), com destaque de 0,5m no patamar, laje de xisto azul, 1,1 x 0,1/0,2m, a rasar o chão, orientada N-S: cista?.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

100 - MONTE QUEIMADO 1, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°40'53.41"N; 8°35'18.88"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Dispersão de materiais cerâmicos nas encostas do esporão, associados a algumas pedras de grauvaque, aparentemente aparelhadas. O topo do esporão, plano, foi muito alterado por aterros e desaterros feitos por maquinaria pesada. Escavado até à rocha base.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

101 - BREJO DO CAGARRÃO, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°40'48.12"N; 8°47'46.41"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição:Sobre ponta avançada sobre o mar, no ponto mais alto da falésia e a 100 m da margem esquerda do barranco, nível amarelo escuro sobre duna consolidada. Contém, num raio de 20 m e até às potentes dunas móveis, abundante cerâmica manual, não decorada, termoclastos, macrolascas em grauvaque, utensílios em quartzo leitoso, microlitos em quartzito e quartzo hialino (suporte preponderante nos instrumentos líticos do sitio). Possíveis estruturas de fundos de cabana e de combustão. A jazida está a ser desmantelada pela acção do vento.

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

102 - CASARÕES, Relíquias

Localização: 37°40'43.39"N; 8°33'57.18"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Povoado(?) em zona de vários afloramentos xistosos de crista e vertente ocidental sobre a ribeira da Pereira, com extenso chapéu de ferro, pedra aparelhada de origem geológica divergente da local e alguns materiais arqueológicos.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

103 - VALE DE MÚ, Relíquias

Localização: 37°40'43.37"N; 8°32'55.96"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Concentração de pedras e lajes de xisto. Cerâmica de fabrico manual e dormente.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

104 - JUNQUEIRO DE BAIXO 2, Relíquias

Localização: 37°40'39.33"N; 8°31'26.16"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Pedras de grauvaque, com ligeiro talhe, associadas a escassos materiais arqueológicos, em pontal voltado a Poente.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

105 - MONTE DA RIBEIRA, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°40'38.47"N; 8°27'4.66"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Escória associada a vestígios de um provável forno de fundição, ocupa uma área com mais de 3 metros de comprimento, enquanto que alguns núcleos de escória atingem cerca de 20 cm de comprimento. O sítio localiza-se sobranceiro à ribeira da Nora.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

106 - JUNQUEIRO DE BAIXO 1, Relíquias

Localização: 37°40'36.45"N; 8°31'34.38"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Necrópole. Notícia da existência de várias sepulturas. No local (entre 2 postes de linha telefónica) são visíveis bastantes fragmentos de lajes de xisto azul, seixos de quartzo leitoso e fragmentos cerâmicos.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

107 - JUNQUEIRO DE BAIXO 3, Relíquias

Localização: 37°40'32.97"N; 8°31'18.00"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Achado isolado de um movente, em zona de aparente arqueossítio: pedras de grauvaque e lajes de xisto, em zona de xistos brandos claros.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

108 - RIBEIRA NOVA 3, Odemira (São Salvador)

Localização:37°40'30.86"N; 8°36'24.87"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Grande mancha em planalto de dispersão de material de fundição, associado a lajes aparelhadas e material cerâmico.

Cronologia: Romano(?)

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

109 - BREJO LARGO, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°40'28.79"N; 8°47'42.17"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição:Em pontos localizados, onde as dunas móveis descobrem a duna consolidada, surge material conquífero (Patella, Pollicipes Cornucopia), alguma cerâmica manual, termoclastos, lascas em grauvaque, quartzo leitoso, quartzito e sílex, e lajes de xisto azul (empedrados?). Não é possível determinar se se trata de uma única jazida de grande dimensão separada pelas dunas móveis ou de diferentes estabelecimentos.

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

110 - MONTE NOVO DOS AMEIXIAIS, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°40'23.95"N; 8°35'6.82"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Ocorrência de escórias e pingos de fundição, associados a lajes de xisto, pedras de grauvaque e seixos de quartzo leitoso, estas concentradas em alto ao centro do topo plano.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

111 - JUNQUEIRA DE BAIXO 4, Relíquias

Localização: 37°40'20.20"N; 8°31'35.03"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Dispersão de materiais arqueológicos desde o patamar aberto a sul até à base das encostas a sul. Existem leves taludes no local que denunciam possíveis estruturas.

Cronologia: Alta Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

112 – CASTELO VELHO DA CANEJA, CERRO DO CASTELO DE VALE DE GAIOS, CASTELÃO/ZAMBUJEIRA, São Luís

Localização: 37°40'17"N; 8°37'26"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Povoado fortificado sobre colina destacada sobranceira à Ribeira de Torgal. A elevação de origem granítica, proporciona boas condições naturais de defesa, devido a desníveis provocados por batólitos rochosos. A densa vegetação impede a visibilidade de estruturas além da muralha esta tem a cada alçado máximo conservado de três metros, largura de 1,6/1,7m e faces verticais. Aparelho irregular de grandes blocos de granito, unidos por barro. Identificada a 2000 porta em "cotovelo" datável de período islâmico (Século XI-XII). Existem 2 cubelos adossados à Muralha, de planta rectangular no que seria a zona de entrada, na crista a sul. Dentro do perímetro murado (1-2ha) a espessa camada humosa e a vegetação não permitem a observação de materiais ou estruturas. Nas prospecções foram encontradas escórias metálicas, fragmentos de cerâmica de montagem a torno (vidrado melado) e manual, pastas claras ou negras, estas brunidas.

Cronologia: Medieval Islâmico.

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2011; Idem, 2014; VILHENA & GRANGE, 2008.

113 - RATINHOS DE CIMA, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°40'11.60"N; 8°20'38.35"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição:Necrópole de inumação de que são visíveis três sepulturas de um grupo original de 10-12. Dispostas paralelamente entre si, as sepulturas estão alinhadas NO-SE e apresentam planta rectangular ou sub-trapezóidal com as dimensões máximas de 1, 8/2,0 m x 0,3/0,4 m. Estruturadas por lajes de xisto colocadas verticalmente, num total de oito a dez por enterramento, são por vezes parcialmente escavadas na rocha base de grauvaque. Nota-se, para além da falta de algumas lajes, um estreitar de largura devido a pressão lateral da terra. Não teriam tampa. Segundo informação oral, o nível do solo foi rebaixado cerca de 10-15 cm devido a construção do monte, há cerca de 30 anos, e a sua utilização. Terão então surgido as sepulturas, sendo logo violadas 3 delas. Continham duas garrafinhas de vidro negro e uma vasilha com asas. Para além das três sepulturas bem visíveis, estarão mais quatro intactas. As restantes terão sido destruídas ou cimentadas por se localizarem dentro da casa construída.

Cronologia: Alta Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

114 – QUINTA DA LAJE 1, São Luís

Localização: 37°40'11.71"N; 8°40'12.91"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Parcos indícios de uma ocupação, no topo e encosta Sul do cabeço de cota 165. Alguma pedra de xisto, associada a poucos materiais de feição proto/pré-histórica. Apresenta actividades siderúrgicas a 200m.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

115 - QUINTA DA LAJE 2, São Luís

Localização: 37°40'5.42"N; 8°40'12.92"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Ocupação no topo e encosta meridional de pequeno cabeço. Dispersão de materiais arqueológicos, associados a vestígios de construções: pedras e lajes de xisto, alguns taludes no terreno.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

116 - FETAIS DE CIMA, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°40'4.85"N; 8°36'3.57"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: A meia encosta, a Norte do monte, silo escavado no afloramento xistoso. Boca circular, diâmetro da abertura de cerca de 60cm. Perto dos 2,5m de profundidade, planta de diâmetro máximo circular e secção oval. Não se conhece a tampa.

Cronologia: Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

117 - VALE PEPINO, Relíquias

Localização: 37°39'54.72"N; 8°34'5.89"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Ocorrência de cerâmicas de tipo medieval. Notícia de uma sepultura, destruída, do lado E do monte, onde hoje existe tanque de rega. O edifício do monte data do século XVIII.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

118 - MOINHO DOS AMEIXIAIS 3, Relíquias

Localização: 37°39'41.05"N; 8°32'11.51"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Cista escavada no afloramento rochoso (xisto), em encosta voltada a poente. Fossa na rocha, de planta rectangular, eixo maior orientado a N (1,5 x 0,6m), forrada com lajes em xisto azul, das quais é visível parte da laje do lado Nascente.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

119 - MOINHO DOS AMEIXIAIS 1, Relíquias

Localização: 37°39'41.17"N; 8°32'19.72"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Talude no solo e aglomerado de pedras de xisto, sinais de estrutura soterrada.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

120 - PONTA DO CARREIRO MANSO/ANGRA DAS MELANCIAS, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'39.85"N; 8°48'6.31"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Ao longo da arriba, à superfície observam-se termoclastos. Constituem achados isolados, aparentemente sem estruturação entre si, não sendo localizadas indústrias líticas. Não é de excluir a hipótese de este sítio ser uma extensão do povoado mesolítico da Foz dos Ouriços. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, provisória.

Cronologia: Paleolítico e Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

121 - MOINHO DOS AMEIXIAIS 2, Relíquias

Localização: 37°39'37.66"N; 8°32'15.32"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Pequena instalação em patamar destacado voltado a poente sobre a ribeira do Congo da Alfundega. Taludes de restos de construções, junto dos quais surgem cerâmicas doméstica e de construção.

Cronologia: Idade do Ferro e Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

122 - FOZ DOS OURIÇOS, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'33.57"N; 8°47'58.07"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Extenso horizonte de duna consolidada onde são visíveis, à superfície, níveis de concheiro já muito destruídos pela erosão.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; ZBYSZEWSKI & PENALVA, 1986.

123 - AMEIXIAIS DE CIMA 3, Relíquias

Localização: 37°39'31.37"N; 8°32'27.81"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Dispersão desde o topo do patamar voltado a nascente e sul até às periferias desses lados de materiais arqueológicos, não se observando outras particularidades no terreno.

Cronologia: Alta Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

124 - CHARNECA DOS AMEIXIAIS 3, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'29.40"N; 8°36'44.90"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Dispersão de materiais cerâmicos e líticos em suave vertente virada a Sul, com algumas pedras de xisto possivelmente aparelhadas. Terreno lavrado. Material escasso e muito disperso.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

125 - CASA NOVA 3, São Luís

Localização: 37°39'26.70"N; 8°40'58.19"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Notícia da existência de sepulturas, em forma de "caixa" de lajes de xisto fincadas, que continham vasos cerâmicos de cor escura e uma "espada" de ferro, muito velha e ferrugenta. Após a descoberta, há 10 anos, voltou tudo a ser metido dentro da sepultura.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

126 - CHARNECA DOS AMEIXIAIS 2, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'26.00"N; 8°36'53.40"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Talude longitudinal em relação ao cabeço, com cerca de 20m de altura e largura até 2m; na crista voltada a Sul, lajes de xisto azul de média e grande dimensão, associadas a materiais arqueológicos. Muitos blocos de pedra metamórfica (gneiss?).

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

127 - CHARNECA DOS AMEIXIAIS 1, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'26.13"N; 8°37'1.57"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Notícia de duas sepulturas de tipo cista, com lajes de xisto azul imbricadas em forma de caixa rectangular, com dimensões próximas do 0,5 x 1m.O morador não se recorda da orientação. Destruídas há cerca de 40 anos.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

128 - CASA NOVA 1, São Luís

Localização: 37°39'23.78"N; 8°41'6.37"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Sítio de habitat em vertente suave com nível de concheiro.

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; VILHENA, 2009.

129 - VALE DA ISCA, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°39'23.39"N; 8°27'37.09"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Sítio destruído pela construção de um caminho rural, que provocou o aparecimento de 2 perfis. Tratam-se de restos de estruturas e pavimento.

Cronologia: Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

130 - RIBEIRA NOVA / BARRADINHA, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'22.86"N; 8°36'0.36"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Sítio arqueológico na várzea da ribeira da Capelinha, assinalado por pedras aparelhadas, telhas espessas, cerâmicas de torno e actividades metalúrgicas (Escórias de redução de ferro.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

131 - RIBEIRA NOVA 2, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'22.80"N; 8°36'16.67"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Ocorrência de mancha de escória e pingos de fundição, vestígios de minério. Exposto pelo caminho a Norte do Monte de Portelinha.

Cronologia: Romano(?)

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

132 - AMEIXIAIS DE CIMA 1, Relíquias

Localização: 37°39'22.00"N; 8°32'35.96"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Duas grandes lajes imbricadas no solo coberto de potente camada de manta-morta. Lajes em xisto, dispostas de forma paralela (70cm entre si), alinhadas NO-SE. Estão ligeiramente descentradas, dimensões 90 x 15cm, altura do solo de 40 e 25cm.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

133 - PEGADA DO BOI, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'20.66"N; 8°48'6.11"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição:Em nível castanho-cinza escuro, subjacente as dunas móveis, surgem abundantes termoclastos, cerâmica manual, material conquífero disperso, lascas em grauvaque e quartzito, quartzo e lamelas em sílex. Achados dispersos nas depressões das dunas móveis, a cerca de 20-30 m da falésia.

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

134 - CASA NOVA 2, São Luís

Localização: 37°39'17.30"N; 8°41'10.37"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Sob velhos zambujeiros "altos" no terreno, com taludes muito vincados, até 0,5m de altura, de área circular (eixo maior de 2m), constituídas de escórias e pingos de fundição, associados a lajes de xisto e barro cozido (paredes de forno?).

