Inventário do Património Arqueológico de Santiago do Cacém

Compilação de Carlos Tavares da Silva1

 Joaquina Soares1

 Susana Duarte1

 Ana Paula Covas1

1Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal.

 

 

1 - HERDADE DAS ANTAS, São Francisco da Serra

Localização: 38° 7'18.03"N; 8°39'12.25"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Monumento megalítico muito destruído, com corredor.

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: Sondagens inéditas do Grupo de Trabalhos de Arqueologia do Gabinete da Área de Sines.

 

 

2 - SENHORA DO LIVRAMENTO,São Francisco da Serra

Localização: 38° 6'28.99"N; 8°40'38.39"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Habitat no cume de elevação destacada na paisagem, onde se erguem as ruínas da capela da Sra. do Livramento.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: Sondagens inéditas do MAEDS.

 

3 - PALHOTA, São Francisco da Serra

Localização: 38° 6'27.18"N; 8°43'36.42"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição:Sepultura megalítica com câmara funerária subtrapezoidal e corredor bem diferenciado. Escavações do Grupo de Trabalhos de Arqueologia do Gabinete da Área de Sines com colaboração MAEDS.

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA, 1987; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981; SOARES & TAVARES DA SILVA, 1976-77.

 

4 - HERDADE DA CASCALHEIRA, São Francisco da Serra

Localização: 38° 6'29.14"N; 8°44'42.45"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Ara funerária reutilizada em azenha da Herdade da Cascalheira identificada através do fundo de manuscritos e desenhos de Fr. Manuel do Cenáculo existente na Biblioteca de Évora.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: FALCÃO et al., 1988.

 

5 - PEDREIRA DA SALEMA, São Francisco da Serra

Localização: 38° 6'15.57"N; 8°43'48.14"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Monumento funerário destruído pela exploração da pedreira junto do Monte da Salema.

Cronologia: Calcolítico

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981; SOARES & TAVARES DA SILVA, 1976-77.

 

6 - SALEMA, São Francisco da Serra

Localização: 38° 6'8.41"N; 8°43'34.62"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Povoado situado em área plana da margem esquerda da ribeira da Cascalheira, apresentando estruturas domésticas de grande originalidade: empedrados e fornos.

Cronologia: Neolítico antigo evolucionado

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981; Idem, 1982; SOARES & TAVARES DA SILVA, 1979.

 

7 - MARCO BRANCO, São Francisco da Serra

Localização: 38° 6'2.03"N; 8°43'7.03"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Sepultura proto-megalítica, de câmara ovalada, fechada e sem corredor, coberto por tumulus. Escavação arqueológica do Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal.

Cronologia: Neolítico (Proto-megalitismo)

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA, 1987; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981; Idem, 1983.

 

8 - CERRADINHA, Santo André

Localização: 38° 5'53.61"N; 8°46'46.99"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Habitat em "ilha" de Inverno da margem oriental da lagoa de Santo André. Restos muito destruídos de estruturas de habitat. Escavações arqueológicas do Grupo de Trabalhos de Arqueologia do Gabinete da área de Sines com colaboração MAEDS.

Cronologia: Idade do Bronze final

Bibliografia / Fontes: COFFYN, 1985; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1978.

 

9 - CASA NOVA, Santo André

Localização: 38° 5'45.88"N; 8°45'36.04"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Habitat da margem esquerda da ribeira da Cascalheira.

Cronologia: Bronze Final e Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Escavações inéditas do MAEDS.

 

10 -FIGUEIRINHA, São Francisco da Serra

Localização: 38° 5'43.92"N; 8°43'35.35"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Numerosos vestígios, à superfície, de possível villa.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia: DIAS e VIEGAS, 1976-77.

 

11 - MONTE SARDINHA, São Francisco da Serra

Localização: 38° 5'42.04"N; 8°43'9.69"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Necrópole de incineração. Muito destruída

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1988; DIAS & VEIGAS, 1976-77.

 

12 - ZAMBUJEIRO 2, Santo André

Localização: 38° 5'30.11"N; 8°43'46.13"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Mancha de materiais e indícios de estruturas subterradas.

Cronologia: Idade do Ferro e Período contemporâneo

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

13 - ENXACAFRES 2, São Francisco da Serra

Localização: 38° 5'10.95"N; 8°37'18.57"W (C.M.P. 1:25000, Folha 506)

Descrição:Anta de corredor com mamoa, localizada no topo de uma pequena elevação. Os esteios sobressaem à superfície encontrando-se a sua posição perturbada por dois sobreiros. Comprimento aproximado de 3,80m; largura aproximada de 3m e diâmetro aproximado de 1,90m. O diâmetro da mamoa é aproximadamente de 13m.

