Inventário do Património Arqueológico de Aljezur

Compilação de Carlos Tavares da Silva1

Joaquina Soares1

Susana Duarte1

Ana Paula Covas1

1Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal.

1 - ODECEIXE 2, Odeceixe

Localização: 37°25'56.60"N; 8°46'17.12"W(C.M.P. 1:25.000, Folha 568)

Descrição: Silos que possivelmente se encontram destruídos.

Cronologia: Medieval Cristão.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

2 - ODECEIXE 1, Odeceixe

Localização: 37°25'54.90"N; 8°46'19.09"W(C.M.P. 1:25.000, Folha 568)

Descrição: Estação de ar livre localizada em terraços fluviais.

Cronologia: Paleolítico Inferior.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

3 - PORTO DA TORRE 1, Odeceixe

Localização: 37°25'50.63"N; 8°45'8.86"W (C.M.P. 1:25.000, Folha 568)

Descrição: Calçada.

Cronologia: Romano e Medieval Cristão.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

4 - TORRE DE ODECEIXE, Odeceixe

Localização: 37°25'45"N; 8°45'20"W (C.M.P. 1:25.000, Folha 568)

Descrição: Dispositivo defensivo muçulmano constituído por recinto com planta de forma circular, anexo a torreão, também de planta circular.

Cronologia: Muçulmano.

Bibliografia / Fontes: GOMES & GOMES, 2011, p. 71-87.

5 - ROGIL, Rogil

Localização: 37°22'16.81"N; 8°47'57.12"W(C.M.P. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Foram identificados vestígios avulsos durante a abertura dos alicerces de uma casa.

Cronologia: Calcolítico, Idade do Bronze e Romano.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

6 - CORTE DO SOBRO, Aljezur

Localização: 37°21'29.11"N; 8°44'43.38"W(C.M.P. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Mina de ferro onde foram encontrados artefactos de cobre.

Cronologia: Idade do Ferro e Romano.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

7 - CALIÇO, Rogil

Localização: 37°21'26.08"N; 8°47'9.71"W (C.M.P. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Quatro sepulturas.

Cronologia: Indeterminada.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

8 - MOLEDOS, Aljezur

Localização: 37°21'24.18"N; 8°46'45.41"W(C.M.P. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Notícia de uma cista de seis lajes onde se encontraram tijolos de barro grosseiro e fragmentos de ossos.

Cronologia: Indeterminada.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

9 - CHARNECA DO FALCATO, Aljezur

Localização: 37°21'11.21"N; 8°49'37.67"W(C.M.P. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Menir.

Cronologia: Neo-Calcolítico.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

10 - ARREGATA 1, Rogil

Localização: 37°21'12.55"N; 8°47'15.72"W(CMP. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Mina de cobre.

Cronologia: Romano.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

11 - ARREGATA 2, Rogil

Localização: 37°21'14.11"N; 8°47'13.74"W(CMP. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Conjunto de sepulturas em cista, formada por lajes de ardósia. Continham fragmentos de ossos.

Cronologia: Idade do Bronze.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

12 - MINA DO VIDIGAL, Aljezur

Localização: 37°21'12.91"N; 8°46'40.23"W(CMP. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Existem referências escritas quanto à existência de ruínas de edifícios e de uma mina de cobre. Foram encontrados fragmentos de cerâmica medieval e uma cabeça de machado tipo "mirense".

Cronologia: Mesolítico e Romano.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

13 - VIDIGAL2, Aljezur

Localização: 37°21'11.25"N; 8°46'35.09"W(CMP. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Mina.

Cronologia: Romano.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

14 - PENDURADOURO, Aljezur

Localização: 37°20'55.18"N; 8°50'59.07"W(CMP. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Povoado Fortificado.

Cronologia: Idade do Ferro.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

15 – MEDO DO ESPARTAL, Aljezur

Localização: 37°20'35.51"N; 8°51'1.14"W(CMP. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Provável depósito votivo em falésia situada junto à linha de costa. Em momentos distintos foram encontrados lâmina de faca ainda com os rebites de encabamento e um fragmento correspondente à extremidade distal de lâmina de espada.