Cronologia: Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

135 - TELHADO, São Luís

Localização: 37°39'16.81"N; 8°39'24.30"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Povoado sobre "inselberg" constituído por dois cumes gémeos, sendo um deles fortificado.

Cronologia: Idade do Bronze (?)

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

136 - RIBEIRA NOVA 1, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'16.33"N; 8°36'12.55"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Restos de construção expostos por desgaste de rodados e águas pluviais no estradão a N de Portelinha: muros em fiadas paralelas de lajes de xisto imbricadas no afloramento rochoso, direcção N-S e com indício de ângulo recto.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

137 - ARCAÇOILA, São Luís

Localização: 37°39'12.00"N; 8°38'02.90"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Afloramento rochoso (micaxisto ?), em forma de batólito destacado, onde são visíveis, no plano superior horizontal, 3 covinhas nítidas, alinhadas N-S.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes:VILHENA, 2014; VILHENA & RODRIGUES, 2010.

138 - CHARNECA DA AMEIXIEIRA, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'13.24"N; 8°36'52.92"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Movente de mó manual em grauvaque atribuível à Idade do Ferro pelos indícios anteriormente recolhidos no local.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

139 - ALMOGRAVE, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'11.09"N; 8°47'37.46"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Encontrado em necrópole (destruída ?) um colar de cerca de 30 contas oculadas de vidro, de tamanhos desiguais.

Cronologia: 1ª Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

140 - REGUENGO PEQUENO 1, São Luís

Localização: 37°39'09"N; 8°38'42,7"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Visíveis seis sepulturas escavadas na rocha, alinhadas Oeste (cabeceira) - Este, aproximadamente paralelas entre si. Instalam-se em batolito de grauvaque e o seu número original poderá ser maior. Estão agrupadas em dois grupos de três a uma distância de 1 m entre si e de 4 m entre os dois grupos. Todas as sepulturas são ligeiramente inclinadas para Este, sendo os pés assim mais baixos, seguindo a inclinação natural do afloramento. A profundidade e a forma do fundo não são visíveis. Aparentemente não tinham lajes de cobertura ou espólio, pois foram limpas no passado, encontrando-se agora preenchidas por humus.

Cronologia: Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes:VILHENA, 2014; idem, 2010 .

141 - RIBEIRA NOVA 4, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'9.84"N; 8°36'12.51"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Concentração de pedras de grauvaque aparelhadas, de média dimensão, em altos artificiais no terreno. Material cerâmico no topo do patamar e, sobretudo, no talude Norte da estrada paralela à ribeira.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

142 - REGUENGO PEQUENO 3, São Luís

Localização: 37°39'6.97"N; 8°38'35.27"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Abundantes escórias metálicas (placas de grande dimensão) e pingos de fundição ao longo da encosta.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

143 - SOBRADINHO, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°39'6.21"N; 8°24'34.50"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Uma sepultura a norte, com 3 lajes de xisto fincadas visíveis (os topos e 1 lateral do lado sul). Possível segunda sepulturas a 2 m a Este, denunciada por laje fincada com direcção N-S.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

144 - CERRO DA CHAIÇA, Relíquias

Localização: 37°39'1.83"N; 8°29'36.77"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Necrópole polinucleada, das quais são perceptíveis 4 a 5 cistas, orientadas a N-S. Apesar de aparentemente violadas (são visíveis lajes de xisto no caminho vicinal), os tumulus estão bem conservados, atingindo uma altura de até 1m.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

145 - GOMES ANES NOVO 1, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'1.22"N; 8°42'56.72"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Alto no terreno plano que denuncia o sítio: concentração de pedras de xisto e grauvaque, associadas a parcos materiais arqueológicos. Área reduzida.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

146 - AMEIXIAIS DE BAIXO, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°39'0.08"N; 8°36'20.61"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Dois silos escavados no substracto xistos, de boca sub-circular (60 - 70cm), distantes cerca de 1,20m entre si. Profundidade de cerca de 2m, secção oval e planta circular. Junto, lajes de xisto que serviam de tampas, mesmas dimensões das tampas.

Cronologia: Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

147 - GOMES ANES NOVO 2, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°38'57.94"N; 8°43'4.85"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Dispersão de materiais arqueológicos em toda a encosta, associados a abundantes materiais arqueológicos. No extremo SE da jazida, corte (de mineração?) no afloramento rochoso, com profundidade de 2m, muito colmatado. Salamoa

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

148 - CERRO DO CASTELO DAS BOUÇAS, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°38'51.2"N; 8°33'40"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Pequena instalação habitacional e ferraria em recinto fortificado sobre colina sobranceira à Ribeira da Capelinha.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

149 - MACEIRINHA, São Luís

Localização: 37°38'43.30"N; 8°38'56.90"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Afloramento rochoso de felsito quase branco com cavidades e sulcos insculpidos.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes:VILHENA, 2014; VILHENA & RODRIGUES, 2010.

150 - PENDÕES 2, São Luís

Localização: 37°38'44.15"N; 8°37'46.58"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Ocorrência de escórias metálicas e pingos de fundição.

Cronologia: Idade média.

Bibliografia / Fontes: VILHENA & GRANGÉ, 2011.

151 - PENDÕES 3, São Luís

Localização: 37°38'40.94"N; 8°37'38.35"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Escorial em pequeno patamar no fundo de córrego, sobre barranco dos Pendões. Pequena mancha de materiais arqueológicos.

Cronologia: Idade média.

Bibliografia / Fontes: VILHENA & GRANGÉ, 2011.

152 - PENDÕES 1, São Luís

Localização: 37°38'32,79"N; 8°37'51,55"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Galerias estreitas, tortuosas, com aberturas múltiplas, com inclinação progressivamente oblíqua a vertical, na encosta de pequeno cabeço. No topo deste, 3 poços verticais largos, de planta quadrada. Grande quantidade de restos de mineração.

Cronologia: Idade média.

Bibliografia / Fontes: VILHENA & GRANGÉ, 2011.

153 - BOUÇAS, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°38'39.25"N; 8°33'49.15"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Grande quantidade de pedras de xisto e grauvaque, aparelhadas, na base da encosta Norte do cabeço, onde são visíveis taludes de construções, em patamares, segundo núcleo a 50m N, no topo de pequeno cabeço sobre a portela a NE do monte.

Cronologia: Idade do Ferro e Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

154 - BURACO DOS MOIROS, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°38'38.51"N; 8°27'34.28"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: A meio da encosta, de grande pendente, 2 poços de galerias estreitas (largura e altura de 1m) e tortuosas, com inclinação de oblíqua a vertical.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

155 - CARRIÇOS ou PONTA DA ILHA, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°38'35.60"N; 8°48'21.83"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição:Em nível de areias consolidadas bastante erosionado por acção eólica e estrada paralela à arriba, verificaram-se lascas, núcleos e seixos afeiçoados em quartzito, apresentando por vezes marcas de erosão na sua superfície. A semelhança dos artefactos líticos e a proximidade, relaciona este sítio com a estação da Pedra dos Corvos, 250 m a Sul, também sobre a falésia.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

156 - REGUENGO PEQUENO 2, São Luís

Localização: 37°38'34.32"N; 8°38'11.00"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Ocorrência de escórias metálicas e pingos de fundição no local, muito dispersos.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

157 - BOUÇAS 2, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°38'29.50"N; 8°33'53.17"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Sepultura tipo cista isolada, exposta pelo desgaste do caminho e erosão pluvial, com planta rectangular (paredes laterias ultrapassam os topos) com eixo maior a N-P. Lajes de xisto azul (todas in situ) fincadas a forrar fossa escavada no xisto base.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

158 - PEDRA DOS CORVOS, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°38'28.65"N; 8°48'26.03"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Achados isolados ao longo da arriba, sobre nível bastante erosionado: núcleos e lascas em quartzito e algum grauvaque.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

159 - MONTINHO, São Luís

Localização: 37°38'18.25"N; 8°38'52.07"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Bastante pedra aparelhada em xisto e grauvaque, na crista e na encosta voltada a Sul/Sudoeste da elevação de cota 105.Os vestígios de construção surgem no topo e terço superior da encosta, enquanto a área de dispersão de materiais arqueológicos é maior.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

160 - BARRA GRANDE / LAPA DAS POMBAS, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°38'15.68"N; 8°48'25.91"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição:Vestígios de indústrias líticas e conchas à superfície de uma duna. Este sítio poderá estar relacionado com o concheiro de Medo Tojeiro, o qual se localiza no outro extremo da angra, entre a Lapa das Pombas e Escadinhas. A presença de cerâmicas neste local indica a sua posterior utilização, provavelmente durante o Neolítico. A sua atribuição ao Epipaleolítico é, por enquanto, provisória.

Cronologia: Mesolítico e Neolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1997; TAVARES DA SILVA et al., 1985.

161 - VALE COLMEIAS, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°38'6.63"N; 8°34'37.90"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Aflorando à superfície, no pendor para Este do topo da elevação, muro em xisto com 40 cm de largura, alinhado NE-SO ao longo de 3 m. Na encosta, escassos fragmentos de telha grossa. A cerca de 50 m para SO, sobre a crista do pequeno esporão, existe um silo escavado na rocha base em xisto, quase totalmente entulhado com abertura de forma sub-rectangular com as dimensões de 0, 6/ 0, 7 m x 0, 8/ 0, 9 m.

Cronologia: Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

162 - MEDO TOJEIRO, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°38'4.98"N; 8°48'36.26"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição:Área com vestígios arqueológicos, subdividida em duas zonas distintas: a zona Oeste, que corresponde a um concheiro com acumulações de mexilhão e lapa (sobretudo), e onde foram detectadas várias estruturas de combustão. Da indústria lítica, pouco expressiva do ponto de vista quantitativo, destacam-se os trapézios de base menor retocada, alguns macro-utensílios em grauvaque, um pequeno machado de pedra polida e um polidor em grés. A cerâmica é igualmente escassa (apenas 10 fragmentos), e apresenta decoração plástica e impressa. Na zona Este, foram postas a descoberto estruturas de combustão, consideradas contemporâneas do concheiro detectado na zona Oeste.

Cronologia: Mesolítico e Neolítico Antigo

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; SOARES & TAVARES DA SILVA, 2004; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1997.

163 - SOL POSTO, São Luís

Localização: 37°38'4.98"N; 8°41'9.42"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição:Achados a cerca de 20 cm de profundidade, um machado polido em grauvaque, de secção elipsoidal, com marcas de uso no gume, e pico/enxó sobre seixo rolado em grauvaque, com gume de talhe unifacial apresentando marcas de uso e desgaste de possível reaproveitamento como percutor. Não foram detectados outros vestígios arqueológicos no local, embora seja de verificar a encosta e os pequenos esporões ou elevações sobre a margem norte da Ribeira do Torgal, onde precisamente se deu este achado (a meio da encosta em pequeno patamar).

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

164 - VALE COLMEIAS 2, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°38'3.38"N; 8°34'41.96"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Ocorrência de materiais (pequena mancha em área reduzida) na base da encosta, perto do poço.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

165 - VALE COLMEIAS 3, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°38'3.34"N; 8°34'50.12"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:2 cistas escavadas na rocha e exposta pelo desgaste do caminho: 1º abaixo das arramadas, eixo maior a NO-SE, dimensão máxima interior de 32 por 75 cm, lajes de xisto fincadas no interior; 2ª a 20 metros a NE, com 50 por 50 cm, eixo NE-SO, resto de lajes de xisto.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

166 - CUBA, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°38'2.73"N; 8°42'11.80"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Dispersão de escórias e pingos de fundição na encosta suave sobre a margem esquerda do Mira. A jazida é exposta pela erosão pluvial provocada no terreno, especialmente nos caminhos agrícolas; fora destes, a densa vegetação impede a visibilidade do solo.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

167 - GARRIÃO, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°38'0.91"N; 8°32'36.74"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Vestígios de construção antiga: lajes de xisto de grande dimensão. Notícia de necrópole tipo cista (número impreciso de sepulturas), eventualmente destruídas.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

168 - MOITAS 1, São Luís

Localização: 37°37'56.10"N; 8°41'35.05"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Aglomerado de lajes de xisto azul, estranhas à geologia do local, no topo, do lado SO, da antiga ilha fluvial do Moinho de Maré das Moitas. Parte do monumento desmantelado, a cerca de 20m para NE do edifício do moinho. Prováveis cistas conservadas.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

169 - MOITAS 2, São Luís

Localização: 37°37'49.69"N; 8°41'19.10"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Em pequeno esporão destacado sobre a margem SE da caldeira do moinho de maré das Moitas, taludes e superfícies convexas, associadas a pedra aparelhada e materiais arqueológicos, incluindo material conquífero.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

170 - MEDO COMPRIDO, São Teotónio

Localização: 37°37'39.93"N; 8°48'37.83"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição:Material lítico à superfície em quartzo, quartzito, sílex e grauvaque (lascas, lâminas, núcleos e seixos afeiçoados) numa área aproximada de 1 ha, onde a duna consolidada, de cor amarelo-vermelho, se encontra pouco erosionada. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, provisória.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

171 - CASA AMARELA, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°37'23.49"N; 8°39'53.27"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Forno cerâmico de dupla câmara, muito bem conservado. A abóboda da câmara de combustão ruiu. Aparelho regular em alvenaria de xisto, com revestimento em barro. Câmara de cozedura oculta pela vegetação. Ao redor, telhas de canudo grossas, tipo medieval.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

172 - MARCO, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°37'20.73"N; 8°43'50.17"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Dispersão de materiais arqueológicos, associados a algumas lajes estranhas à geologia do local, especialmente no topo e na encosta do lado Norte da pequena elevação.