Cronologia: Neo-Calcolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

14 - AREAL, Santo André

Localização: 38° 4'12.11"N; 8°46'56.76"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Habitat sobre área plana da margem esquerda da ribeira do Areal.

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA & SOARES, 1981.

 

15 - CAPELA 1, Santo André

Localização: 38° 4'13.07"N; 8°45'42.79"W(C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Área plana e arenosa da margem direita da Ribeira do Azinhal. Vestígios de superfície.

Cronologia: Bronze Final

Bibliografia / Fontes: Prospecções inéditas do MAEDS.

 

16 - OLHEIROS, Santo André

Localização: 38° 4'3.48"N; 8°45'28.90"W(C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Suave encosta, de areias, da margem da margem direita da ribeira do Azinhal. Vestígios de superfície.

Cronologia: Bronze Final

Bibliografia / Fontes: Prospecções inéditas do MAEDS.

 

17 - DEIXA-O-RESTO, Santo André

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Necrópole de incineração, destruída, com urnas cinerárias, terra sigillata sudgálica, lucerna e moeda de Augusto.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1988; ARTHUR, 1955-56.

 

18 - HERDADE DO PARRAL / PARRAL DE BAIXO, Santa Cruz

Localização: 38° 4'10.17"N; 8°43'19.47"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Vestígios superficiais.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1968; Idem, 1988; ENCARNAÇÃO, 1984; VASCONCELOS, 1914.

 

19 - GIZ, Santo André

Localização: 38° 3'51.42"N; 8°45'39.43"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Suave encosta da margem esquerda da ribeira do Azinhal. Vestígios de superfície

Cronologia: Epipaleolítico / Mesolítico e Época medieval / moderna

Bibliografia / Fontes: Prospecções inéditas do MAEDS.

 

20 - HERDADE DO SOBRAL DA VÁRZEA, Santa Cruz

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Depósito de objectos de bronze (escopros, machados e foice).

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: VASCONCELOS, 1914.

 

21 - RIBEIRA DO NABARRO, Santa Cruz

Localização: 38° 3'20.54"N; 8°43'39.99"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição:Plataforma aplanada em encosta suave virada a Sul, ocupada por montado de sobro e terreno limpo com boa visibilidade para materiais e estruturas. A área de dispersão de materiais estende-se aproximadamente num diâmetro de 50m, onde se observa cerâmica comum e de construção (tegulae e imbrices).

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

22 - TORRE NOVA, Santa Cruz

Localização: 38° 3'12.89"N; 8°42'1.74"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição: Pequeno cabeço com ocupação pré-histórica, no sopé do qual há diversos abrigos rupestres com possível ocupação.

Cronologia: Calcolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

23 - SANTA CRUZ, Santa Cruz

Localização: 38° 3'4.74"N; 8°42'23.21"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição:Estruturas (muros, sepulturas) e peças arqueológicas (cerâmica, vidro, Inscrição) dispersas por vasta área. A inscrição funerária encontrada no sítio Francisquinho alude a um mirobrigense céltico sepultado neste local. Foi achada em 1957 conjuntamente com numerosos materiais de época romana.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1968; Idem, 1988; ENCARNAÇÃO, 1984; VASCONCELOS, 1914.

 

24 - THOLOS DE CORTE DE BAIXO, São Bartolomeu da Serra

Localização: 38° 2'39.76"N; 8°38'57.46"W (C.M.P. 1:25000, Folha 505)

Descrição:Na abertura de uma vala para construção de uma casa a cerca de 300m para nascente da casa do monte. Zona de encosta em xisto. Sepultura com câmara circular com cerca de 3,50m de diâmetro e corredor. Construída com placas ortostáticas de xisto. Informação de Joaquim M. Botelho, que doou ao Museu Municipal de Santiago do Cacém o espólio recolhido durante a destruição da sepultura, da qual não restam vestígios visíveis no terreno.

Cronologia: Calcolítico

Bibliografia / Fontes: Prospecções inéditas do MAEDS.

 

25 - PEDRA DA ATALAIA, São Bartolomeu da Serra

Localização: 38° 2'10.47"N; 8°40'8.90"W (C.M.P. 1:25000, Folha 517)

Descrição: Situado numa elevação de encostas suaves e de reduzidas dimensões. Trata-se de um povoado da II Idade do Ferro, e do período romano-republicano.