Cronologia: Bronze Final.

Bibliografia / Fontes: GOMES, 2006; idem 2011; OLIVEIRA, 2013.

 

Punhal de rebites (8) e ponta de espada com nervura central bem marcada. Proveniente de Medo do Espartal (Aljezur). Seg. Gomes, 2006, p. 159, fig. 2; 2011, p. 166, fig. 3; 2015, p. 125, fig. 136.

16 - CARVALHAL, Aljezur

Localização: 37°20'28.81"N; 8°47'22.41"W(CMP. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Foram encontrados 6 machados do calcolítico inicial e médio.

Cronologia: Calcolítico.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

17 - CORTE CABREIRA 1, Aljezur

Localização: 37°20'19.57"N; 8°44'24.30"W(CMP. 1:25.000, Folha 576)

Descrição: Necrópole de cistas e sepulturas escavadas na rocha.

Cronologia: Idade do Bronze.

Bibliografia / Fontes: GAMITO, 1997; idem, 2004; GAMITO et al., 1991.

 

Aspecto geral da Necrópole de Corte Cabreira 1 (Aljezur), da Idade do Bronze. Túmulo central, recinto de rituais e cistas. Apud Gamito, 1997, p. 223.

18 - CORTE CABREIRA 2, Aljezur
Localização: 37°20'12.68"N; 8°44'17.80"W (CMP. 1:25.000, Folha 576)
Descrição: Tholos. Monumento constituído por uma câmara sub-circular com cerca de 3 metros de diâmetro, formada por lajes de xisto, um corredor com cerca de 2,5m de comprimento e 0,8 de largura.
Cronologia: Calcolítico.
Bibliografia / Fontes: Endovélico

19 - CORTE CABREIRA 3, Aljezur
Localização: 37°20'10.41"N; 8°44'24.63"W (CMP. 1:25.000, Folha 576)
Descrição: Vicus. Estruturas de habitação e tegulae. Parece existir também telha do período medieval.
Cronologia: Romano e Medieval Cristão.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

20 - PRAIA DO MONTE CLÉRIGO, Aljezur
Localização: 37°19'59.98"N; 8°51'16.85"W (CMP. 1:25.000, Folha 576)
Descrição: Estação ao ar livre na praia. Galeria sob uma duna consolidada.
Cronologia: Paleolítico e Mesolítico.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

21 - MONTE CLÉRIGO 3, Aljezur
Localização: 37°20'0.21"N; 8°50'38.26"W (CMP. 1:25.000, Folha 576)
Descrição: Foram descobertos dois silos.
Cronologia: Medieval Islâmico.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

22 - SAMOUCAL, Aljezur
Localização: 37°19'51.72"N; 8°51'41.14"W (CMP. 1:25.000, Folha 575)
Descrição: Vestígios diversos.
Cronologia: Romano.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

23 - MONTE CLÉRIGO 2, Aljezur
Localização: 37°19'29.43"N; 8°50'32.89"W (CMP. 1:25.000, Folha 576)
Descrição: Necrópole.
Cronologia: Indeterminado.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

24 - LOMBA DA CASA ALTA, Aljezur
Localização: 37°19'20.27"N; 8°48'56.34"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Vestígios de estruturas e cerâmica.
Cronologia: Medieval Islâmico.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

25 - BARRANCO DA FIGUEIRA, Aljezur
Localização: 37°19'20.84"N; 8°43'59.37"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Possível tholos na linha de cumeada.
Cronologia: Calcolítico.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

26 - MEDO DA FONTE SANTA, Aljezur
Localização: 37°19'38.28"N;  8°51'55.51"W (CMP. 1:25.000, Folha 575)
Descrição: O concheiro epipaleolítico do Medo da Fonte Santa, ainda inédito e em estudo por Joaquina Soares e Carlos Tavares da Silva, forneceu um conjunto faunístico constituído exclusivamente por invertebrados marinhos, com as espécies Patella sp. e Littorina litorea, de águas frias. Possui apenas um fino nível de ocupação humana, indício de estada de curta duração.
Cronologia: Epipaleolítico inicial.
Bibliografia / Fontes: Prospecção inédita do MAEDS.