Cronologia: Neo-Calcolítico e Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

173 - CERRO DO CASTELO DE VALE FEIXE, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°37'10.0"N; 8°34'06.7"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Extenso povoado fortificado em altura em duas plataformas, relacionado com actividades mineiras e com reocupação alto-medieval pontual

Cronologia: Idade do Bronze e Idade Média

Bibliografia / Fontes: VILHENA et al. , 2008; VILHENA & GONÇALVES, 2011.

174 - RONCÃO, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°37'0.78"N; 8°39'53.51"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Ocorrência de escórias metálicas e pingos de fundição, fragmentos de paredes de forno, em pequeno patamar.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

175 - NECRÓPOLE DE VALE FEIXE, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°36'58.30"N; 8°34'06.23"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Inicialmente designado como Cerro do Cemitério dos Moiros. Necrópole constituída por menos de 15 sepulturas em xisto, isoladas ou com "tumulus" pétreos circulares adossados e em "cacho". Ocupa crista e patamar de linha de cumeada, sobre duas grandes mamoas naturais geminadas. As sepulturas são de planta rectangular, com as lages laterais e ultrapassam as dos topos em alguns casos. Não se conservam à vista as tampas. São estruturadas por lajes verticais de xisto azul ou verde, em planta rectangular com as dimensões medias de 90/100 cm x 50/60 cm. Algumas foram abertas por curiosos na década de 60, pelo que se verifica o arrastamento das lajes de cobertura, frequentemente de uma só peça (tendo-se recolhido o machado de bronze ou, segundo outra versão facas de ferro); pode ver-se também nesses casos a fossa de enterramento escavada no xisto base, de forma rectangular ou oval com uma profundidade superior a 10 cm.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2014.

176 - CALVINOS, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°36'55.83"N; 8°32'4.17"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Notícia da existência de sepulturas tipo cista. Ocorrência de várias lajes de xisto no terreno surribado, onde foi poupado, vestígios de construção quadrada (4 x 4) imersa na vegetação. Junto a esta, laje de xisto azul com 2 orifícios por brocagem.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

177 - PALHEIRÕES DO ALEGRA, São Teotónio

Localização: 37°36'51.28"N; 8°48'37.38"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição:Situado sobre a arriba litoral, constitui o maior local mirense até hoje conhecido, correspondendo a um palimpsesto de sucessivas ocupações. Foram identificadas 18 estruturas de combustão e recolhidos milhares de artefactos (a maioria em grauvaque). As datações absolutas obtidas situam esta jazida no período Boreal.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013; RAPOSO, 1993; idem, 1994; idem, 1997; SOARES & TAVARES DA SILVA, 2004; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1997; VIERRA, 1992.

178 - TELHEIRO 2, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°36'48.43"N; 8°36'11.23"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: À superfície foram encontradas escórias metálicas, paredes de fornos de fundição em barro cozido, cerâmica de construção (laterae) e utilitária ao longo de uma área de 500 m2. Ausência de vestígios de estruturas.

Cronologia: Indeterminado, Romano e Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

179 - VALE PALHETE 1, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°36'47.67"N; 8°39'12.65"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Sítio completamente destruído por plantação de eucaliptos, com várias replantações nas últimas décadas. Dispersão de lajes de xisto e grauvaque, pingos de fundição em toda a crista do esporão. Materiais cerâmicos mais localizados, no topo do esporão.

Cronologia: Idade do Ferro e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

180 - TELHEIRO 1, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°36'47.12"N; 8°36'13.24"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Sítio de habitat em pequena colina sobre a Ribeira do Telheiro. Recolhidos em 1982 materiais de superfície que se armazenam no Núcleo Cultural de Odemira: elemento de mó (dormente) em grauvaque, fragmentos de cerâmica mamilada e fragmentos de grande vaso decorado com dois sulcos horizontais e outros fragmentos de cerâmica manual não decorada.

Cronologia: Idade do Bronze Inicial e Calcolítico

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

181 - TELHEIRO 3, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°36'46.97"N; 8°36'13.29"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Cista destruída, da qual é visível depressão no chão. Ao lado, encostadas a uma árvore, vêm-se duas grandes lajes em xisto azul, rectangulares, com as dimensões de 1 x 0,4m.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

182 - CERRO DO CEMITÉRIO DOS MOUROS 2, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°36'46.61"N; 8°34'15.03"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Vestígios de habitat ou exploração metalúrgica na crista de esporão descendente, ao longo de 200m, em núcleos de concentração de materiais. Zona muito erosionada.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

183 - TELHEIRINHO 2, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°36'44.01"N; 8°37'2.15"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Sítio em esporão com concentração de escórias de redução de ferro.

Cronologia: Medieval(?)

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

184 - VALE FEIXINHO, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°36'42.08"N; 8°35'37.33"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Em plataforma mais baixa de um esporão, identificou-se uma área de dispersão de 50m2 de lajes de médio e grande calibre (quartzo e grauvaque). Também foram encontrados um fragmento de bojo de cerâmica manual de pasta alaranjada e uma lasca triangular sobre quartzo leitoso.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

185 - TELHEIRINHO 3, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°36'40.80"N; 8°36'53.86"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Ocorrência de escórias e pingos de fundição, pedras de xisto aparelhadas e cerâmica.

Cronologia: Idade do Ferro e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

186 - ABÓBORA 1, Luzianes-Gare

Localização: 37°36'38.47"N; 8°27'35.35"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Lajes de xisto azul, com dimensões de até 80 x 60 x 10cm no local, a 5-10m para Poente do curral circular em pedra seca, e no limite de eucaliptal. Fragmentos cerâmicos no local, que se presume ser uma necrópole destruída/muito afectada. Terreno lavrado.

Cronologia: 1ª Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

187 - TELHEIRINHO 1, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°36'37.52"N; 8°37'2.11"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Abundantes escórias, pingos de fundição, na encosta voltada a sul. Crista de afloramento de quartzo leitoso.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

188 - CERRO DAS TULHAS, Luzianes-Gare

Localização: 37°36'35.29"N; 8°27'23.15"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Notícia da existência de 2 silos, escavados na rocha base, profundos, com boca circular. De um deles ainda se conhece a concavidade no solo, indicada pelo morador que o entulhou. Afirma que a 10m para Sul existiu outro, de que não se vê indícios.

Cronologia: Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

189 - ABÓBORA 2, Luzianes-Gare

Localização: 37°36'35.23"N; 8°27'43.53"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Sítio de habitat extenso ao longo de vertente suave aberta a sudoeste, em zona de relevo acidentada. Taludes artificiais, em plantas ovaladas, e pedra aparelhada.

Cronologia: 1ª Idade do Ferro e Idade Média

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

190 - CHACIM 2, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°36'30.23"N; 8°21'52.89"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Descrição da existência de várias sepulturas tipo cista. No local, existem lajes de xisto estranho à geologia local.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

191 - PONTA DA CARRACA, São Teotónio

Localização: 37°36'28.53"N; 8°48'45.33"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição:Indústrias líticas que se encontram dispersas, à superfície, ao longo da arriba entre a Ponta da Carraca e a Ponta do Cão. Para além da presença de macrolascas, seixos afeiçoados e resíduos de talhe, foram recolhidos micrólitos em sílex, quartzo e cristal de rocha. Foram igualmente detectados restos de estruturas de combustão. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia: Paleolítico e Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

192 - TELHEIRINHO 4, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°36'27.56"N; 8°36'38.00"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Talude artificial muito pronunciado no terreno, com altura de 1,5m em rampa, com forma de L no limite de um patamar na suave encosta voltada a Sul. Bastante pedra aparelhada em grauvaque (grandes blocos paralelepipédicos).

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

193 - CHACIM 1, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°36'26.99"N; 8°21'48.79"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Abundante pedra de construção, em xisto, afeiçoada. À superfície, cerâmica manual. No local, pedra do arqueossítio serviu para a construção de currais, hoje cobertos pela vegetação.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

194 - ROCHA DA HERA, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°36'28.17"N; 8°33'23.80"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Rocha da Hera é a designação local de uma parede rochosa coberta por um manto daquela planta, sob o qual em 2000 foi identificado uma pequena cavidade ou abrigo com um conjunto de gravuras rupestres, o abrigo, também chamado "porta dos mouros" está associado a lendas locais. Situa-se na margem esquerda do barranco da Tamanqueira. Em meandro imposto pelo contorno de um cerro de topo aplanado onde se situa (a 150m do abrigo) uma necrópole de cistas, presumivelmente da idade do Bronze. O abrigo tem forma de uma fenda vertical na base da falésia de xisto, escavada 2m acima do leito da ribeira, sendo o interior um espaço concoidal com cerca de 1,80m de profundidade e 0,8 m de altura máxima. Não obstante o estado fragmentário das superfícies rochosa do interior do abrigo, foram aí detectadas gravuras obtidas por finas incisões no xisto, em painéis situados no tecto e parede lateral vertical. Destacam-se, entre figuras geométricas, duas representações antropomórficas, em painel central no tecto do abrigo. O conjunto é à priori enquadrável no universo da arte esquemática linear.

Cronologia: Idade do Bronze e Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: VILHENA et al., 2008; VILHENA, 2014.

195 - MESAS, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°36'23.10"N; 8°33'27.98"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Duas sepulturas de cistas distantes entre si 30 m. A que se situa mais a Oeste tem planta rectangular com as dimensões aproximadas de 0,7 x 1,5m. Violada e destruída, resta a laje do topo Norte, fossa escavada no xisto base, não há vestígio de tumulus. Pouco visível. A cista localizada a Este tem também planta rectangular com dimensões de 0, 7 X 1, 5 m, alinhada N-S, estrutura escavada no xisto base, com uma profundidade de 30 cm visíveis. Não há vestígios de tumulus. Ambas as sepulturas foram recentemente escavadas com alguma metodologia por um professor de uma escola de Odemira e alunos, cuja identidade não foi apurada. Terá sido exumado material cerâmico e machados de bronze, cujo paradeiro se desconhece. Não há materiais de superfície. Por fim, os monumentos foram seriamente danificados por aceiro profundo, já que se encontram na partilha (sob vedação) de duas herdades, e o proprietário julgou que vazias já não interessavam. A 50 m da cista Este, para Este, para Nascente e já do lado Norte da vedação, laje de xisto azul a aflorar em sentido divergente do alinhamento do xisto base de cor verde pode indicar outra cista. Tem as dimensões de 1 m x 0, 15 m alinhada NE-SO. Para Poente da cista Oeste, no canto da vedação a servir de marca de partilha, laje de xisto vertical com forma rectangular, quebrada nos cantos superiores, com 1 m de alto e 0, 6 m de largo pode ser proveniente de uma cista.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

196 - MONTE DO POMAR, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°36'19.62"N; 8°34'33.18"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Junto ao Monte, ligeiramente a Norte da "rua" deste, foi detectada uma estrutura de fornos metalúrgicos, de planta rectangular, constituídos por muros de pedra seca em xisto que se encontram, no interior, paredes de barro cozido. Aparentemente os dois fornos visíveis estão intactos. Ao longo da encosta para Norte, foram detectadas enormes quantidades de escórias metálicas e fragmentos de cerâmica utilitária, vestígios de outros fornos, como fragmentos de paredes de barro cozido, vitrificado e com escória agregada.

Cronologia: Idade do Ferro, Romano e Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

197 - CABEÇA GORDA, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°36'18.77"N; 8°38'5.17"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Crista alongada de cerro muito destacado, em zona de relevo acidentado, com duas ocupações contíguas, uma em cada externo.

Cronologia: Idade do Ferro(?) e Medieval/Moderno

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

198 - A-DE-MATEUS 9, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°36'14.53"N; 8°43'50.29"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Achados diversos

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

199 - ALGOCEIRA, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°36'11.33"N; 8°41'37.12"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição:Segundo informação do proprietário, surgiu aquando da construção da sua residência e da plantação de um pequeno pomar, há cerca de 15-20 anos, uma série de sepulturas, de número indeterminado. Eram definidas por lajes de xisto e tinham planta rectangular, cobertas por outras lajes de xisto, contendo no seu interior ossos e material cerâmico. Infelizmente, o proprietário não as conservou e hoje, à superfície do solo arenoso, nada é visível. Apenas conservou um medalhão que, segundo afirma, surgiu dentro de uma das sepulturas, sendo portanto, ao que parece, parte do espólio funerário de uma necrópole de inumação, a julgar pela descrição. O medalhão tem forma circular, com um diâmetro de 5 cm, e constituído numa liga metálica prateada, apresentando uma leve oxidação verde no reverso, estando o anverso muito limpo pelo proprietário. Foi feito pelo método de cera perdida com um acabamento a punção. O anverso apresenta dentro de um círculo elevado sobre o disco da peça, com diâmetro de 3 cm, e deslocado do centro para baixo uma figura em alto relevo muito cuidada: admitindo uma origem ou influência egípcia, trata-se de um busto em posição frontal, numa pose hirta, olhar frontal, rosto levemente levantado, braços cruzados sobre o peito, portando um diadema ao pescoço e a coroa do poder faraónico. As insígnias reais, de cada um dos lados da cabeça, parecem sair do espaldar de uma cadeira que não é visível.

