Inventário do Património Arqueológico de Sines

Compilação de Carlos Tavares da Silva1

Joaquina Soares1

Susana Duarte1

Ana Paula Covas1

1Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal.

 

1 - POVEIRA, Sines

Localização: 37°58'14.83"N; 8°50'56.14"W (C.M.P. 1:25000, Folha 516)

Descrição: Possível habitat. Área plana, com peças líticas e cerâmica de fabrico manual dispersas à superfície.

Cronologia:Neolítico

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981; VASCONCELOS, 1897.

 

2 - PRAIA DO NORTE, Sines

Localização: 37°58'7.84"N; 8°52'18.01"W (C.M.P. 1:25000, Folha 515A)

Descrição: Área plana situada sobre a arriba, na extremidade sul da Praia do Norte. Habitat distribuído por dois núcleos (A e B), separados por uma linha de água.

Cronologia:Paleolítico Superior e Epipaleolítico

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981.

 

3 - COURELA DOS CHÃOS, Sines

Localização: 37°57'39.31"N; 8°50'31.22"W (C.M.P. 1:25000, Folha 516)

Descrição: Possível villa com restos de um balneário e cerâmicas dos séculos I-V d.C.

Cronologia:Romano

Bibliografia / Fontes: COELHO-SOARES, 1987.

 

4 - CABO DE SINES, Sines

Localização: 37°57'31.88"N; 8°53'2.71"W (C.M.P. 1:25000, Folha 515A)

Descrição: Três concentrações de materiais que deveriam pertencer ao mesmo horizonte cultural. O espólio recolhido em sondagens e prospecções encontrava-se embalado num nível de areias cinzentas, sob as dunas móveis, e era fundamentalmente constituído por restos de talhe, sendo poucos os utensílios. A matéria-prima utilizada foi o quartzo, o sílex e o jaspe. As características desta indústria sugerem a sua integração no Paleolítico superior ou Epipaleolítico.

Cronologia: Magdalenense final/Epipaleolítico

Bibliografia / Fontes: BREUIL & ZBYSZEWSKI, 1946; ROCHE, 1960; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981.

 

5 - CASTELO DE SINES, Sines

Localização: 37°57'16.06"N; 8°52'1.11"W (C.M.P. 1:25000, Folha 515 A)

Descrição: Na área que confina a Sul com o Castelo de Sines surgiram estruturas pertencentes a uma unidade fabril de salga de peixe da época romana e as cantarias visigóticas reutilizadas nas muralhas do castelo indiciam a provável presença de um templo na área, do séc. VII d.C. O castelo foi construído no período tardo-medieval (século XV). Directamente sobre o substrato diorítico encontravam-se vestígios de um acampamento paleolítico.

Cronologia: Paleolítico, Romano, Visigótico e Tardo-medieval

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1988; ALMEIDA, 1962; ENCARNAÇÃO, 1984; PONTE, 1983; VASCONCELOS, 1914.

 

6 - MONTE NOVO 1, Sines

Localização: 37°57'0.52"N; 8°50'10.37"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Recinto megalítico, de planta ovalada, do Neolítico final, reutilizado como povoado no Calcolítico, talvez por motivos de carácter defensivo.

Cronologia:Neolítico e Calcolítico

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1976-77; Idem, 1981; Idem, 1984.

 

7 - MONTE NOVO 2, Sines

Localização: 37°56'57.22"N; 8°50'18.53"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Materiais dispersos nas proximidades das casas do Monte.

Cronologia:Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

8 - PALMEIRINHA, Sines

Localização: 37°56'49.38"N; 8°49'33.40"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Área plana e arenosa do sopé da encosta sul dos Chãos. Nível de ocupação do Neolítico Médio (com estruturas de habitat bem conservadas) e nível da Idade do Bronze muito destruído. Escavações do Grupo de Trabalhos Arqueológicos do Gabinete da Área de Sines com colaboração do MAEDS.

Cronologia:Neolítico Médio e Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA et al., 2010.