Cronologia: Idade do Ferro e Romano-republicano

Bibliografia / Fontes: TAVARES DA SILVA, 1978; Idem, 1982.

 

26 - VÁRZEA DO OUTEIRINHO, São Bartolomeu da Serra

Localização: 38° 1'53.49"N; 8°38'4.97"W (C.M.P. 1:25000, Folha 517)

Descrição: Foram recolhidos fragmentos de opus signinum e uma mó. Necrópole destruída.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1988; VASCONCELOS, 1914.

 

27 - HERDADE MONTE DO LOUSAL, Ermidas-Sado

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 518)

Descrição: Duas antas

Cronologia: Neolítico/Calcolítico

Bibliografia / Fontes: Património Cultural de Santiago do Cacém. Relatório policopiado da Câmara de Santiago do Cacém, 2011.

 

28 - HERDADE DAS PEREIRAS, Abela

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 517)

Descrição: Tampa insculturada: representação de espada presa a cinturão; alabrada encabada e figura ancoriforme.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: ALMAGRO, 1966; GOMES & MONTEIRO, 1976-77; HELENO, 1933.

 

29 - POMAR DOS MOUROS, Santiago do Cacém

Localização. 38° 1'9.50"N; 8°41'27.98"W (C.M.P. 1:25000, Folha 516)

Descrição: Capitel de calcário decorado por folhas de acanto.

Cronologia: Alta Idade Média

Bibliografia / Fontes: ALMEIDA, 1962.

 

30 - CASTELO DE SANTIAGO DO CACÉM, Santiago do Cacém

Localização. 38° 0'52.37"N; 8°41'52.95"W(C.M.P. 1:25000, Folha 516)

Descrição:Silo subterrâneo, provavelmente islâmico, posto a descoberto por um abatimento de terras causado por uma inundação no cemitério instalado no castelo medieval de Santiago do Cacém. Tem 3,30m de diâmetro por 4,30m de altura. O interior está revestido por argamassa de cal.

Cronologia: Medieval Islâmico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

31 - MIRÓBRIGA, Santiago do Cacém

Localização: 38° 0'34.25"N; 8°41'1.90"W (C.M.P. 1:25000, Folha 516)

Descrição:Extenso complexo arqueológico que possui vários núcleos: área comercial, termas, hipódromo, santuário e zona habitacional. Este conjunto foi um importante centro urbano no período romano, assentando parcialmente sobre um aglomerado mais antigo (área do "Castelo Velho"). Na zona mais elevada de Miróbriga, foi erigido o fórum, no centro do qual é visível um templo eventualmente dedicado ao culto imperial, assim como um outro consagrado a Vénus. Circundando o fórum desenvolve-se uma zona constituída por diversas construções de funcionalidade ainda mal conhecida, assemelhando-se, todavia, a duas das edificações mais comuns nos fora provinciais, ou seja, à cúria e à basílica. A Sul desenvolvia-se a área comercial, por excelência, caracterizada pela presença de diversas lojas, as tabernae. Um dos sectores melhor conservados de todo o complexo de Miróbriga são as termas, compostas por dois edifícios construídos entre os séculos I e II d. C., possivelmente destinados a uso feminino e masculino. Surgem os compartimentos habituais neste tipo de edificação, ou seja, uma área de entrada, com salas de vestiário e jogos, uma área de banhos frios - frigidarium, e uma de banhos aquecidos - caldarium e tepidarium. Relativamente próximo situa-se ainda uma ponte de arco único de volta inteira. Afastado do centro urbano encontra-se também o hipódromo, de configuração integralmente reconhecida.

Cronologia: Idade do Bronze final e Romano

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1968; Idem, 1988; ALMEIDA, 1962; Idem, 1964; ALMEIDA, 1951; Idem, 1953; BIERS et al., 1982; Idem, 1988; BIERS et al., 1984; CABRAL, 1976-77; CAEIRO, 1985; DELGADO, 1971; DIAS, 1976-77; ENCARNAÇÃO, 1984; FERREIRA, 1971; NOLEN, 1976-77; Idem, 1979; NUNES, 1974; PEREIRA, 1971; PONTE, 1979; SILVA, 1945; Idem, 1946; SOARES & TAVARES DA SILVA, 1979a; VASCONCELOS, 1914.

 

32 -MONTE DO LOBO,Ermidas-Sado

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 517)

Descrição: Lage sepulcral, fragmento isolado (arenito).