Cronologia: Final da Idade do Bronze e Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

200 - A-DE-MATEUS 5, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°36'10.64"N; 8°43'29.96"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: A meia encosta foram identificados alguns fragmentos de escória, um esboço de um artefacto de pedra polida e possíveis seixos de quartzito com vestígios de uso. Existem, ainda, vários blocos de conglomerados que poderão indicar a presença de um forno.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

201 - PARDIEIRO, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°36'03.50"N; 8°21'22.00"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Cerca de 10 sepulturas rectangulares escavadas até ao substrato xistoso envolvidas com molduras rectangulares em alvenaria de xisto. Estão adossadas a uma central de maiores dimensões (1,4 x 0,8m) e estão alinhadas com os eixos cardiais. A área, com cerca de 10x20 m, encontra-se vedada. A estela é talhada num bloco de xisto grauváquico de cor cinzenta esverdeada, tem forma subtrapezoidal com as dimensões de 1,04x0,58x0,98m. Foi fracturada no bordo esquerdo pelo arado que a descobriu (em 1980), causando a falta de uma letra no campo epigráfico, composto de 24 signos dispostos em U invertido, na face aplanada por picotagem e polimento. Encontra-se no Núcleo Museológico de Garvão (Ourique).

Cronologia: 1ª Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: BEIRÃO, 1986; CORREIA, 1993; VILHENA, 2008.

202 - A-DE-MATEUS 4, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°36'5.62"N; 8°43'41.55"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: No local foram identificados vários materiais arqueológicos possivelmente da Idade Média, que poderão indicar um local habitacional e de actividade metalúrgica.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

203 - PONTA DO CHIBARREIRO, São Teotónio

Localização: 37°36'2.49"N; 8°49'1.40"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Instrumentos sobre calhaus afeiçoados e lascas retocadas em quartzito. Achados isolados em nível de praia elevada do Tirreniano. Jazida muito erosionada.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

204 - CÍRCULO DOS MOIROS, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°36'2.37"N; 8°41'11.37"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Construção circular sobre início de encosta de pequeno esporão, ou patamar, sobranceiro ao Corgo do Moinho de Além. É composta de lajes de xisto azul, colocadas, ao que parece, na horizontal, definindo recinto de diâmetro de cerca de 10m.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

205 - MONTE DO PARDIEIRO, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°36'0.76"N; 8°21'24.66"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição:A identificação deste sítio foi feita na sequência do achado de uma lápide epigrafada com a escrita da I Idade do Ferro do Sudoeste Peninsular. O achado ocorreu em 1971. As estruturas descobertas são compostas por 11 monumentos funerários de planta sub-rectangular, todos justapostos, como se verifica em outras necrópoles da época. Num dos túmulos surgiu uma conta de ouro e um pingente em cornalina.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

206 - MONTINHO DA RIBEIRA, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°35'59.29"N; 8°41'43.95"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Sítio de habitat em patamar de pequena elevação na charneca litoral.

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2008; idem, 2009.

207 - BICA DO RABAÇAL, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°35'52.81"N; 8°41'43.91"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Ocupação sobre pequena colina com fonte de grande manancial na vertente e onde existem vestígios de actividades metalúrgicas e cerâmicas a torno com vidrados melados e verdes

Cronologia: Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

208 - VALE DO BISPO, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°35'49.68"N; 8°41'19.43"W (C.M.P. 1:25000, Folha 552)

Descrição: Dispersão de escórias e pingos de fundição, em zona muito alterada por trabalhos agrícolas e plantação de eucaliptos.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

209 - CERRO DO GALVÃO, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°35'49.54"N; 8°38'13.14"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição: Na encosta de oeste da elevação do Cerro do Moinho do Galvão, perímetro urbano da Vila de Odemira.

Cronologia:Romano, Baixo Império

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

210 - CERRO DO CASTELO / CERRO DO PEGUINHO, Odemira (São Salvador)

Localização: 37°35'50.20"N; 8°38'35.40"W (C.M.P. 1:25000, Folha 553)

Descrição:Povoado fortificado que ocupa um esporão elevado e alongado sobre a margem direita do Mira, composto por duas plataformas: a mais alta, após o colo de acesso ao cerro, encontra-se urbanizada (centro Histórico de Odemira) e localizava-se o castelo medieval, na mais baixa, a NO da primeira, encontra-se terraplanada e ajardinada. O conjunto seria murado, com entrada a SE e ocupa cerca de 2 hectares. Entre esta zona e o edifício da Câmara Municipal tem sido encontrados silos de época moderna e materiais cerâmicos medievais, medievais islâmicos, romano republicano e da Idade do Ferro, até mesmo da Idade do Bronze Final. Fosso defensivo do povoado de altura ribeirinho da II Idade do Ferro preenchido com detritos até ao final da época romano-republicana, escavado por Jorge Vilhena.

Cronologia: Final da Idade do Bronze, Idade do Ferro, Época Romano-Republicana, Medieval Islâmico, Medieval e Moderno

Bibliografia / Fontes: COELHO-SOARES, 1986; VILHENA, 2012; idem, 2014; VILHENA & GRANGÉ, 2011; VILHENA & RODRIGUES, 2009.

211 - SANTA ANICA, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°35'46.06"N; 8°22'19.24"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição: Casal rústico.

Cronologia: Romano e Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

212 - SANTA ANICA 1, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°35'42.81"N; 8°22'19.21"W (C.M.P. 1:25000, Folha 554)

Descrição:Edifício em alvenaria de xisto com reconstrução em taipa, várias fases. Conserva telhado. Dimensão 3,80x1,70m, eixo maior a norte. Na parede topo norte, nicho de altar (95x35x30 cm) em arco em forro de tijolo. Existe outra parede por trás deste. Existe ainda a memória do culto no local.

Cronologia: Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

213 - CEMITÉRIO DE ODEMIRA/VÁRZEA DE SALAMOA, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°35'31.80"N; 8°38'42.88"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição:Casal rústico ou alcarial (do qual foram escavadas em 2002 várias fossas detríticas).

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

214 - QUINTA DO LOBATO, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°35'29.66"N; 8°38'36.23"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Aglomerado de construções agrícolas, em socalcos artificiais, na margem direita do Mira. Bastante pedra aglomerada dispersa, fora das construções existentes, provavelmente vestígios de construções ou fases construtivas anteriores.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

215 - ENSEADA DA SANTOLEIRA, São Teotónio

Localização: 37°35'23.67"N; 8°48'44.66"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Achados isolados de macrolascas retocadas em grauvauque, em nível de duna consolidada muito danificada pelo estradão que percorre a arriba. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, provisória.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

216 - FATACA 1, São Teotónio

Localização: 37°35'14.33"N; 8°44'35.21"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Dispersão de escórias e pingos de fundição, associados a pouco material cerâmico, em zona plana de areias. Local sujeito a constantes revolvimentos por lavras mecânicas.

Cronologia: Idade do Ferro e Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

217 - FATACA 2, São Teotónio

Localização: 37°35'14.22"N; 8°44'55.59"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Duas ocupações na elevação do moinho da Fataca: materiais medievais em pequena zona no topo e, muito mais extensa, zona de dispersão de materiais pré-históricos no topo plano e suave encosta do lado Sul. Alguma pedra de construção, estranha ao local.

Cronologia: Calcolítico, Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

218 - RELVAS, Santa Clara-a-Velha

Localização:37°35'7.26"N; 8°26'10.21"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Em pontal voltado a S/SO, restos de construção, nomeadamente base de muro em pedras de xisto deitadas, cravadas em vala no afloramento rochoso. Alinhada a E-O, com troço de 1,5m visível, largura de cerca de 50m. Associados, materiais arqueológicos.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

219 - BEZERRA 1, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°35'7.00"N; 8°38'24.26"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Dispersão de lajes de xisto aparelhadas, blocos de rocha granitoide ("Olho de sapo"), ocorrência de fragmentos cerâmicos.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

220 - BEZERRA 2, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°35'6.99"N; 8°38'28.32"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Dispersão de lajes de xisto de construção, escórias metálicas em placa e pingos de fundição; ocorrência de fragmentos cerâmicos.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

221 - TOTENIQUE GRANDE 4, Luzianes

Localização: 37°35'4.77"N; 8°29'21.78"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Concentração de lajes e pedras de xisto e grauvaque divergentes da rocha base local, associadas a dispersão de materiais cerâmicos. Material insuficiente para caracterização e, muito disperso na vertente voltada a Sul do ponto mais alto da crista alongada.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

222 - CERRO DOS CABAÇOS, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°35'3.97"N; 8°26'26.50"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Dispersão de pedras aparelhadas em xisto e grauvaque, em parte reaproveitada em curral de pedra seca, de planta circular. Dispersão de materiais cerâmicos de construção e utilitários entre o curral e o topo do cabeço de cota 179,1m a Oeste.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

223 - TOTENIQUE GRANDE 3, Luzianes

Localização: 37°35'1.53"N; 8°29'22.15"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Sítio de habitat em patamar de vertente aberta a sul, junto da ribeira de Totenique.

Cronologia: 1ª Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

224 - ENSEADA DO LAREDO DO BARCO, São Teotónio

Localização: 37°35'1.01"N; 8°48'36.32"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição:Nível de ocupação contido na duna consolidada. Foram recolhidos, à superfície, lascas e utensílios retocadas em grauvaque e quartzito, micrólitos e seixos afeiçoados de tipologia mirense. O nível arqueológico é constituído por um concheiro já muito destruído. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

225 - FIAIS, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°35'0.33"N; 8°40'19.15"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição:É um dos maiores concheiros identificados na planície do litoral alentejano, com uma área aproximada de 1000 m2. O material até ao momento recolhido inclui moluscos de espécies estuarinas e marinhas, restos de peixes e uma grande percentagem de ossos de mamíferos de espécies não domesticadas. As industrias líticas encontram-se representadas por lamelas em chert, cristal de rocha e quartzo, micrólitos geométricos, e algumas lascas em quartzito. Uma das características mais importantes deste sitio é a existência de diferentes áreas funcionais. Os dados disponíveis até ao momento sugerem a hipótese de esta jazida corresponder a um acampamento permanente, conectado com uma série de outros sítios, de natureza temporária, mais pequenos e especializados em determinadas actividades.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: ARNAUD, 2002; GONZALÉZ MORALES & ARNAUD, 1990; LUBELL et al., 2007; REIS, 2013; SOARES, 1997; SOARES & TAVARES DA SILVA, 2004; VIERRA, 1992.

226 - CORGO D'ÁGUA, Luzianes-Gare

Localização: 37°34'58.54"N; 8°29'46.59"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: No topo de esporão elevado, com inclinação suave para E, 2 altos artificiais geminados, alinhados E-O (20 x 10m), compostos por concentração de pedras de grauvaque e xisto. Na encosta O sobre portela de ligação, cista orientada O-E, lajes de xisto.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

227 - TOTENIQUE GRANDE 2, Luzianes-Gare

Localização: 37°34'58.29"N; 37°34'58.29"N (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Em área elevada e plana do extremo Sul da crista da elevação, ocorrência de pedras e lajes de grauvaque e xisto grauváquico, associadas a materiais arqueológicos.

Cronologia: 1ª Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

228 - TOTENIQUE GRANDE 1, Luzianes-Gare

Localização: 37°34'45.30"N; 8°29'26.15"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Pequeno sítio de habitat (ou necrópole) em relevo saliente na base de vertente.

Cronologia: Idade do Ferro (?)

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

229 - CARRIS 2, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°34'40.80"N; 8°34'4.07"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Em topo de pequena elevação em encruzilhada de caminhos foi observada concentração de lajes de xisto azul de grande dimensão, estranhas à geologia local, arrancadas do solo por lavra de desmatação.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

230 - BAÍA DA NAU, São Teotónio

Localização: 37°34'38.45"N; 8°48'11.73"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Sobre a falésia e até 100 m para o interior, grande concentração de calhaus (alguns rolados) em grauvaque e algum quartzito. Ocorrência de indústrias líticas, não localizadas em Janeiro de 1996. A densa vegetação dificultou muito a observação do solo.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

231 - VALE MILHOS 2, Luzianes-Gare

Localização: 37°34'35.99"N; 8°30'39.46"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Ocorrência de pedras e lajes de xisto e grauvaque, seixos de quartzo leitoso e seixos rolados. Materiais arqueológicos associados, no topo do aplanado do cabeço destacado. Escórias e pingos de fundição na encosta do lado Sul e, menor quantidade, no topo.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

232 - VALE MILHOS 1, Luzianes-Gare

Localização: 37°34'32.76"N; 8°30'35.37"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Talude de construção alongado, com 30m de extensão, altura média de 0,5m, que ocupa pontal voltado a Sul. Define área rectangular, alinhada E-O. Grande quantidade de pedras de grauvaque e xisto faceadas, associadas a materiais arqueológicos.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

233 - PONTA DA PERCEVEIRA, Zambujeira do Mar

Localização: 37°34'31.96"N; 8°48'11.67"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição:Na arriba, a volta da Ponta da Perceveira e Baia da Nau, grande concentração de calhaus de grauvaque e quartzo. Ocorrência de instrumentos líticos, não detectados em Janeiro de 1986. Forte erosão eólica desmantelou totalmente a estreita duna antiga, onde a densa vegetação rasteira permite a observação do solo.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

234 - ARRENEGADA, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°34'27.60"N; 8°36'26.22"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Dispersão de muitas lajes de xisto aparelhadas, alguns taludes artificiais visíveis. Ocorrência de materiais cerâmicos.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

235 - TORRINHAS, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°34'24.16"N; 8°35'53.60"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Sítio de habitat em raquete de topo ondulado e planta trapezoidal, com bastantes lages de xisto e cascalheira, sobranceira a largo meandro do Mira. Uma sepultura de tipo cista

Cronologia: Calcolítico, Idade do Bronze ou do Ferro (?)