27 - RIBAT DA ARRIFANA, Aljezur
Localização: 37°19'13.20"N; 8°52'34.01"W (CMP. 1:25.000, Folha 583A)
Descrição:. Convento islâmico, localizado na Ponta da Atalaia, cerca de 6Km, a poente, de Aljezur, fundado por Ibn Qasi em 1130 com objectivo de preparar monges guerreiros para a guerra santa. Foram identificados testemunhos arquitectónicos que evidenciam um espaço hierarquizado quer em termos funcionais como simbólicos.
Cronologia: Medieval islâmico.
Bibliografia / Fontes: GOMES, 2006; GOMES & GOMES, 2004; idem, 2004a; idem, 2005; idem 2005a; idem, 2005b; idem, 2006; idem, 2007; idem, 2011.

28 - ALJEZUR 6, Aljezur
Localização: 37°19'10.69"N; 8°48'15.61"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Silos que se encontram-se cobertos com cimento.
Cronologia: Medieval Cristão.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

29 - ALJEZUR 4, Aljezur
Localização: 37°19'10.80"N; 8°48'15.84"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Existência de "mualle" com argolas. (Cais para atracação de barcos).
Cronologia: Romano.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

30 - SÍTIO DA BARRADA, Aljezur
Localização: 37°19'11.25"N; 8°47'50.40"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Foram identificados hipogeus e vários silos com materiais datados dos séculos IX a XI.
Cronologia: Neo-Calcolítico e Islâmico
Bibliografia / Fontes: BARRADAS et al., (2013).

31 - ALDEIA NOVA, Aljezur
Localização: 37°19'10.98"N; 8°47'24.87"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Em cortes no terreno para extracção de cascalho, foram encontrados  vários artefactos líticos ainda "in situ".
Cronologia: Paleolítico.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

32 - MARGALHO, Aljezur
Localização: 37°19'4.93"N; 8°45'45.27"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Mina onde foram encontrados objectos de cobre.
Cronologia: Neo-Calcolítico e Romano.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

33 - PENEDO, Aljezur
Localização: 37°19'5.94"N; 8°45'37.16"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Mina. No interior foram encontrados vários objectos em bronze.
Cronologia: Calcolítico.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

34 - ALJEZUR 3, Aljezur
Localização: 37°18'57.97"N; 8°48'22.00"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Necrópole. Covas artificiais do bronze inicial e várias sepulturas do tipo argárico, foram exploradas por Estácio da Veiga.
Cronologia: Idade do Bronze.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

35 - VÁRZEA DA MISERICÓRDIA, Aljezur
Localização: 37°18'57.76"N; 8°48'18.59"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Neste local foi também encontrado um capacete em bronze.
Cronologia: Idade do Ferro.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

36 - ALJEZUR 1, Aljezur
Localização: 37°18'59.18"N; 8°47'43.83"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Necrópole.
Cronologia: Neolítico.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

37 - CASTELO DE ALJEZUR, Aljezur
Localização: 37°18'59.05"N; 8°48'19.03"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: A fortificação medieval sofreu várias destruições, quer de cariz florestal, quer de cariz construtivo, o que conduziu a um grande remeximento das terras tornando assim possível visualizar numerosos fragmentos cerâmicos e restos de alimentação, mamalógicos e malacológicos. O castelo de Aljezur constitui uma realidade complexa, tendo as escavações recentes identificado um castelo de raiz muçulmana, com uma sucessão de ocupações que remontam ao Bronze Final e incluem a Idade do ferro e período romano republicano. As estruturas mais significativas são a cisterna árabe e alguns vestígios medievais, que embora arrasados pelo terramoto de 1755, conservam-se ainda alguns planos de muralha e duas torres de configuração octogonal.
Cronologia: Romano, Medieval Islâmico e Cristão.
Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & GOMES, 2002.