 

9 - QUITÉRIA (POVOADO E NECRÓPOLE), Sines

Localização: 37°56'44.37"N; 8°49'57.93"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Habitat e necrópole de cistas situados na área plana do sopé da encosta sul dos Chãos de Sines. [O sítio sofreu escavações arqueológicas por parte do Grupo de Trabalhos de Arqueologia do Gabinete da Área de Sines].

Cronologia:Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1980; Idem, 1981; Idem, 1984.

 

10 - VALE PINCEL 2, Sines

Localização: 37°56'37.72"N; 8°50'26.53"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Povoado contíguo a Vale Pincel 1.

Cronologia:Neolítico final

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA, 1987; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1976-77; Idem, 1981; Idem, 1984.

 

11 - VALE PINCEL 1, Sines

Localização: 37°56'32.41"N; 8°50'46.14"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Área plana sobre a arriba. Revelou extenso habitat polinucleado com numerosas estruturas de combustão, empedrados e "fundos de cabana".

Cronologia:Neolítico antigo

Bibliografia / Fontes: SOARES & TAVARES DA SILVA,1979; TAVARES DA SILVA, 1989; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1980; Idem, 1981; Idem, 1982; Idem, 1984.

 

12 - VALE MARIM 2, Sines

Localização: 37°56'21.96"N; 8°49'8.57"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Sítio identificado em trabalhos de prospecções do MAEDS, da responsabilidade de Carlos Tavares da Silva e Joaquina Soares. O sítio localiza-se sobre substrato arenoso de suave encosta, de relevo muito suave e com reduzida variabilidade altimétrica, limitado por duas pequenas linhas de água. Os trabalhos de escavação de 2004 revelaram a presença de um povoado do Neolítico antigo evolucionado, com práticas funerárias intra-habitat.

Cronologia:Neolítico antigo evolucionado

Bibliografia / Fontes:TAVARES DA SILVA et al., 2010.

 

13 - BREJO REDONDO, Sines

Localização: 37°56'20.39"N; 8°49'54.83"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Em área plana e arenosa, estabelecimento temporário, provavelmente dedicado à exploração de recursos marinhos.

Cronologia:Neolítico antigo evolucionado / Neolítico médio

Bibliografia / Fontes: SOARES & TAVARES DA SILVA, 2004.

 

14 - PEGO DA VACA 1, Sines

Localização: 37°56'19.78"N; 8°47'45.54"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Dispersão de alguns materiais de cronologia pré-histórica, numa pequena área junto a uma linha de água. Registou-se o aparecimento de alguns artefactos de quartzo, quartzito e sílex e um fragmento de cerâmica pré-histórica.

Cronologia:Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

15- BREJO REDONDO 1, Sines

Localização: 37°56'15.88"N; 8°49'50.70"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Em área plana e arenosa do sopé da encosta Sul dos Chãos, materiais líticos e cerâmicos dispersos. Prospecção do MAEDS.

Cronologia:Neolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico

 

16 - VALE MARIM 1, Sines

Localização: 37°56'12.06"N; 8°49'37.15"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Jazida localizada a cerca de 1 Km para SE do povoado do Neolítico antigo de Vale Pincel II. Ocupa uma vasta área (10 000 m2) plana e arenosa que se estende ao longo da arriba. A escavação forneceu elementos que permitem admitir que este espaço foi organizado através de diversos núcleos habitacionais. Foram identificadas estruturas domésticas (restos de uma possível cabana, lareiras e orifícios de poste). A industria lítica é de carácter microlítica e fácies geométrica, sobre suportes lamelares em sílex.

Cronologia:Mesolítico

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA, 1989; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981; Idem, 1984; Idem, 1987.

 

17 - PROVENÇA, Sines

Localização: 37°55'46.92"N; 8°47'17.69"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Necrópole de cistas (e respectivo povoado, muito destruído) da qual se escavaram cerca de 28 sepulturas. As cistas apresentam-se no interior de recintos tumulares de planta rectangular, limitado por lajes implantadas de cutelo, oferecendo o aspecto de favos. Designada também por necrópole do Montadinho. A sepultura n.º12 continha como espólio dois recipientes de cerâmica, um punhal de cobre, contas de mineral verde e uma conta em ouro espiralada. Contíguo à necrópole encontra-se o habitat, em área aberta e muito destruído, constituído por cabanas de planta rectangular.