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

236 - CERRO DAS TULHAS 2, Luzianes-Gare

Localização: 37°34'22.61"N; 8°29'22.38"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Na encosta do lado Sudeste do cabeço de cota 144m, sensivelmente à cota 135-140m, dois silos escavados na rocha. Um está entulhado (vê-se superfície côncava no terreno), outro a 20m para NE mantém boca circular escavada na rocha, de 50/60cm de diâmetro.

Cronologia: Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

237 - CASTELO DA CANEJA, Odemira (Boa Vista dos Pinheiros)

Localização: 37°34'21"N; 8°37'18 "W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição:No topo de elevação dominando o vale da ribeira da Caneja, fosso escavado na rocha base em xisto, com 3 m de largura máxima e uma profundidade de 1,5 m. Define recinto oval com 20x30m onde se encontra a ocupação, sem outros indícios que um amontoado de pedras de xisto sob oliveiras centenárias. Não há materiais de superfície. Foi alvo de escavação clandestina.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes:VILHENA, 2014.

238 - CERRO DAS TULHAS 1, Luzianes-Gare

Localização: 37°34'19.36"N; 8°29'22.36"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Em cabeço destacado, área de planta subrectangular, com eixo maior E/SE - O/NO, elevada em relação ao plano de terreno boleado. É destacada por taludes com altura até 0,5m, sobretudo no lado E, para a pendente. Pedra aparelhada de grauvaque e xisto.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

239 - CORTE BRIQUE 2, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°34'17.98"N; 8°25'59.01"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição:Num pequeno morro de cota 210, sobranceiro ao vale do Barranco do Pão, a uma distância de cerca de 200 metros do local 1, foi detectada uma estrutura circular, junto da qual se encontram abundantes vestígios cerâmicos pertencentes aos períodos Romano e Medieval-Islâmico.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

240 - CANEJA DE BAIXO, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°34'17.96"N; 8°37'23.21"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Dois troços de muro em xisto, posto a descoberto pelo corte da construção do canal de irrigação. Notícia da existência de sepultura(s), onde teria sido encontrada uma cantarinha inteira.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

241 - CORTE BRIQUE 1, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°34'17.93"N; 8°26'19.38"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição:Numa área com cerca de 200x100 m regista-se uma grande densidade de fragmentos cerâmicos, mas, por se encontrarem muito rolados, é difícil atribuir-lhes uma cronologia. No entanto, o aparecimento de pequenos fragmentos "melados" leva a situar este achado no período Medieval-Islâmico.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

242 - CURRALÃO 1, Luzianes-Gare

Localização: 37°34'16.50"N; 8°30'47.92"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Silo escavado no afloramento xistoso, com boca de contorno sub-circular irregular, em diâmetro aproximado de 40/50cm.Planta interna circular.

Cronologia: Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

243 -CURRALÃO 2, Luzianes-Gare

Localização: 37°34'13.26"N; 8°30'47.91"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Em pontal voltado para Sul concentração de pedras de grauvaque, associadas a materiais arqueológicos. Área reduzida.

Cronologia: Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

244 -MONTE GRANDE, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°34'12.04"N; 8°26'39.33"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Em pequeno inselberg na várzea da ribeira, construções entre as duas casas existentes: paredes em xisto, ligadas com argamassa. Dimensões não apreciáveis.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

245 -AGONJA 2, São Teotónio

Localização: 37°34'7.64"N; 8°42'9.66"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Mancha de materiais de média dimensão, onde foram identificados: um fragmento de uma enxó, fragmentos de cerâmica comum, cerâmica de construção (telha) e cerâmica vidrada. Alguns destes fragmentos têm pastas grosseiras e superfícies pouco cuidadas.

Cronologia: Indeterminado, Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

246 -CANEJA DE CIMA, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°34'1.78"N; 8°37'15.36"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Em plataforma propícia à ocupação, talude provavelmente artificiais, ocorrência de materiais arqueológicos. Bastante pedra de construção e lajes de xisto.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

247-DEFESA 2, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°33'58.26"N; 8°35'41.62"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Ocorrência de telhas grossas e cerâmica de tipo medieval islâmica no topo do cabeço, junto a moroiço. Este resulta do empilhar de grande quantidade de pedra aparelhada existente no local, onde são perceptíveis taludes.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

248 -CERRO DE MONTELHADO, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°33'55.88"N; 8°26'18.89"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Na coroa do esporão (cota 167), talude que o circunda e grande concentração de lajes e pedras aparelhadas de xisto e grauvaque; na encosta do lado Este do esporão, ocorrência de concentração de materiais arqueológicos.

Cronologia:Alta Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

249 -MONTE DO AZINHAL, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°33'52.05"N; 8°37'15.30"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Dispersão de materiais arqueológicos (cerâmicas) e bastante pedra de construção, em xisto, no topo do esporão.

Cronologia:Romano, Baixo Império

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

250 -CERRO DA CRAVEIRA 2, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°33'49.44"N; 8°25'58.49"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Na base da encosta, sobre a ribeira, mina de galeria de poço de forma irregular (10m de largura máxima), entulhado. Cortes vivos na rocha base, com buracos horizontais de apoio de estruturas (de elevação de carga?), de secção quadrada.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

251 -CONSULTAS 2, Luzianes

Localização: 37°33'46.70"N, 8°28'50.02"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição:Sítio de habitat em plano, de que foi escavado, em 2001, parte de uma provável pequena cabana de planta rectangular.

Cronologia: Idade do Bronze (?)

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

252 -CERRO DAS ALMINHAS, São Martinho das Amoreiras

Localização: 37°33'45.0"N; 8°20'45.5"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Instalação de altura em recinto (fortificado?) sobre esporão muito elevado sobranceiro ao Mira, com actividades pirotécnicas (vitrificação de muro/muralha).

Cronologia: Bronze Final

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2008; idem, 2009; idem, 2014; VILHENA & GONÇALVES, 2011.

253 -CONSULTAS 1, Luzianes

Localização: 37°33'43.44"N; 8°28'54.07"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Descoberta ocasional há 8/10 anos, de centenas de moedas árabes, em prata, quadrangulares (dinares?), junto a pereiro nas traseiras (20 metros) do Monte Velho da Consulta, em alto. Estavam concentradas no solo, sem estrutura ou contentor cerâmico.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

254 -CERRO DAS CRAVEIRAS 1, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°33'42.95"N; 8°25'58.87"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Grande concentração de lajes de xisto, aparelhadas, que formam altos artificiais no terreno. Material recolhido na base do lado Este do pequeno esporão, em colo para cumeada mais alta desse lado.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

255 -CERRO DA BICA, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°33'42.88"N; 8°26'27.39"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Povoado de altura, possivelmente fortificado, em esporão muito elevado e proeminente sobre amplo vale da Ribeira dos Poios. Grande quantidade de pedra aparelhada em xisto e grauvaque, associada a materiais arqueológicos.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

256 -DEFESA 1, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°33'38.75"N; 8°35'53.72"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Expostas pelo desgaste do solo, 4 estruturas compostas de lajes de xisto fincadas, em planta quase poligonal, afastadas 3 a 5 metros entre si. Dispersos, 3 buracos de poste estruturados em pedras de xisto. O conjunto não configura uma planta regular.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

257 -FOZ DAS ESTACAS, Luzianes-Gare

Localização: 37°33'36.79"N; 8°28'1.08"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: No esporão elevado sobre a foz do Barranco das Estacas na Ribeira de Corte Brique, concentração de lajes de xisto e grauvaque, estranhas à rocha base, aglomeradas em alto no terreno, coberto de densa vegetação. Materiais no topo da encosta Sul.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

258 -CASAS NOVAS, Luzianes-Gare

Localização: 37°33'36.56"N; 8°27'24.41"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Em cabeço arredondado, com topo plano e boa implantação sobre a foz da Ribeira de Poios na Ribeira de Corte-Brique, alto ao centro do terreno, área de 4 x 4m, com lajes de xisto azul e pedras de grauvaque. Material na encosta a Sul.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

259 -CARAPETINHO 3, São Teotónio

Localização: 37°33'34.14"N; 8°42'39.74"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Foi identificada uma pequena mancha de materiais de possíveis lascas.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

260 -CARAPETINHO 4, São Teotónio

Localização: 37°33'33.65"N; 8°42'17.91"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Foi identificada uma pequena mancha de ocupação com possíveis lascas.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

261 -CARAPETO 1, São Teotónio

Localização: 37°33'32.36"N; 8°41'54.82"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Mancha de materiais e estruturas à superfície. O material lítico pode ser eventualmente paleolítico, enquanto que a cerâmica comum observada pode remontar ao período medieval e a cerâmica de construção ao período moderno.

Cronologia: Paleolítico, Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

262 -PRAIA DO TONEL, Zambujeira do Mar

Localização: 37°33'30.59"N; 8°47'26.27"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: No nível de duna consolidada sobre as encostas da praia, indústrias líticas sobre quartzito: lascas foliáceas retocadas, núcleos e restos de talhe. Forte erosão eólica e fluvial sobre o topo da falésia.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

263 -CORGA DA LENHA DE CIMA, São Teotónio

Localização: 37°33'28.78"N; 8°43'2.79"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Mancha de materiais, de média dimensão onde foram identificadas lascas com retoque cortical, raspadores sobre lascas, núcleos e cerâmica indeterminada.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

264 -CARAPETINHO 2, São Teotónio

Localização: 37°33'27.70"N; 8°42'40.51"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Mancha de materiais de média dimensão onde forma identificadas possíveis lascas, escória de fundição e um recipiente de base recta, possivelmente medieval.

Cronologia: Paleolítico e Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

265 -VALE DO LINHO 1, São Teotónio

Localização: 37°33'27.12"N; 8°43'38.96"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Mancha de materiais de média dimensão onde foram identificadas possíveis lascas de cronologia paleolítica.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

266 -CARAPETINHO 1, São Teotónio

Localização: 37°33'24.75"N; 8°42'40.12"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Mancha de materiais de grande dimensão onde foram identificadas possíveis lascas de cronologia paleolítica.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

267 -PONTA DO ESPIGÃO – FRONTEIRA, Zambujeira do Mar

Localização: 37°33'20.77"N; 8°47'42.51"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Núcleo de habitat com restos de estruturas de combustão. Em nível de areias, próximo da falésia, vestígios de indústrias líticas (núcleos e macrolascas em grauvaque e quartzito), de fácies mirense, concentradas numa faixa de 50 m.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

268 -CERCAS, São Teotónio

Localização: 37°33'17.41"N; 8°42'57.70"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Dispersão de materiais arqueológicos em toda a encosta voltada a Poente e Sul, expostos por lavras agrícolas e erosão pluvial nos caminhos rurais: pedras e lajes de xisto, seixos de rio, escorial e fragmentos cerâmicos.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

269 -CANAVIAL 2, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°33'16.04"N; 8°23'40.24"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Ocorrência de pedra aparelhada em grauvaque e materiais cerâmicos. Na coroa aplanada de cabeço destacado.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

270 -CANAVIAL 1, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°33'12.78"N; 8°23'44.30"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Em patamar aberto a Sul, grande quantidade de pedra de grauvaque aparelhada e seixos de rio de grande dimensão, em quartzito e grauvaque. Estrutura (muro?) perceptível debaixo de moroiço, com talude de 50cm e lajes alinhadas E-O, parte delas fincadas.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

271 -MONTE DO PINHEIRINHO, São Teotónio

Localização: 37°33'10.71"N; 8°42'33.62"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Concentração de escórias e pingos de fundição no caminho paralelo ao pequeno canal de rega, que dá acesso ao monte designado por Monte do Pinheirinho.

Cronologia: Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

272 -ESCOLA PRIMÁRIA DE CORTES PEREIRAS, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°33'3.34"N; 8°24'0.97"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Notícia, confirmada por mais de 2 pessoas, da existência de 2 ou 3 sepulturas constituídas por "caixas" de xisto, tipo lousa, de cor azul. Sobre estas, que não terão sido destruídas, foi construído pequeno curral, há 30 anos, hoje já arruinado.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

273 -CERRO DO FAVAL, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°33'3.33"N; 8°24'5.05"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Taludes pronunciados na coroa do esporão, sobretudo no lado Sul e Poente, associados a grande quantidade de pedra de grauvaque de pequeno e médio diâmetro, seixos de rio de grande dimensão, muito material arqueológico.

Cronologia: Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

274 -ZAMBUJEIRO 2, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°33'2.97"N; 8°34'56.87"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Silo escavado na rocha (xisto), de perfil e planta ovalados. Diâmetro da abertura, circular, de aprox. 40cm.