38 - IGREJA DE Nª SRª de ALVA/IGREJA NOVA - LARGO 1º DE MAIO, Aljezur
Localização: 37°19’3"N; 8°47'21"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Necrópole. Sepulturas escavadas na rocha.
Cronologia: Calcolítico.
Bibliografia / Fontes: BARRADAS et al., (2013).

39 - ALJEZUR 3, Aljezur
Localização: (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Embora P. L. Cardoso, S. Lopes e Pinho Leal, se refiram a antiguidades romanas neste local, Estácio da Veiga aponta apenas a descoberta de objectos isolados.
Cronologia: Romano.
Bibliografia / Fontes: Endovélico.

40 - VALE DA TELHA, Aljezur
Localização: 37°18'42.20"N; 8°51'1.05"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Presença de diversos machados de tecnologia mirense descontextualizados.
Cronologia: Mesolítico.
Bibliografia / Fontes: RAPOSO & PENALVA, 1987.

41 - NECRÓPOLE E POVOADO DO VALE DA TELHA, Aljezur
Localização: 37°18'50"N; 8°50'50"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)
Descrição: Necrópole composta por 18 sepulturas, constituídas por câmaras funerárias de tipo cista, de planta rectangular e de pequenas dimensões (p. ex. 1,36m x 0,72m), em geral construídas em xisto e cobertas por tumuli, limitados por pequenos esteios que definem recintos de planta quer rectangular quer subcircular. A necrópole organiza-se em dois monumentos funerários; em cada um pode observar-se uma sepultura central, fundadora, a partir da qual se agregam as restantes. Mau grado o péssimo estado de conservação do espólio bioantropológico é possível afirmar que o ritual funerário terá sido a inumação em decúbito lateral e posição fetal. O mobiliário funerário permite admitir a existência de desigualdades sociais entre os inumados. As raras peças metálicas surgidas (punções) são de cobre arsenical. Confinando com a necrópole desenvolve-se o povoado, aberto, com estruturas domésticas perecíveis, tal como já observado na região de Sines.
Cronologia: Idade do Bronze - Médio (ca 1500-1300/1200 a.C.).
Bibliografia / Fontes: Gomes, 2015.

Planta da necrópole de Vale da Telha. Seg. Gomes, 2015, p. 13, fig. 10.

Braçal de arqueiro da Sepultura 12 da necrópole de Vale da Telha. Seg. Gomes, 2015, p. 30, fig. 44.

Punções em cobre arsenical. Necrópole do Vale da Telha. Seg. Gomes, 2015, p. 21, fig. 21 e p. 33, fig. 50.

Taças e recipientes fechados, carenados e de colo estrangulado, imitando formas metálicas. Provenientes da necrópole de Vale da Telha. Seg. Gomes, 2015, p. 86, fig. 104.

Taças de carena média e alta. Povoado de Vale da Telha. Seg. Gomes, 2015, p. 38, fig. 63.

Taças hemisféricas. Povoado de Vale da Telha. Seg. Gomes, 2015, p. 42, fig. 66.

Queijeira. Povoado de Vale da Telha. Seg. Gomes, 2015, p. 50, fig. 74.

Quadro com a morfologia e funções dos recipientes cerâmicos da necrópole e povoado de Vale da Telha.

Seg. Gomes, 2015, p. 108, fig. 123.

42 - VALE DA MAIA/ARRIFES DO POÇO, Aljezur

Localização: 37°18'28.79"N; 8°48'11.30"W(CMP. 1:25.000, Folha 584)

Descrição: Necrópole. Foi recolhido espólio cerâmico, uma pequena urna de barro negro e um vaso meleiro.

Cronologia: Idade do Ferro.

Bibliografia / Fontes: GOMES, 2007.