Cronologia:Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: SANTOS et al., 1974; Idem, 1975; SCHUBART, 1975; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1980; Idem, 1981.

 

18 - CERRO DO BANHEIRO, Sines

Localização: 37°55'33.62"N; 8°48'14.90"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Sondagens antigas parecem revelar a existência de uma sepultura megalítica.

Cronologia:Neolítico Final

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981; SILVA, 1948.

 

19 - FOZ DA RIBEIRA DE MORGAVEL, Sines

Localização: 37°54'16.86"N; 8°47'56.19"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Área aplanada junto à arriba, imediatamente a sul da foz de ribeira de Morgavel. Referências a um depósito de cascalheira com seixos talhados e indústrias líticas de fácies mirense. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e (PNSACV).

Cronologia:Paleolítico (?) e Mesolítico (?)

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

20 - HERDADE DO GAIO, Sines

Localização: 37°54'13.87"N; 8°44'8.58"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Necrópole da 1ª Idade do Ferro, período orientalizante (séc. VII-VI a.C.). Forneceu joias de ouro (duas arrecadas, gargantilha, elementos de colar); contas oculadas de pasta vítrea, âmbar, cornalina, dois anforiscos em pasta vítrea.

Cronologia: I Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: BEIRÃO, 1986; BEIRÃO & GOMES, 1980; COSTA, 1967; Idem, 1974; MARIA BLASQUEZ, 1975; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981.

 

21 - PRAIA DE VALE FIGUEIRA, Porto Covo

Localização: 37°53'46.74"N; 8°47'49.37"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Indústrias microlíticas em grauvaque embaladas em nível de areias concrecionadas castanho-avermelhadas resultantes da alteração da duna consolidada Wurmiana, sobre a qual assenta directamente. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica do PNSACV.

Cronologia:Epipaleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

22 - PRAIA DA OLIVEIRINHA, Porto Covo

Localização: 37°53'38.01"N; 8°47'43.97"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Habitat em área plana situado sobre a vertente litoral. Nível com macro-utensilagem em grauvaque, possivelmente Epipaleolítico/Mesolítico sobre posto por nível do Neolítico antigo evolucionado. Identificada também uma curta ocupação do Bronze Médio, com intensa actividade de recolecção de marisco.

Cronologia:Epipaleolítico/Mesolítico, Neolítico antigo e Idade do Bronze médio.

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981; Idem, 1997.

 

23 - PRAIA DA FOZ 1, Porto Covo

Localização: 37°53'7.87"N; 8°47'40.83"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Referências há existência de indústrias líticas em grauvaque que afloram na arriba. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica do PNSACV.

Cronologia:Epipaleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

24 - MONTE DO BURRINHO, Porto Covo

Localização: 37°52'48.45"N; 8°47'32.48"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Vestígios de indústrias líticas em grauvaque, cuja atribuição ao Epipaleolítico é, por enquanto, provisória. Foram igualmente referenciados, neste local, fragmentos de esteios de sepulturas atribuídas à Idade do Bronze. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica do PNSACV.

Cronologia:Epipaleolítico (?) e Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

25 - BURRINHO, Porto Covo

Localização: 37°52'45.14"N; 8°47'44.72"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Pequeno esporão que limita a Norte a Praia do Burrinho. Materiais recolhidos à superfície.

Cronologia:Neolítico

Bibliografia / Fontes: Prospecção inédita do Centro de Documentação Arqueológica do PNSACV.

 

26 - SAMOUQUEIRA, Porto Covo

Localização: 37°52'9.52"N; 8°47'34.17"W (C.M.P. 1:25000, Folha 526)

Descrição: Jazida com dois núcleos de ocupação distintos: um do Mesolítico e outro do Neolítico Antigo. O primeiro («Samouqueira I») é constituído por um depósito rico em fauna malacológica, onde se encontram também presentes pinças de crustáceos, restos de peixes (dentes e vértebras) e de mamíferos terrestres (principalmente veado, javali e auroque). A indústria lítica é constituída por uma componente microlítica, de fácies geométrica, manufacturada a partir de rochas siliciosas, e por uma macrolítica, que utiliza sobretudo o grauvaque e a corneana como matérias-primas. Identificou-se também um enterramento. O segundo núcleo («Samouqueira II») apresentava materiais do Neolítico antigo, mas sem conservação de restos faunísticos.