Cronologia: Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

275 -CANEJINHA 2, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°32'56.95"N; 8°38'20.93"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Taludes artificiais no patamar, associados a grande quantidade de lajes de xisto e materiais arqueológicos.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

276 -ZAMBUJEIRO 1, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°32'56.47"N; 8°35'1.31"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Sepulturas escavadas na rocha, com lajes de xisto fincadas, alinhadas W-E. Dificilmente perceptíveis entre os excrementos de gado caprino. Número de sepulturas indeterminado. O pastor fala em mais 3.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

277 -PALHEIRÕES DA REGUEIRA, Zambujeira do Mar

Localização: 37°32'48.43"N; 8°47'25.93"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Achados de indústrias líticas dispersas ao longo do topo da arriba, entre o posto da Guarda Fiscal do Sardão e a praia da Pedra da Bica. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, pouco segura.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

278 -CANEJINHA 1, São Teotónio

Localização: 37°32'47.22"N; 8°38'20.88"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Dispersão de grande quantidade de lajes de xisto e grauvaque, algumas aparelhadas, estranhas à geologia do local, e associadas à dispersão de materiais arqueológicos na superfície do terreno. Perceptíveis leves taludes de formação antrópica.

Cronologia: Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

279 -MONTALTO 3, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°32'30.43"N; 8°22'43.46"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Ocorrência de pedra aparelhada em xisto e materiais cerâmicos de fabrico manual e a torno.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

280 -PORTELA DA IGREJA 1, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°32'28.47"N; 8°27'16.78"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Em cabeço conhecido como Cerro da Igreja, esporão elevado voltado a Sul, com topo aplanado. Ao centro, alto artificial no terreno, sob azinheiras, com bastante pedra aparelhada de grauvaque. Na envolvência, em sulcos de florestação, material cerâmico.

Cronologia: Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

281 -MONTALTO 1, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°32'27.21"N; 8°22'31.64"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Número impreciso de cistas, muito danificadas por limpeza mecânica. Visível muita pedra de xisto. No corte do caminho, é visível uma cista cortada, com 40cm de altura, largura não precisável.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

282 -PORTELA DA IGREJA 2, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°32'21.99"N; 8°27'12.68"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Nos currais do Monte da Portela da Igreja, surgiram à superfície, pelo desgaste dos animais, 2 muros ortogonais, orientados aos pontos cardiais, em grandes lajes de xisto, colocadas horizontalmente. Largura de 0,5m, maior comprimento de 5-6m.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

283 -PORTELA DA IGREJA 3, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°32'15.51"N; 8°27'12.65"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Em crista alongada de cabeço mais alto da zona, muro de pára-vento em pedra seca de grauvaque, não nativa, que se implanta sobre duas superfícies convexas, artificiais, com concentração de pedras de grauvaque no solo, associada a fragmentos cerâmicos.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

284 -BENAMOR, Odemira (Santa Maria)

Localização: 37°32'10.95"N; 8°35'29.96"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Vestígios de construção no topo de raquete na margem esquerda do Mira, entre 2 córrego: pedras de xisto associadas a taludes, estranhas à geologia do local (raña); dispersão de materiais arqueológicos.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

285 -ALMARJÕES, Luzianes-Gare

Localização: 37°32'10.39"N; 8°32'7.11"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição:Estrutura paleo-antrópica no centro de elevação ligeiramente destacada em linha de cumeadas. Situa-se, imediatamente a N do caminho e sob três sobreiros. Trata-se de uma estrutura circular construída em muro de duplo aparelho de blocos regulares de grauvaque, xisto e quartzo, unida por argila laranja muito compacta, que contém pequenos carvões, inserida num montículo artificial constituído por pedras de média dimensão. A estrutura pétrea tem cerca de 8m de diâmetro. A largura média do muro é 0,8m. Foi observado bloco de grauvaque com talhe regular de secção curva e recolhidas lascas de quartzo e quartzito.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

286 -TARREIRINHO, Sabóia

Localização: 37°31'57.50"N; 8°33'15.47"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: No ponto mais alto da "raquete" mais propícia à ocupação, bastantes lajes e pedras de xisto afeiçoadas, vestígios de antiga construção, da qual é perceptível talude. O local é naturalmente defendido por duas ribeiras e pelo Mira.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

287 -SOBREIRO, São Teotónio

Localização: 37°31'52.17"N; 8°38'0.95"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Dispersão de materiais arqueológicos na várzea imediatamente a Sul, e em plano inferior, do local onde foi referida a existência de sepulturas, ou "canal dos mouros", segundo outra versão. Observam-se algumas lajes fracturadas de xisto azul.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

288 -CAMACHINHOS 1, São Teotónio

Localização: 37°31'51.91"N; 8°37'44.65"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Notícia de uma sepultura do tipo cista, destruída. Continha vasilha de barro negro, que se desfez. Planta rectangular, eixo maior N-S.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

289 -CAMACHINHOS 2, São Teotónio

Localização: 37°31'51.90"N; 8°37'48.73"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: No topo do pequeno esporão, grande quantidade de pedra de construção em xisto, ocorrência de materiais arqueológicos.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

290 -CARREIROS DA FONTE - PRAIA DE NOSSA SENHORA, Zambujeira do Mar

Localização: 37°31'43.63"N; 8°47'13.15"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição:Indústrias líticas dispersas à superfície, por dois núcleos, e estruturas de combustão. A ocupação arqueológica está embalada num nível de duna consolidada de cor acastanhada, que se sobrepõe a outro, vermelho, de maior potência. A indústria lítica é composta por lascas e núcleos em grauvaque e quartzito, seixos afeiçoados de tipologia mirense, utensílios em quartzo e em rochas siliciosas. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, provisória.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

291 -ORADA VELHA, São Teotónio

Localização: 37°31'42.94"N; 8°41'0.09"W (C.M.P. 1:25000, Folha 560)

Descrição: Dispersão de escórias metálicas e pingos de fundição; cavidade escavada no xisto base, planta semicircular, forrada a barro e com pingos e escórias no interior, interpretada como forno de redução de minério. Diâmetro superior a 1,5m.

Cronologia: Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

292 -CAMARÃO, Sabóia

Localização: 37°31'41.49"N; 8°33'48.37"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição:Silo escavado na rocha (xisto), de perfil e planta ovalados. Diâmetro da abertura, circular, de aproximadamente 50 cm. Encontra-se entulhado com toros de eucalipto. Recolhida pequeno paralelepípedo em anfibolite, polido, com orifício para suspensão (?) feito por brocagem.

Cronologia: Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

293 -VÁRZEA DO CANTARRÃO 1, São Teotónio

Localização: 37°31'39.40"N; 8°39'42.68"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Talude artificial no terreno e aglomeração de lajes de xisto e grauvaque, planta aproximadamente quadrada, com área de 10x10m. Situa-se voltada para a encosta do lado NE. Para Nascente, em cota mais baixa, dispersão de pingos de fundição.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

294 -AMIEIRO, São Teotónio

Localização: 37°31'39.11"N; 8°38'21.22"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Ocorrência de grandes quantidades de escórias em placa e pingos de fundição, sem outros indícios de estruturas ou materiais.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

295 -VÁRZEA DO CANTARRÃO 2, São Teotónio

Localização: 37°31'32.89"N; 8°39'46.70"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Vestígio de construção, formado por alto no terreno com grande concentração de lajes de xisto, área de aproximadamente 8x8m, associada a dispersão de fragmentos cerâmicos à superfície.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

296 -TOURO, Sabóia

Localização: 37°31'31.47"N; 8°32'6.91"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição:Restos de estrutura de contorno circular, de que se conserva cerca de um quarto de círculo, composta por lajes de xisto de médio calibre que apresentam patine acentuada, embora surjam algumas de grandes dimensões, tal como a laje aparelhada que serve de marco divisório. Trata-se de um montículo artificial de pedras com cerca de 2.5m de diâmetro e que se eleva cerca de 40cm acima do solo. Poder-se-á tratar de estrutura associada a necrópole de sepulturas tipo Atalaia (Idade do Bronze). À superfície do solo recolheu-se um nódulo de barro bem cozido e compactado e seixos de quartzo.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

297 -VALE DE LINHARES VELHO, São Teotónio

Localização: 37°31'30.17"N; 8°39'1.89"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Na vertente atrás do monte e ao longo do corta-fogos da mata de eucaliptos, forno de redução de minério e a 50m, acima, restos de bases construção, constituídas por lajes de xisto contra sulcos escavados no afloramento xistoso.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

298 -CARVALHAL 1, Sáboia

Localização: 37°31'29.41"N; 8°38'13.01"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Monte arruinado em aparelho de xisto, em pedra seca. À volta e nas encostas abaixo, grande quantidade de placas de escória e pingos de fundição. Dois tipos de materiais: Época Moderna, associado ao velho monte, e da Idade do Ferro (o escorial?).

Cronologia: Idade do Ferro e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

299 -CARVALHAL 2, Sáboia

Localização: 37°31'26.15"N; 8°38'17.06"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Sitio arqueológico em topo sobranceiro à Ribeira dos Camachos, onde existem notícia da violação de sepulturas.

Cronologia: Idade do Ferro(?)

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

300 -CIDADE DA ROCHA, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°31'23.5"N; 8°23'05.00"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Coroa do esporão circundada por muro defensivo (muralha?), com espessura superior a 1,5m, face exterior inclinada, aparelho regular de xisto e barro, até 1,5m de altura. Na zona de entrada, bastião semicircular adoçado à muralha, com raio de 4-5m.

Cronologia: Bronze Final ou Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes:VILHENA, 2014; VILHENA e GONÇALVES, 2011.

301 -PONTA DO CHIBARREIRO 2, Sabóia

Localização: 37°31'18.14"N; 8°33'46.61"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Em ponto elevado na ponta, estrutura rectangular alinhada SO-NE. Dimensões máximas de 2,60 x 3,10m. Estruturada por 4 muretes em 2 fiadas paralelas de grandes pedras aparelhadas de grauvaque e quartzito. Espaço interior de 2,20 x 1,30m.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

302 -AVEJÃO 2, Sabóia

Localização: 37°31'15.72"N; 8°29'42.26"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Dispersão e alto artificial no terreno, de lages de xisto e seixos de rio, associados a materiais arqueológicos.

Cronologia: Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

303 -Portela da Fonte Santa 1, Sabóia

Localização: 37°31'2.78"N; 8°34'17.06"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Em patamar voltado a nascente sobre a ribeira das Arredouças, em terreno de raña, lajes de xisto, estranhas à geologia do local, associados a materiais arqueológicos. Parcos vestígios de arqueossítio.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

304 -BARREIRAS 2, Sabóia

Localização: 37°31'1.83"N; 8°31'5.66"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Em pontal voltado a Sul, ocorrência de pedras de xisto e grauvaque, associados a materiais arqueológicos.

Cronologia: Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

305 -VÁRZEA LONGA 2, Sabóia

Localização: 37°30'59.07"N; 8°33'28.17"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: No ponto mais alto da cumeada, grande quantidade de lajes de xisto e grauvaque, por vezes amontoadas em muroiços. Suaves taludes no terreno, possivelmente de formação antrópica.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

306 -BARREIRAS 3, Sabóia

Localização: 37°30'58.60"N; 8°31'1.58"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Em pontal voltado a Sul, ocorrência de pedras de xisto e grauvaque, associados a materiais arqueológicos.

Cronologia: Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

307 -PORTELA DA FONTE SANTA 2, Sabóia

Localização: 37°30'53.05"N; 8°34'17.00"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: No topo aplanado de pequeno esporão sobranceiro à ribeira, taludes e pedra de construção (lajes aparelhada de xisto e grauvaque), em 2-3 pequenos núcleos, associados a dispersão de materiais de superfície.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

308 -BARREIRAS 1, Sabóia

Localização: 37°30'52.09"N; 8°31'9.69"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Na portela de ligação a esporão elevado, a meia encosta da cumeada a Norte, alto no terreno de lajes de xisto e grauvaque, concentradas, com escassos materiais arqueológicos.

Cronologia: Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

309 -VÁRZEA LONGA 1, Sabóia

Localização: 37°30'49.36"N; 8°33'24.04"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Vestígios de construção: taludes e concentração de lajes aparelhadas de xisto e grauvaque, em dois núcleos afastados 10m entre si, ao longo da crista do esporão. Bastantes materiais arqueológicos de superfície, apesar da diminuta área de ocupação.

Cronologia: Romano, Baixo Império

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

310 -SANTA CLARA, Sabóia

Localização: 37°30'48.26"N; 8°29'3.44"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Evidência de construção antiga, manifestada por aglomerado de pedras de grauvaque e xisto, aparelhadas, divergentes da rocha base do local. Sob concentração de árvores e arbustos. Escassos materiais arqueológicos.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

311 -AZINHALINHO, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°30'46.83"N; 8°28'0.32"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição:Silo escavado no afloramento em xisto. Encontra-se entulhado e sob pavimento e parede da malhada de porcos a cerca de 20 m do monte. Segundo informação oral, seria ovalado, com uma profundidade superior a dois metros, abertura com cerca de 80 cm de largo, possivelmente circular. Encontrava-se vazio e coberto por laje.

Cronologia: Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

312 -TISNADINHA 3, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°30'44.64"N;8°27'29.77"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Dispersão de lajes de xisto e grauvaque, indicadores da existência de estruturas arqueológicas destruídas. Materiais arqueológicos na encosta. O topo do esporão, onde se encontraria a ocupação, esta totalmente erosionado.

Cronologia: Medieval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

313 -TISNADINHA 1, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°30'41.42"N; 8°27'21.64"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Descrição da destruição de sepultura tipo cista, com planta rectangular constituída por lajes de xisto azul fincadas que forravam cova aberta no afloramento xistoso. O morador já não se recorda das dimensões certas nem da orientação do monumento.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

314 -VÁRZEA DA ARANHA, Sabóia

Localização: 37°30'39.47"N; 8°32'35.13"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Concentração de xisto e achado isolado de movente em raquete elevada, coberta por raña, sobre meandro do Mira

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

315 -TISNADINHA 2, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°30'38.15"N; 8°27'29.75"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Dispersão no terreno de grandes lajes de xisto grauváquico, em zona profundamente revolvida pela agricultura mecânica (tentativa de plantio de pomar).Segundo descrição do morador, surgiram várias sepulturas na zona.