43 - MONTE DA VÁRZEA, Aljezur

Localização: 37°18'13.97"N; 8°47'44.63"W(CMP. 1:25.000, Folha 584)

Descrição: Anta. Sepulcro de câmara circular. No interior foram encontrados diversos materiais entre os quais uma placa de ardósia objectos cerâmicos, lâminas em sílex, um vaso carenado e um botão em osso.

Cronologia: Neo-Calcolítico e Idade do Bronze.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

44 - PALMEIRINHA DO PICÃO, Aljezur

Localização: 37°17'52.41"N; 8°51'17.69"W(CMP. 1:25.000, Folha 583A e 584)

Descrição: Neste local foram encontrados vários fragmentos de machados o que faz supor ter existido no local uma oficina de talhe.

Cronologia: Mesolítico.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

45 - ARRIFANA, Aljezur

Localização: 37°17'44.77"N; 8°52'30.81"W (CMP. 1:25.000, Folha 583A)

Descrição: Fortificação. Pequena parte da muralha que seria a porta.

Cronologia: Medieval Islâmico.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

46 - ALCARIA, Aljezur

Localização: 37°17'18.37"N; 8°49'9.51"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)

Descrição: Conjunto de sepulturas de inumação abertas no calcário, seis encontravam-se intactas.

Cronologia: Indeterminado.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

47 - BEMPARECE, Aljezur

Localização: 37°16'15.40"N; 8°48'38.42"W(CMP. 1:25.000, Folha 584)

Descrição: Sepultura.

Cronologia: Indeterminado.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

48 - ALJEZUR 2, Aljezur

Localização: 37°15'39.86"N; 8°48'13.81"W(CMP. 1:25.000, Folha 584)

Descrição: Sepultura escavada na rocha.

Cronologia: Calcolítico.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

49 - FERRARIAS, Aljezur

Localização: 37°14'55.79"N; 8°50'37.52"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)

Descrição: Necrópole. Foram também encontrados fragmentos de cerâmica, entre os quais sigillata.

Cronologia: Calcolítico, Idade do Bronze e Romano.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

50 - PRAIA DE VALE FIGUEIRAS, Bordeira

Localização: 37°14'54.70"N; 8°52'0.02"W (CMP. 1:25.000, Folha 583A)

Descrição: Concheiro de que resta apenas uma pequena área devido à erosão eólica da zona. Situa-se numa pequena falésia por cima do areal da praia. Encontrou-se um nível bem delimitado no corte, coma presença de lapas, mexilhão e Monodonta. Não foram encontrados artefactos. Este sítio é provavelmente de cronologia Mesolítica.

Cronologia: Mesolítico.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

51 - CHABOUCO 1, Bordeira

Localização: 37°14'13.76"N; 8°49'57.36"W (CMP. 1:25.000, Folha 584)

Descrição: Tholos.

Cronologia: Calcolítico.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

52 - CHABOUCO 2, Bordeira

Localização: 37°14'8.24"N; 8°49'54.36"W(CMP. 1:25.000, Folha 584)

Descrição: Sepultura.

Cronologia: Indeterminado.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

53 - MALHADA DA CERVA, Bordeira

Localização: 37°13'41.83"N; 8°51'19.26"W(CMP. 1:25.000, Folha 592 e 593)

Descrição: Povoado do período Islâmico. No local foi encontrado um machado de tipo "mirense" e "tegulae".

Cronologia: Pré-história de época indeterminada, Romano e Medieval Islâmico.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

54 - ALÉM DA ESTRADA 2, Bordeira

Localização: 37°13'37.79"N; 8°52'20.19"W(CMP. 1:25.000, Folha 592)

Descrição: Necrópole.

Cronologia: Indeterminado.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

55 - CORTE DE PÈRE JACQUES, Bordeira

Localização: 37°11'50.02"N; 8°46'59.74"W(CMP. 1:25.000, Folha 593)

Descrição: Sepulturas onde foram encontradas 6 contas de vidro, negras e 53 de vidro azul e 1 estela epigrafada com escrita do sudoeste.

Cronologia: 1ª Idade do Ferro.