Cronologia:Mesolítico e Neolítico antigo

Bibliografia / Fontes: SOARES, 1995; SOARES et al., 2005-07; TAVARES DA SILVA, 1989; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981; Idem, 1982; Idem, 1987; Idem, 1997; TAVARES DA SILVA et al., 2005-07.

 

27 - PORTO COVO, Porto Covo

Localização: 37°51'4.63"N; 8°47'39.73"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Achados dispersos ao longo da arriba. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica do PNSACV.

Cronologia:Paleolítico e Epipaleolítico

Bibliografia / Fontes: A.P.P.S.A.C.V., 1990; JORGE, 1973.

 

28 - CANICEIRA, Porto Covo

Localização: 37°50'35.48"N; 8°47'31.29"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Referências a achados dispersos ao longo da arriba. Observações e recolhas do Centro de Documentação Arqueológica da Costa Sudoeste.

Cronologia:Paleolítico e Epipaleolítico

Bibliografia / Fontes: A.P.P.S.A.C.V., 1990; JORGE, 1973.

 

29 - ILHA DO PESSEGUEIRO, Porto Covo

Localização: 37°49'58.77"N; 8°47'50.82"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Porto natural com estrato de ocupação da Idade do Ferro muito destruído. Identificadas inúmeras construções da Época Romana: habitações, armazéns, forno de cozer pão, forja, fábrica de salgas de peixe, balneário. Esta ilha, naviforme, orienta-se segundo a direcção N-S e possui cerca de 335m de comprimento e 235m de largura.

Cronologia:Idade do Ferro e Romano

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1988; TAVARES DA SILVA, 1983; TAVARES DA SILVA et al., 1976-82; Idem, 1980-81; Idem, 1982.

 

30 - PESSEGUEIRO (POVOADO E NECRÓPOLE), Porto Covo

Localização: 37°49'59.92"N; 8°47'10.53"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Extensa área plana com habitat, rodeado por núcleos de sepulturas de tipo cista. Necrópole proto-megalítica e sepulturas da Idade do Ferro.

Cronologia: Neolítico médio, Idade do Bronze e Idade do Ferro

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1979; Idem, 1980; Idem, 1981.

 

31 - FORTE DO PESSEGUEIRO, Porto Covo

Localização: 37°49'37.11"N; 8°47'30.77"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Formações quaternárias contendo indústrias líticas, subjacentes à duna consolidada sobre a qual foi construído o forte do Pessegueiro.

Cronologia:Paleolítico inferior

Bibliografia / Fontes: A.P.P.S.A.C.V., 1990; BREUIL & ZBYSZEWSKI, 1946; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981; ZBYSZEWSKI, 1943.

 

32 - MONTE DA ILHA, Porto Covo

Localização: 37°49'34.02"N; 8°47'2.12"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Habitat e necrópole situados numa área plana situada a Este do Forte do Pessegueiro. A estação encontra-se muito destruída devido à acção de lavouras mecanizadas.

Cronologia:Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Escavações arqueológicas pelo Grupo de Trabalhos de Arqueologia do GAS.

 

33 - VALE VISTOSO, Porto Covo

Localização: 37°49'20.89"N; 8°47'30.63"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Extenso povoado de ar livre com estruturas de combustão em uma área plana, situada sobre a vertente litoral, na margem direita do Barranco do Queimado. Sobre pequeno promontório, ocupação do Horizonte Campaniforme, com cerâmica campaniforme incisa.

Cronologia:Neolítico antigo evolucionado e Horizonte Campaniforme/Bronze antigo

Bibliografia / Fontes: JORGE, 1973; SOARES & TAVARES DA SILVA, 1976-77; Idem, 1977; Idem, 2003; TAVARES DA SILVA, 1989; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981; Idem, 1982; Idem, 1987.

 

34 - GRUTA-ABRIGO DO VIDIGAL, Porto Covo

Localização: 37°49'11.52"N; 8°46'25.13"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Localiza-se em afloramento calcário, na vertente que se abre a NE, dominando o vale do Barranco do Queimado. Trata-se de uma gruta utilizada como abrigo e necrópole durante o Neolítico.