Cronologia: Medieval Islâmico e Medeval Cristão

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

316 -MONTE DAS CANAS/MONTE QUEIMADO, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°30'35.40"N; 8°31'52.35"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição:Sítio arqueológico mal caracterizado por insuficiência de materiais, situado em vertente sobre terraço inferior do Mira.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

317 -MONTE DAS PEDRAS 1, Sabóia

Localização: 37°30'32.50"N; 8°30'8.51"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Dispersão de materiais arqueológicos e de construção no topo e encosta meridional de colina sobre o rio Mira.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

318 -MONTE DAS PEDRAS 3, Sabóia

Localização: 37°30'29.22"N; 8°30'20.71"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Em cabeço alongado com inclinação lateral para o Mira, ocorrência de materiais arqueológicos e pedra aparelhada em xisto e grauvaque, em ligeira elevação no plano.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

319 -VALE DE MOINHOS, Sabóia

Localização: 37°30'27.07"N; 8°34'25.40"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Em suave encosta voltada a Sul, sobre a ribeira, com vários patamares e recortada por vários córregos, dispersão de materiais arqueológicos e alguma pedra aparelhada, em grauvaque.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

320 -MONTE DAS CANAS/MONTE QUEIMADO 3, Sabóia

Localização: 37°30'26.35"N; 8°31'43.35"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Em patamar sobre o Mira e na base da primeira encosta, dispersão de lajes e seixos. Foram encontrados dois dormentes de mó de vaivem, um em granito, fracturado mas completo, outro fragmentado, em grauvaque.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

321 -MONTE DAS PEDRAS 2, Sabóia

Localização: 37°30'26.00"N; 8°30'12.55"W (C.M.P. 1:25000, Folha 561)

Descrição: Dispersão de material de construção e alguns materiais cerâmicos pouco definidos em patamar sobre margem do Mira.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: VILLHENA, 2009.

322 -AFONSO ANES 1, Sabóia

Localização: 37°30'22.60"N; 8°29'15.94"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Na crista de ligação da grande península onde se implanta o monte de Afonso Anes, em plano inclinado para Norte e exposto por corta-fogos, lajes de xisto azul imbricadas na rocha base, em xisto brando claro.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

323 -FRIEZA 2, Sabóia

Localização: 37°30'19.72"N; 8°30'49.57"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Cista destruída há cerca de 15 anos, de planta rectangular, composta por lajes de xisto azul. Observa-se apenas concavidade no afloramento rochoso, de planta rectangular, preenchida por terras de escorrência, com lajes de xisto ao lado, fora de posição.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

324 -FRIEZA 1, Sabóia

Localização: 37°30'19.71"N; 8°30'53.62"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Dispersão de lajes de xisto, taludes do lado Sul provavelmente provocados por construções soterradas.

Cronologia: Idade do Ferro, Idade Média e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

325 -AFONSO ANES 2, Sabóia

Localização: 37°30'12.86"N; 8°29'19.97"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Dispersão de fragmentos cerâmicos no limite Sul do topo plano da grande península onde se implanta o Monte de Afonso Anes, em terreno de ligeira pendente para Sul e sobre curva do Mira, na foz da ribeira de Telhares.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

326 -CHAIÇA 1, Sabóia

Localização: 37°30'10.31"N; 8°32'27.23"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Taludes de construção pronunciados no plano da rechã, sobre a vertente da ribeira. Grande quantidade de lajes de xisto, aparelhadas. Dispersão de materiais arqueológicos: cerâmica de construção e utilitária.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

327 -CHAIÇA 2, Sabóia

Localização: 37°30'7.06"N; 8°32'27.22"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Casal rural em alto artificial no rebordo de terraço superior do Mira, com cerâmica utilitária e de construção.

Cronologia: Alta Idade Média

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

328 -PRAIA DO CARVALHAL, São Teotónio

Localização: 37°30'0.44"N; 8°47'39.11"W (C.M.P. 1:25000, Folha 568)

Descrição: Nível de concheiro com indústrias líticas à superfície de uma duna consolidada. Nas proximidades, a cerca de 200 m para Oeste, sobre a ponta mais avançada, são visíveis indústrias macrolíticas. A sua atribuição ao Mesolítico é, por enquanto, provisória.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

329 -BILHARDA, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°29'56.03"N; 8°27'13.68"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Taludes de construções e grande concentração de pedras de xisto e grauvaque, em área de planta oval na coroa do cabeço a Poente do monte. Os densos medronheiros e arbustos impedem a visibilidade do solo.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

330 -TALISCA 2, São Teotónio

Localização: 37°29'54.75"N; 8°35'22.61"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Talude artificial e pedra de construção abundante, em xisto, ao centro da coroa do esporão.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

331 -TALISCA 1, São Teotónio

Localização:37°29'51.49"N; 8°35'26.66"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Na parte conservada do esporão, muros a aflorar, compostos de 2 fiadas de pedra de xisto, configuram dois cantos de casas.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

332 -FOZ DOS CLAVOS VELHO, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°29'33.46"N; 8°28'23.20"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Vestígios de 2 construções, que se manifestam por duas concentrações (com 0,5m de altura em relação ao solo) de pedras aparelhadas de grauvaque, associadas a materiais arqueológicos.

Cronologia:Alta Idade Média eModerno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

333 -CASTELO VELHO, São Teotónio

Localização: 37°29'23.98"N; 8°47'44.49"W (C.M.P. 1:25000, Folha 568)

Descrição: Vestígios de indústrias líticas (em grauvaque e quartzito) de tecnologia mirense dispersas à superfície e termoclastos. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste e do Projecto de Carta Arqueológica do Concelho de Odemira.

Cronologia: Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

334 -ESTEVEIRA 1, Sabóia

Localização: 37°29'21.91"N; 8°31'11.26"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Local, com cerca de 40x25 m, onde se verifica uma grande concentração de pedras, notando-se uma estrutura que aflora à superfície, que poderá ser a parte visível de uma necrópole da Idade do Ferro.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

335 -ESTEVEIRA 3, Sabóia

Localização: 37°29'21.90"N; 8°31'15.33"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Estrutura rectangular com cerâmica.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

336 -FOZ DO GAVIÃO 2, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°29'14.09"N; 8°27'50.54"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Concentração de pedras de construção, em xisto e grauvaque, no centro do patamar e na encosta. Vestígios de chapéu de ferro.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

337 -FOZ DO GAVIÃO 1, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°29'14.47"N; 8°27'12.22"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Amontoado de pedras de construção no topo e nas encostas do esporão. Abundantes fragmentos de tegullae e imbrices, dormentes de mós manuais, bastante cerâmica utilitária.

Cronologia: 2ª Idade do Ferro e Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

338 -FOZ DO GAVIÃO 4, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°29'1.10"N, 8°27'54.96"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Construção em pedras de xisto, aparelho de duas fiadas paralelas, a aflorar o chão. Vêm-se 2 muros em ângulo recto. Vegetação impede melhor visibilidade.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

339 -VÁRZEA DA ZORRA, Sabóia

Localização: 37°28'58.91"N; 8°32'39.87"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Alto artificial no terreno, de forma oval com eixo máximo de 20m, alinhado O-E.O topo é plano e existe um desnível considerável (talude de cerca de 1 metro) sobre o cabeço boleado, destacando-se facilmente o sítio de formação antrópica.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

340 -ESTEVEIRA 2, Sabóia

Localização: 37°28'55.95"N; 8°31'15.19"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Estrutura rectangular com cerâmica.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

341 -CERRO DO CASTELO DOS MOIROS 1, Sabóia

Localização: 37°28'53.10"N; 8°29'9.00"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição:Notável povoado no topo da elevação que se ergue 30 m acima do vale aberto da ribeira de Telhares (a Oeste). O cerro, de xisto boleado, tem encostas pouco inclinadas, excepto a Sul, onde tem pequena ravina. A ribeira, no sopé a Oeste e um pequeno ribeiro que neste conflui a Norte da elevação depois de a circundar a Este oferecem alguma dificuldade no acesso, defesa que seria reforçada por muralha a 1/3 da encosta. É perceptível por talude na encosta Oeste. A elevação desenvolve-se em três plataformas de dimensões idênticas, sendo a central ligeiramente mais baixa, num alinhamento Norte-Sul com um comprimento de 300 m por 80 m de largura máxima, configurando uma forma elipsoidal irregular. A uma média defensabilidade, boa a Sul e Oeste de vido a ravina e ribeira, razoável a Este e Norte pelo declive da encosta e confluência dos cursos de água, soma-se um excelente domínio visual para Norte e Sul, controlando o vale, para favorecer uma ocupação de altura. À superfície, abundantes seixos rolados, de pequena e média dimensão, por vezes em grandes aglomerações. Materiais cerâmicos no topo Sul, ligeiramente maior e mais alto, quer a superfície quer em buraco escavado (por detector de metais) sobre a ravina: fragmento de dolium em torno lento e de ânfora, escasso material.

Cronologia: Idade do Ferro, Romano e Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

342 -FORTALEZA DO CASTELO, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°28'49.99"N; 8°28'24.22"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Vestígios de fortificação. O local, muito alto, é pouco favorável a uma ocupação. Não apresenta quaisquer indícios à superfície.

Cronologia: Calcolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

343 -ASSEISSEIRA, São Teotónio

Localização: 37°28'44.51"N; 8°47'56.11"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: A superfície, indústrias macrolíticas em grauvaque e quartzito - lascas, núcleos e seixos afeiçoados. Nível de duna consolidada muito desmantelado pela erosão.

Cronologia: Paleolítico e Mesolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

344 -ROCHINHA, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°28'31.58"N; 8°27'42.89"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Achados de poucos e dispersos materiais arqueológicos junto com pedra aparelhada em raquete sobre meandro da ribeira dos Fitos.

Cronologia: Idade Média(?)

Bibliografia / Fontes: VILHENA, 2009.

345 -FITOS DE BAIXO 2, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°28'18.72"N; 8°27'14.49"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Ocorrência de materiais arqueológicos em patamar sobre a margem da ribeira, com algumas pedras de grauvaque aparelhadas, em terreno de raña.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

346 -FITOS DE BAIXO 1, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°28'18.69"N; 8°27'26.69"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Em raquete elevada sobre ribeira, nas traseiras da construção mais recente, alto artificial ao centro do topo, com grande quantidade de pedras aparelhadas e lajes de grande dimensão. Área circular de amontoado (20 - 30cm de altura em relação ao solo).

Cronologia: Idade do Ferro e Moderno

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

347 -FONTE DO COXO, Pereiras-Gare

Localização: 37°28'15.23"N; 8°26'45.98"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Em esporão destacado, taludes longitudinais (direcção N-S, em 10m de extensão, altura de 0,5m) com concentração de lajes xisto e pedras aparelhadas de grauvaque. Materiais arqueológicos na envolvência.

Cronologia: Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

348 -CURRALÕES, Santa Clara-a-Velha

Localização: 37°28'11.00"N; 8°28'48.46"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição:Na zona florestada e na encosta de pastagem a Oeste, dispersão de lages de xisto e fragmentos de telhas com sulcos digitais. Informação oral do morador na Referta de Baixo indica que o núcleo principal se situava onde estão hoje os eucaliptos. Foram identificados fragmentos de cerâmicas de fabrico a torno e manuais, com pastas claras e escura, vidrados verdes e meladas.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

349 -MONTINHO, Pereiras-Gare

Localização: 37°28'8.73"N; 8°26'54.10"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Na vertente imediatamente a Sul do monte, vestígios de construções anteriores: muita pedra aparelhada em grauvaque, associados a materiais arqueológicos que surgem nos regatos abertos pela água da chuva no terreno argiloso.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

350 -CERRO DA ÁGUIA, Pereiras-Gare

Localização: 37°27'43.46"N; 8°28'36.12"W (C.M.P. 1:25000, Folha 570)

Descrição: Taludes e concentrações de pedras de grauvaque aparelhadas, em dois núcleos de planta ovalada/subrectangular, com eixos maiores (10m) orientados N-S, a 20m um do outro. Corte de surriba para florestação expôs níveis de telhado.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

351 -ALGARES, São Teotónio

Localização: 37°27'32.64"N; 8°38'10.20"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Identificados seis poços verticais, bastante profundos (>de 50m), quatro deles entulhados. Planta rectangular ou quadrada, dimensões da boca entre os 2-3x 2-3m. Ainda uma "corta" ou mina de superfície, ou início abandonado de um 7º poço.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

352 -ASSENHA, São Teotónio

Localização: 37°27'10.91"N; 8°47'59.59"W (C.M.P. 1:25000, Folha 568)

Descrição: Ao longo da arriba, achados dispersos de instrumentos líticos sobre grauvaque e quartzo, de tipologia paleolítica. A 200m a NO do marco geodésico, onde a potente duna móvel descobre a duna consolidada que lhe é subsequente, nível com macrolascas e núcleos em grauvaque e quartzito, seixos afeiçoados (fácies mirense) e cerâmica manual não decorada, provavelmente neolítica. Não é possível determinar a dimensão da jazida.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

353 -VALE PARTILHAS 1, Sabóia

Localização: 37°27'9.06"N; 8°30'29.89"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição:Sítio arqueológico situado no topo de esporão sobranceiro à margem direita da Ribeira de Torquines, 20m acima de terraço fluvial e várzea. Dispersão de materiais de construção (lajes de xisto grauváquico de médio e grande calibre e fragmentos de telha de meia cana espessa) em área de 200m2 no topo e encostas. Associados, ocorrem fragmentos de cerâmica utilitária comum (bojo e um fundo) de pasta vermelha-acastanhada e laranja, de montagem a torno e à mão.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

354 -VALE PARTILHAS 3, Sabóia

Localização: 37°27'2.57"N; 8°30'30.26"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição:Sítio arqueológico caracterizado por concentração de lajes de xisto grauváquico em topo de pequeno esporão voltado a Nascente, sobre ribeira de Torquines, associado a abundantes fragmentos de telhas de meia-cana, espessas, decorados com sulcos digitais curvilíneos. Não se observaram fragmentos de cerâmica utilitária, nem estruturas á superfície. Sítio possivelmente relacionado com Vale Partilhas 1 e 2. Terreno coberto por vegetação arbustiva pouco densa, lavrado. Boa observação de solo.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

355 -VALE PARTILHAS 4, Sabóia

Localização: 37°26'53.82"N; 8°30'29.00"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Patamar largo e de declive pouco acentuado, aberto a Nascente sobre a ribeira de Torquines onde existe dispersão de materiais arqueológicos com pedras e lajes de xisto grauváuico e fragmentos de cerâmica de armazenamento e comum.