Bibliografia / Fontes: CORREIA, 1996.

Estela epigrafada com escrita do Sudoeste de Corte de Pére Jacques, com 0,97mx0,32mx 0,12m, em xisto. Apud Correia, 1996.

56 - BORDEIRA, Bordeira

Localização: 37°11'48.32"N; 8°51'38.44"W(CMP. 1:25.000, Folha 592)

Descrição: Silo de planta circular.

Cronologia: Medieval Islâmico.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

57 - CARRAPATEIRA 1, Bordeira

Localização: 37°11'2.07"N; 8°53'47.68"W(CMP. 1:25.000, Folha 592)

Descrição: Achados de superfície, tendo sido destruído em 1989.

Cronologia: Paleolítico.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

58 - PONTA DO CASTELO (Carrapateira), Bordeira

Localização: 37°10'23.16"N; 8°54'28.09"W(CMP. 1:25.000, Folha 592)

Descrição: Assentamento sazonal de pescadores situado num pequeno cabo que termina em arriba sobre o mar. Foram identificadas (e são visíveis) restos de estruturas habitacionais, tendo-se recolhido espólio atribuível aos séculos XII e XIII.

Cronologia: Medieval Islâmico.

Bibliografia / Fontes: GOMES, 2010; GOMES, ASSUNÇÃO, MIRANDA, 2001.

59 - CARRAPATEIRA, Bordeira

Localização: 37° 9'47.04"N; 8°54'15.01"W(CMP. 1:25.000, Folha 592)

Descrição: Silo.

Cronologia: Medieval Islâmico.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

60 - PRAIA DA MURRAÇÃO, Bordeira

Localização: 37° 9'20.76"N; 8°54'33.42"W(CMP. 1:25.000, Folha 592)

Descrição: Trata-se de concheiros espacialmente organizados em dois sectores distintos, separados por uma pequena linha de água, com uma localização sobranceira à praia com o mesmo nome. Implantam-se sobre cornijas xistosas em base de vertente norte, que é bastante abrupta, encontrando-se os materiais em depósitos arenosos acumulados no sopé das referidas vertentes. Os materiais são exclusivamente compostos por fauna malacológica sem qualquer associação artefactual.

Cronologia: Indeterminado.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

61 - MURRAÇÃO, Bordeira

Localização: 37° 9'18.15"N; 8°54'17.08"W(CMP. 1:25.000, Folha 592)

Descrição: Não há a certeza de terem sido encontrados vestígios arqueológicos neste local. Estácio da Veiga refere ter observado alicerces e grossas paredes mais a norte. Foi-lhe dito por um habitante local que destruiu um tanque em "opus signinum". Refere também a existência de uma mina de magnésio.

Cronologia: Calcolítico e Romano.

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

Principal Bibliografia Arqueológica do Concelho de Aljezur

AZUAR RUIZ, R. (2008) - O contributo da Arqueologia para o estudo dos Ribāt-s do Al-Andalus. In Ribāt da Arrifana. Cultura material e espiritualidade. Aljezur: Associação de Defesa do Património Histórico e Arqueológico de Aljezur e Município de Aljezur, p. 29-36.

BARRADAS, E.; SILVÉRIO, S.; SILVA, M.J. & SANTOS, C. (2013) - Hipogeu da Barrada - um monumento funerário do Neolítico final/Calcolítico inicial em Aljezur. Actas do I Congresso de Arqueologia da Associação dos Arqueólogos Portugueses (21 a 24 de Novembro de 2013). Lisboa: A.A.P., p. 407-415.

CARDOSO, J. M. (1988) – Relatório. Subsídios para a Carta Arqueológica de Aljezur. Espaço Cultural, 3, p. 19-41.

CORREIA, V. H. (1996) - A epigrafia da Idade do Ferro do Sudoeste da Peninsula Ibérica (Patrimonium/Arqueologia, 1). Porto: Edições Etnos.