Cronologia:Neolítico

Bibliografia / Fontes: SOARES & TAVARES DA SILVA, 2003.

 

35 - VIDIGAL, Porto Covo

Localização: 37°49'8.26"N; 8°46'29.19"W (C.M.P. 1:25000, Folha 535)

Descrição: Concheiro com uma área estimada em 5000 m2. Foram identificadas três áreas funcionalmente distintas. Os restos faunísticos recuperados indicam uma economia de largo espectro, com predomínio da pesca e da recolecção de moluscos marinhos, completada pela caça de auroques, veados e javalis. A indústria lítica é de carácter lamelar e fácies geométrica. A datação radiométrica obtida aponta parta uma cronologia que abrange o Mesolítico e o Neolítico antigo regional.

Cronologia:Mesolítico e Neolítico antigo (?)

Bibliografia / Fontes: BICHO, 2000; SOARES, 1992; Idem, 1995; SOARES & TAVARES DA SILVA, 2003; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981.

 

Principal Bibliografia Arqueológica do Concelho de Sines

ALARCÃO, J. (1988) - Roman Portugal. Warminster.

ALMEIDA, F. de (1962) - Arte Visigótica em Portugal. O Arqueólogo Português, 4, Nova Série. Lisboa, p. 236.

Área de Paisagem Protegida do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (A.P.P.S.A.C.V.) (1990).

BEIRÃO, C. de Mello (1986) - Une Civilisation Protohistorique du Sud du Portugal (Ier Âge du Fer). Paris: Éditions du Boccard.

BEIRÃO, C. de Mello; GOMES, M. V. (1980) - A I Idade do Ferro no Sul de Portugal. Epigrafia e Cultura. Lisboa: Secretaria de Estado da Cultura/MNAE.

BICHO, N. F. (2000) - O processo de neolitização na Costa Sudoeste. Actas do 3º Congresso de Arqueologia Peninsular. Neolitização e Megalitismo da Península Ibérica. Vila Real 1999, 3. Porto: ADECAP, p. 11-22.

BREUIL, H.; ZBYSZEWSKI, G. (1946) - Contribution à I'étude des industries paléolithiques des plages quaternaires de I'Alentejo littoral. Com. Servo Geol. Port., 27, p. 269-334.

COELHO-SOARES, A. (1987) - Materiais arqueológicos da Courela dos Chãos (Sines). Setúbal Arqueológica, 8, p.193-202.

COSTA, J. M. M. (1967) - O tesouro Fenício ou Cartaginês do Gaio (Sines). Ethnos, 5, p. 529-537.

COSTA, J. M. M. (1974) - O tesouro púnico-tartéssico do Gaio. Actas das II Jornadas da Associação dos Arqueólogos Portugueses. Lisboa: Associação dos Arqueólogos Portugueses, p. 97-120.

ENCARNAÇÃO, J. (1984) - Inscrições romanas do conventus pacensis. Subsídios para o estudo da romanização. Coimbra.

FERREIRA, C. J. A.; LOURENÇO, F. S.; TAVARES DA SILVA, C. & SOUSA, P. (1993) - Património Arqueológico do Distrito de Setúbal. Subsídios para uma carta arqueológica. Setúbal: Associação de Municípios do Distrito de Setúbal, 373 pp..

JORGE, V. de Oliveira (1973) - Novas estações préhistóricas do litoral de Porto Covo (Sines): notícia preliminar. Actas das 2ªs Jornadas Arqueológicas, Lisboa, 1972., 1. Lisboa: Associação dos Arqueólogos Portugueses, p. 61-107.

MARIA BLASQUEZ, J. (1975) - Diccionario de las religiones prerromanas de Hispania. Madrid.

PONTE, Salete da (1983) - As das fíbulas do Distrito de Setúbal. O Arqueólogo Português, 1, S. 4. Lisboa, p. 315-322.

ROCHE, J. (1960) - L'industrie mesolithique du Cap Sines (Portugal). Actes du VI Congres International des Sciences Anthropologiques et Ethnologiques, 1-2. Paris, p. 459-463.