Cronologia: Romano e Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

356 -PRAIA DE ODECEIXE, São Teotónio

Localização: 37°26'43.37"N; 8°47'55.28"W (C.M.P. 1:25000, Folha 568)

Descrição: Tratam-se de achados dispersos numa cascalheira não localizados.

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

357 -QUARTEIRÃES, São Teotónio

Localização: 37°26'24.28"N; 8°44'58.16"W (C.M.P. 1:25000, Folha 568)

Descrição: Localizado em pequena plataforma de suave declive para o vale da Ribeira da Seca. Foi encontrado em vala pequeno conjunto de materiais arqueológicos

Cronologia: Neolítico/Calcolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

358 -CORGO DAS CORCHAS, São Teotónio

Localização: 37°26'21.42"N; 8°38'55.28"W (C.M.P. 1:25000, Folha 569)

Descrição: Ocorrência de escórias e pingos de fundição, na base da vertente do lado NO do córrego, em zona ocupada por horta. Sem outros achados.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

359 -PAÇO VELHO 2, São Teotónio

Localização: 37°26'16.06"N; 8°45'36.80"W (C.M.P. 1:25000, Folha 568)

Descrição: Concheiro sobre pequena elevação junto a nascente de água doce. Apresentou diversos materiais arqueológicos à superfície.

Cronologia: Mesolítico Final/ Neolítico Antigo

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

360 -MONTES DE BAIXO, São Teotónio

Localização: 37°26'12.92"N; 8°46'49.91"W (C.M.P. 1:25000, Folha 568)

Descrição: Habitat de ar livre com níveis de concheiro. A jazida situa-se em terrenos de areia resultantes da desagregação de duna consolidada.

Cronologia: Mesolítico e Calcolítico

Bibliografia / Fontes: REIS 2013; SOARES & TAVARES DA SILVA, 2004; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1997; TAVARES DA SILVA, SOARES & PENALVA, 1985; ZBYSZEWSKI & PENALVA, 1980.

361 -PAÇO VELHO 6, São Teotónio

Localização: 37°26'3.56"N; 8°45'33.37"W (C.M.P. 1:25000, Folha 568)

Descrição: Sítio de habitat em pequena elevação aplanada, apresentando materiais cerâmicos e líticos.

Cronologia: Neolítico/Calcolítico

Bibliografia / Fontes: REIS, 2013.

362 -CAVEIRAS, Pereiras-Gare

Localização: 37°26'12.23"N; 8°27'11.10"W (C.M.P. 1:25000, Folha 562)

Descrição: Em suave esporão com 2 cabeços geminados sobre foz da Ribeira da Corte Lobata em curva na Ribeira de Telhares, grande concentração de pedra aparelhada em xisto e grauvaque, por vezes de grande dimensão, grandes seixos de rio em quartzito.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

363 -VALE 2, Sabóia

Localização: 37°24'57.72"N; 8°30'21.10"W (C.M.P. 1:25000, Folha 577)

Descrição:Alinhamento semi-circular de pedras sobre cabeço de afloramento xistoso acompanhando a encosta. A maior parte dos elementos líticos são seixos de rio rolados e de grandes dimensões. De cronologia e funções indeterminadas, esta estrutura está agregada com argila e tem 15m de comprimento

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

364 -PORTELA DO MOINHO VELHO, Sabóia

Localização: 37°24'29.16"N; 8°30'25.02"W (C.M.P. 1:25000, Folha 577)

Descrição:Elevação artificial de configuração sub-circular. Estrutura circular no interior, sob montículo constituído por pedras aparelhadas, de xisto, sobrepostas e terra. Parcialmente destruída por largo aceiro. Recolheram-se três fragmentos de cerâmica no local (ânfora?). Localiza-se no topo de uma elevação em posição dominante, em zona de pinhal e montado. A altura máxima acima do nível do solo é de 2m (aprox.), o diâmetro da estrutura circular interna de cerca de 2 e o diâmetro do montículo (conservada) de 4,15m.

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

365 -ALCANFORADO, São Teotónio

Localização: 37°24'11.63"N; 8°40'18.56"W (C.M.P. 1:25000, Folha 577)

Descrição:Proveniente da necrópole possivelmente localizada na zona, a Estela do Alcanforado (variante Alcoforado) apresenta 34 signos de escrita do SO. O texto, perfeitamente legível onde o campo epigráfico está intacto, foi cortado no topo da estela por fractura que deixou apenas um grafito. A estela, em pedra avermelhada, tem as dimensões máximas de 1,025 de altura, 0,38 de largura e 0,05 de espessura. O texto, bem gravado, desenvolve-se da esquerda para a direita, acompanhando os bordos da estela, em três cartelas. A superfície está bem cuidada e polida.

Cronologia: 1ª Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

Principal Bibliografia Arqueológica do Concelho de Odemira

ARNAUD, J. (2002) - O Mesolítico e o processo de neolitização: passado, presente e futuro. In Arqueologia 2000. Balanço de um século de investigação arqueológica em Portugal (Arqueologia & História, 54). Lisboa: Associação dos Arqueólogos Portugueses, p. 57-74.

BEIRÃO, C. de M. (1986) - Une Civilisation Protohistorique du Sud du Portugal (Ier Âge du Fer). Paris: Éditions du Boccard.

COELHO-SOARES, A. (1986) - Achados arqueológicos na vila de Odemira. Trabalhos de Arqueologia do Sul, 1, p. 87-92.

CORREIA, J. A. (1993) - As necrópoles da Idade do Ferro do Sul de Portugal: Arquitectura e Rituais. Trabalhos de Antropologia e Etnologia, 33, p. 351-370.

GONZALÉZ MORALES, M. & ARNAUD, J. (1990) - Recent research on the Mesolithic in the Iberian Peninsula. In P. VERMEERSCH & P. PEER (eds.), Contributions to the Mesolithic in Europe. Leuven: Leuven University Press, p. 451-461.

LUBELL, D.; JACKES, M.; SHEPPARD, P. & ROWLEY-CONWY, P. (2007) - The Mesolithic-Neolithic in the Alentejo: archaeological investigations, 1984-1986. In N. BICHO (ed.), From the Mediterranian basin to the Portuguese Atlantic shore: Papers in honor of Anthony Marks. Actas do IV Congresso de Arqueologia Peninsular (Promontoria Monográfica, 07). Faro: Universidade de Faro, p. 209-229.

QUARESMA, A. M. (1999) - Colos: Contributo para a sua história. Odemira: Câmara Municipal de Odemira.

RAPOSO, L. (1993) - O sítio de Palheirões do Alegra e a questão do Mirense. Encuentro de Arqueologia del Suroeste. Documento de Trabajo. Huelva-Niebla, p. 17-36.

RAPOSO, L. (1994) - O sítio de Palheirões do Alegra e a “questão do Mirense”. In J. CAMPOS, J. PEREZ & F. GÓMEZ (eds.), Arqueología en el entorno del Bajo Guadiana. Huelva, p. 55-69.

RAPOSO, L. (1997) - O mirense e os machados mirenses: Algumas reflexões em voz alta. Setúbal Arqueológica, 11-13, p. 109-120.

REIS, H. (2013) - O povoamento do Mesolítico Final e Neolítico Antigo do vale do Mira, no seu contexto regional. Dissertação de Mestrado em Arqueologia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Policopiado.

SOARES, J. (1997) - A transição para as formações sociais neolíticas na costa sudoeste portuguesa. ln RODRÍGUEZ CASAL (ed.), O Neolítico Atlântico e as Orixes do Megalitismo. Actas do Coloquio International. Santiago de Compostela, p. 587-608.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (1993) - Na transição Plistocénico-Holocénico: Marisqueio na Pedra do Patacho. Al-Madan, 2, S. 2, p. 1-9.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA (2003) - A transição para o Neolítico na costa sudoeste portuguesa. In V.S. GONÇALVES (ed.), Muita gente, poucas antas? Origens, espaços e contextos do Megalitismo (Trabalhos de Arqueologia, 25). Lisboa: Instituto Português de Arqueologia, p. 45-56.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA (2004) - Alterações ambientais e povoamento na transição Mesolítico-Neolítico na Costa Sudoeste. Evolução geohistórica do litoral português e fenómenos correlativos. Lisboa: Universidade Aberta, p. 397-423.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1997) - Economias costeiras na pré-história do sudoeste português. O concheiro de Montes de Baixo. Setúbal Arqueológica, 11-12, p. 69-108.

TAVARES DA SILVA, C.; SOARES, J. & PENALVA (1985) - Para o estudo das comunidades neolíticas do Alentejo litoral: o concheiro do Medo Tojeiro. Arqueologia, 11. Porto, p. 5-15.

VIERRA, J. B. (1992) - Subsistence Diversification and the Evolution of Microlithic Technologies: A Study of the Portuguese Mesolithic (Ph. D. Dissertation). University of New México.

VILHENA, J. (2008) - As pedras lisas. Mós e moagem de cereais da Pré-história à Idade Média. In J. Vilhena, A. M. Quaresma, A. T. Gonçalves, A moagem de cereais em Odemira. Da Pré-história à actualidade, 3. Odemira: Município de Odemira.

VILHENA, J. (2009) - As pedras lisas. As mós e moagem manual entre a pré-história recente e a época moderna.A moagem de cereais em Odemira, da pré-história à actualidade. Odemira: Câmara Municipal de Odemira.

VILHENA, J. (2011) - A desaparecida Targhala. FO Magazine, 5. Odemira, p. 44-48.

VILHENA, J. (2012) - Odemiraunderground. FO Magazine, 6. Odemira, p. 44-52.

VILHENA, J. (2014) - Acupunctura em Odemira: dois séculos de Arqueologia. In P. PRISTA (coord.), Ignorância e Esquecimento em Odemira. Odemira: Município de Odemira.

VILHENA, J. & GONÇALVES, M. (2011) - Muralhas revestidas de cobre. Rochas vitrificadas em povoados do Bronze Final do Sudoeste. In J. JIMÉNEZ ÁVILA (ed.), SIDEREUM ANA II: El río Guadiana en el Bronce Final (Reunión Científica, Instituto de Arqueología de Mérida, Maio de 2008).

VILHENA, J. & GRANGÉ, M. (2008) - Premières données archéologiques sur le Baixo Mira durant le haut Moyen Âge (VIIe-XIe siècle): Études de cas et problématiques générales. Actas do III Encontro de Arqueologia do Sudoeste Peninsular (Vipasca. Arqueologia e História, 2). Aljustrel, p. 542-558.

VILHENA, J. & GRANGÉ, M. (2011) - Of slags and men. Iron mining and metallurgy in the Mira valley (Southwest Portugal) from Iron Age to the Middle Ages. In C. M. B. MARTINS, A. M. S. BETTENCOURT, J. I. F. P. MARTINS & Jorge CARVALHO (coords.), Povoamento e Exploração dos Recursos Mineiros na Europa Atlântica Ocidental. Braga: CITCEM e APEQ, p. 83-112.

VILHENA, J. & RODRIGUES, J. (2010) - As rochas insculpidas de Maceirinha (Odemira). Actas do 2.º Encontro de História do Alentejo Litoral. Sines: Centro Cultural Emmérico Nunes, p. 52-64.

ZBYSZEWSKI, G. & PENALVA, C. (1980) - Estação de Medo Tojeiro (Baixo Alentejo). Contribuição para o estudo do "Languedocense" costeiro. Com. Serv. Geol. Port., 65, p. 231-237.

ZBYSZEWSKI, G. & PENALVA, C. (1986) - A estação mirense de Foz dos Ouriços (Almograve, Baixo Alentejo). Trab de Arqueol. do Sul, 1.Serviço Regional de Arqueologia do Sul/Évora-IPPC, p.17-27.

ZBYSZEWSKI, G.; VEIGA FERREIRA, O. da & PENALVA, C. (1978) - Um acampamento languedocense com industria mirense a Sul de V. N. de Milfontes. A Pedra de D. Rodrigo. Com. Serv. Geol. Port., 63, p. 437-448.

1Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal.

Add new comment