FERREIRA, O. V.; ZBYSZEWSKI, G.; LEITÃO, M. & SOUSA, H.R. (1975) - Le monument mégalithique de Pedra Branca auprès de Montum (Melides). Comunicações dos Serviços Geológicos de Portugal, T. 59. Lisboa, p. 107-192.

GAMITO, T. J. (1997) - A civilização do Bronze no Algarve. In M. F. Barata (coord.), Noventa séculos entre a serra e o mar. Lisboa: Instituto Português do Património Arquitectónico, p. 221-242.

GAMITO, T. J. (2004) – A necrópole de Corte Cabreira: contributo das escavações de 1995. Actas do II Encontro de Arqueologia do Sudoeste Peninsular (Promontoria Monográfica, 1). Faro Universidade do Algarve, p. 25-32.

GAMITO, T.J.; ARNAUD, J. M. & MURALHA, J. (1991) – Relatório das escavações de emergência realizadas em 1990, em Corte Cabreira – Aljezur. Espaço Cultural, 6, p. 47-66.

GOMES, M. V. (2006) - Ibn Qasī – Memória, do pensamento e acção, do mestre sufi da Arrifana. Al –Rihana, 2. Aljezur, p. 17 -44.

GOMES, M. V. (2006a) - Faca da Idade do Bronze do Medo do Espartal (Aljezur). Al-Rihana, 2, p.157-165.

GOMES, M. V. (2007) - Vaso Meleiro, de Idade sidérica, dos Arrifes do Poço (Aljezur, Algarve) - Notícia da escavação de 1991. Actas das V Jornadas Arqueológicas da Associação dos Arqueólogos Portugueses. Lisboa, p. 79-91.

GOMES, M. V. (2011) - Fragmento de Espada da Idade do Bronze Final do Medo do Espartal (Aljezur). Al-Rihana, 5, p. 163-172.

GOMES, M. V. (2015) – The Vale da Telha Necropolis (Aljezur) in the context of the Southwest Iberian Bronze Age. Lisboa: Instituto de Arqueologia e Paleociências da U. N. L.

GOMES, R. V. (2010) - El mundo rural en el sur del actual territorio português (siglos XII-XIII). In Flocel SABATÉ (dir.), Arqueologia Medieval. Els espais de Secà, 4. Agira colecció. Pagès editors, p. 99-116.

GOMES, R. V. & GOMES, M. V. (2004) - O rîbat da Arrifana (Aljezur – Algarve). Separata da Revista Portuguesa de Arqueologia, 7 (1). Aljezur: Câmara Municipal de Aljezur.

GOMES, R. V. & GOMES, M. V. (2004a) - El ribāt de Arrifana (Aljezur, Algarve); identificación y primeros trabajos. In Fouilles de la Rábita de Guardamar I. El Ribāt Califal. Excavaciones e Investigaciones (1984 -1992). Madrid: Casa de Velázquez, p. 239 -245.

GOMES, R. V. & GOMES, M. V. (2005) - O ribāt da Arrifana (século XIII). Resultados de três campanhas de escavações. Al –Rihana, 1. Aljezur, p. 41-71.

GOMES, R. V. & GOMES, M. V. (2005a) - O ribāt da Arrifana (Aljezur, Algarve): Resultados da campanha de escavações arqueológicas de 2003 – Sector 1. Revista Portuguesa de Arqueologia, 8 (2). Lisboa, p. 471 -533.

GOMES, R. V. & GOMES, M. V. (2005b) - A djihād no Extremo Sudoeste Peninsular – O recém-identificado ribāt da Arrifana (século XII). Revista da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, 16. Lisboa, p. 141 -159.

GOMES, R. V. & GOMES, M. V. (2006) - O ribāt da Arrifana (Aljezur, Algarve): Resultados das escavações arqueológicas no Sector 3 (2003/2004). Revista Portuguesa de Arqueologia, 9 (2). Lisboa, p. 329 -352.

GOMES, R. V. & GOMES, M. V. (2007) - Ribāt da Arrifana. Cultura material e Espiritualidade. Aljezur: Associação de Defesa do Património Histórico e Arqueológico de Aljezur e Município de Aljezur.