SANTOS, M. Farinha dos; SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (1974) - Necrópole da Provença (Sines): campanha de escavações de 1972. Arqueologia e História, 5, S. 9. Lisboa, p. 69-99.

SANTOS, M. Farinha dos; SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (1975) - A necrópole da Idade do Bronze da Provença (Sines, Portugal): nota preliminar. Actas del XIII Congreso Nacional de Arqueologia. Zaragoza, p. 417-432.

SCHUBART, H. (1975) - Die Kultur der Bronzezeit im Sudwesten der Iberischen Halbinsel. Berlin: Walter de Gruyter & Co.

SILVA, J. Gualberto da Cruz e (1948) - Apontamentos para a préhistória de Sines: O cerro do Banheiro. Ethnos, 3. Lisboa, p. 313-317.

SOARES, J. (1992) - Les territorialités produites sur le litoral centre-sud du Portugal au cours du processus de néolithisation. Setúbal Arqueológica, 9-10. Setúbal, p. 17-35.

SOARES, J. (1995) - Mesolítico-Neolítico na Costa Sudoeste: transformações e permanências. Trabalhos de Antropologia e Etnologia, 35 (2). Porto, p. 27-45.

SOARES, J. (1996) - Padrões de povoamento e subsistência no Mesolítico da Costa Sudoeste portuguesa. Zephyrus, 49. Salamanca, p. 109-124.

SOARES, J. (1997) - A transição para as formações sociais neolíticas na Costa Sudoeste portuguesa. In O Neolítico atlântico e as orixes do Megalitismo. Santiago de Compostela: Universidade, p. 587-608.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (1977) - Cerâmica campaniforme de Vale Vistoso (Porto Covo, Sines). Setúbal Arqueológica, 2-3. Setúbal, p. 163177.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (1979) - Alguns aspectos do Neolítico Antigo do Alentejo Litoral. Actas da Iª Mesa Redonda sobre o Neolitico e o Calcolítico em Portugal, (Trabalhos do Grupo de Estudos Arqueológicos do Porto, 3). Porto, p. 9-50.

SOARES, J.; TAVARES DA SILVA, C. (1993) - Na transição Plistocénico-Holocénico: Marisqueio na Pedra do Patacho. Almadan, 2, S. 2. Almada, p. 21-29.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (1995) - O Alentejo Litoral no contexto da Idade do Bronze do Sudoeste Peninsular. In A Idade do Bronze em Portugal. Discursos de Poder. Lisboa: Museu Nacional de Arqueologia, p.136-139.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (2003) - A transição para o Neolítico na costa sudoeste portuguesa. In Muita gente, poucas antas?. Origens, espaços e contextos do Megalitismo. Actas do II Colóquio Internacional sobre Megalitismo (Trabalhos de Arqueologia, 25). Lisboa: Instituto Português de Arqueologia, p. 45-56.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (2004) - Alterações ambientais e povoamento na transição Mesolítico-Neolítico na Costa Sudoeste. Actas do Colóquio Evolução Geohistórica do Litoral Português e Fenómenos Correlativos. Lisboa: Universidade Aberta, p. 197-423.

SOARES, J.; TAVARES DA SILVA, C. & CANILHO, M. H. (2005/07) - Matérias-primas minerais e mobilidade logística no Mesolítico da Costa Sudoeste. Os sítios de Samouqueira I e Armação Nova. MUSA, 2. Setúbal: MAEDS, p. 47-66.

TAVARES DA SILVA, C. (1982) - Defesa do Património arqueológico na área de Sines. Almadan, 0, S. 1.Almada, p. 11-14.

TAVARES DA SILVA, C. (1983) - Escavações arqueológicas na ilha do Pessegueiro. Al. Madan, 2, p. 20-22.

TAVARES DA SILVA, C. (1989) - Novos dados sobre o Neolítico antigo do Sul de Portugal. Arqueologia, 20, p. 24-32.

TAVARES DA SILVA, C. & COELHO-SOARES, A. (2006) - Produção de Preparados Piscícolas na Sines Romana. Actas do Simpósio Internacional “Produção e Comércio de Preparados Piscícolas Durante a Proto-História e a Época Romana no Ocidente da Península Ibérica” (Setúbal Arqueologica, 13). Setúbal: MAEDS, p. 101-122.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1976-77) - Contribuição para o conhecimento dos povoados calcolíticos do Baixo Alentejo e Algarve. Setúbal Arqueológica, 2-3. Setúbal: MAEDS, p. 179-272.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1979) - O monumento I da necrópole do Bronze do Sudoeste do Pessegueiro (Sines). Setúbal Arqueológica, 5. Setúbal: MAEDS, p. 121-153.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1980) - Cemitérios de cistas da Idade do Bronze da Área de Sines. Arqueologia, 1, p. 24-28.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1981) - Pré-história da Área de Sines. Lisboa: Gabinete da Área de Sines.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1982) - Des structures d'habitat du Néolithique ancien au Portugal. Actes du Colloque International de Prehistoire, Montpellier (1981).

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1984) - A estratégia do povoamento de Chãos de Sines durante a Pré-história. In volume d’hommage ou géologue G. Zbyszeweski. Paris: Ed. Recherche sur les Civilisations, p. 393-410.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1987) - Les communautés du Néolithique Ancien dans le Sud du Portugal. Prémières Communautés Paysannes en Méditerranée Occidentale. Actes du Colloque International du C.N.R.S., Montpellier, 198). Paris, p. 663-671.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1993) - Ilha do Pessegueiro. Porto Romano da Costa Alentejana. Lisboa: Instituto de Conservação da Natureza.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1997) - Economias costeiras na Pré-história do Sudoeste Português: o concheiro de Montes de Baixo. Setúbal Arqueológica, 11-12. Setúbal: MAEDS, p. 69-108.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1997a) - A Ilha do Pessegueiro na Época Romana. In Portugal Romano. A Exploração dos Recursos Naturais. Lisboa: MNA, p. 62-64

TAVARES DA SILVA, C; SOARES, J. & CANILHO, H. (2005-07) - Matérias-primas minerais e mobilidade logística no Mesolítico da Costa Sudoeste. Os sítios de Samouqueira e Armação Nova. MUSA. Museus, Arqueologia e Outros Patrimónios, 2. Setúbal: MAEDS, p. 47-62.

TAVARES DA SILVA, C; SOARES, J. & COELHO-SOARES, A. (1982) - Escavações arqueológicas na ilha do Pessegueiro (3ª campanha, 1982). Clio, 4, p. 165-183.

TAVARES DA SILVA, C. SOARES, J. & DIAS, L. F. (1980-81) - Trabalhos arqueológicos na Ilha do Pessegueiro (1980). Setúbal Arqueológica, 6-7. Setúbal: MAEDS, p. 219-247.

TAVARES DA SILVA, C.; SOARES, J. & PENALVA, C. (1985) - Para o estudo das comunidades neolíticas do Alentejo litoral: o concheiro do Medo Tojeiro. Arqueologia, 11. Porto, p. 5-15.

TAVARES DA SILVA, C.; SOARES, J.; DIAS, L. F. & COELHO-SOARES, A. (1976-82) - Escavações arqueológicas na ilha do Pessegueiro (Sines). Notícia da 2ª campanha (1981). Arquivo de Beja, 1, S. 2, p. 11-45.

TAVARES DA SILVA, C. et al. (2010) - Arqueologia de Chãos de Sines. Novos elementos sobre o povoamento pré-histórico. Actas do II Encontro de História do Alentejo Litoral. Sines: Centro Cultural Emmérico Nunes, p. 10-33.

VASCONCELOS, J. Leite de (1897) - Religiões da Lusitânia, 1. Lisboa.

VASCONCELOS, J. Leite de (1914) - Excursão archeologica à Extremadura Transtagana - Alcácer do Sal. O Arqueólogo Português, 19 (7-12), S.1. Lisboa, p. 300-308.

ZBYSZEWSKI, G. (1943) - La classification du Paleolithique ancien et la chronologie du Quaternaire au Portugal en 1942. Bol. Soc. Geol. Portugal, 1, fasc. 2-3,112 pp.

Add new comment