GOMES, R. V. & GOMES, M. V. (2008) - O Ribāt al-Rihana de Ibn Qasi (Aljezur) – Uma sacralidade efémera, em meados do século XII. Pedra e Cal, 38, p. 6-7.

GOMES, R. V. & GOMES, M. V. (2008a) - O Ribāt da Arrifana, no contexto espiritual e político, entre o Gharb e o Maghreb. In Actas do 4º Colóquio de História Luso-Marroquina – Portugal e o Magrebe. Lisboa, p. 17-37.

GOMES, R. V. & GOMES, M. V. (2011) - Trabalhos arqueológicos na Torre de Odeceixe (Aljezur). Primeiros resultados (2007-2009). Al-Rihana, 5. Aljezur, p. 71-87.

GOMES, R. V. & GOMES, M. V. (2011a) - O Ribāt da Arrifana – Entre cristãos e muçulmanos no Gharb. In R. V. GOMES, M. V. GOMES & C. TENTE (Eds.), Cristãos e Muçulmanos na Idade Média Peninsular. Encontros e Desencontros. Lisboa: Instituto de Arqueologia e Paleociências de Universidade Nova de Lisboa, p. 137-146.

GOMES, R. V.; ASSUNÇÃO, V. T. & MIRANDA, M. J. (2001) - Povoado Muçulmano na Ponta do Castelo (Aljezur). Al-madan, 10, p. 200, 201.

GOMES, R. V.; GOMES, M. V. & BARCELÓ, C. (2011) - Estela funerária epigrafada do Ribāt da Arrifana (Aljezur).  In R. V. GOMES, M. V. GOMES & C. TENTE (Eds.), Cristãos e Muçulmanos na Idade Média Peninsular – Encontros e Desencontros. Lisboa: Instituto de Arqueologia e Paleociências da Universidade Nova de Lisboa, p. 147-156.

GONÇALVES, V. S. (2003) - Sítios, «Horizontes» e Artefactos. Estudos sobre o 3.º milénio no Centro e Sul de Portugal. 2.ª ed.. Cascais: Câmara Municipal.

GONÇALVES, V. S. (2005) - As Placas de Xisto Gravadas dos Sepulcros Colectivos de Aljezur(3º milénio a.n.e.). Aljezur: Município de Aljezur.

LEISNER, G. & LEISNER, V. (1951) - As Antas do Concelho de Reguengos de Monsaraz. Lisboa : Instituto de Alta Cultura. Reeditado pelo INIC/UNIARQ, Lisboa, 1985.

LEISNER, G. & LEISNER, V. (1959) - Die Megalithgräber der Iberischen Halbinsel. Der Westen. 2. Lieferung. Berlin: Walter de Gruyter.

LEISNER, V. (1959) - Die Megalithgräber der Iberischen Halbinsel. Der Westen. 3. Lieferung. Berlin: Walter de Gruyter.

OLIVEIRA, C. (2013) - O final da Idade do Bronze no Algarve: balanço e resultados da investigação arqueológica. Estudos Arqueológicos de Oeiras, 20. Oeiras: Câmara Municipal de Oeiras, p. 339-354.

RAPOSO, L. & PENALVA, C. (1987) – Uma colecção de artefactos mirenses do vale da Telha (aljezur). Espaço Cultural, 2, p. 23-50.

TAVARES DA SILVA, C. & GOMES, R. V. (2002)- Primeiros resultados das intervenções arqueológicas no Castelo de Aljezur. In I. C. F. FERNANDES (ed.), Mil anos de fortificações na Península Ibérica e no Magreb (500–1500), Actas do Simpósio Internacional sobre Castelos. Lisboa: Colibri; Palmela: Câmara Municipal, p. 347–356.

VEIGA, S. Ph. M. Estácio da (1886) - Antiguidades Monumentaes do Algarve: Tempos Prehistoricos, 1 e 2. Lisboa: Imprensa Nacional.

Add new comment