Cronologia: Indeterminado

Bibliografia / Fontes: Património Cultural de Santiago do Cacém. Relatório policopiado da Câmara de Santiago do Cacém, 2011.

 

33 - FORMIGA, Santiago do Cacém

Localização: 38° 0'9.93"N; 8°41'48.73"W (C.M.P. 1:25000, Folha 516)

Descrição: Necrópole que forneceu, entre outro material, uma taça de vidro do século I d.C.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1968; Idem, 1988; FERREIRA et al., 1993.

 

34 -ALDEIA DE CHÃOS, Santiago do Cacém

Localização: 37°59'27.64"N; 8°41'28.04"W (C.M.P. 1:25000, Folha 516)

Descrição: Materiais cerâmicos e um numisma de Mérida

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: Prospecção inédita do Grupo de Trabalhos de Arqueologia do GAS.

 

35 - MONTE DA ORTIGA DO MEIO, Santiago do Cacém

Localização: 37°59'15.95"N; 8°43'43.02"W (C.M.P. 1:25000, Folha 516)

Descrição: Foram encontrados no local dois sarcófagos em arenito selados por tampas, ambos com espólio osteológico. Na sepultura 1 foi possível identificar ossos pertencentes a dois indivíduos, um de idade avançada (mais de 60 anos) e um adulto jovem. Um dos indivíduos teria uma estatura aproximada de 1,69 cm, não tendo sido possível determinar em ambos o género. O sarcófago tinha uma forma trapezoidal, com 1,98 m de comprimento e cerca de 62 cm de largura máxima. A sua orientação era aproximadamente E-W (cabeça a W). A presença de dois inumados e de aos pés da caixa sepulcral se encontrarem muitos ossos da parte superior do corpo, aponta para uma reutilização do sarcófago em época subsequente à da primeira inumação. Na sepultura 2 identificou-se um único indivíduo adulto, não tendo sido possível determinar nem o sexo, nem a idade.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: Descoberta de..., 2011.

 

36 -MONTE DO ROXO, Alvalade

Localização: 37°59'8.17"N; 8°23'10.40"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: O sítio implanta-se numa zona de vale, de solos muito férteis, sobranceira ao Sado. Trata-se de uma villa romana com cerca de 2ha, com reocupações em épocas visigótica, islâmica e moderna. As ocupações pós-romanas têm um carácter fortemente religioso. No local pode ter sido erguida uma basílica paleocristã que poderá ter-se mantido em actividade, com as necessárias adaptações, durante o período moçárabe (século X). A sacralidade deste local atravessou os períodos de domínio visigótico, islâmico, atingindo a Baixa Idade Média, as Idades Moderna e Contemporânea sob a evocação de Santa Maria do Roxo e de Santa Ana do Roxo. Observou-se a existência, entre outros elementos arquitectónicos, de dois fragmentos de cancelas visigóticas reaproveitadas. O mais completo encontra-se diante da entrada da Capela de Nossa Senhora do Roxo. O segundo está depositado na Casa do Povo de Alvalade e apresenta uma decoração constituída por octofólios insertos em quadrados. Este local é conhecido desde, pelo menos, finais do século XVIII.

Cronologia: Romano Imperial, Visigótico, Medieval islâmico e Moderno

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2008; idem 2009.

 

37 - LAGOA DA PEDRA,Ermidas-Sado

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 519)

Descrição: Sítio paleolítico localizado no âmbito do projecto de investigação "Levantamento arqueológico do Alentejo".

Cronologia: Paleolítico

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

38 - HERDADE DA CORONA, Abela

Localização: 37°58'24.99"N; 8°30'7.26"W (C.M.P. 1:25000, Folha 517)

Descrição: Ara com inscrição praticamente ilegível.

Cronologia: Romano

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1988; ENCARNAÇÃO, 1984.

 

39 - MONTE BRANCO DA AMEIRA,Alvalade

Localização. Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Possível necrópole. Em 1928, o Padre Jorge de Oliveira observou a existência de duas sepulturas. Uma apresentava caixa feita por imbrices e tegullae e a outra, por láteres e possuía um vaso de cerâmica. Os vestígios terão sido destruídos pelos trabalhos agrícolas no momento da descoberta.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009.

 

40 -AMEIRA 2 e 3, Alvalade

Localização: 37°57'11.29"N; 8°24'30.56"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Segundo informação oralforam recolhidos machados de pedra polida pela irmã do actual proprietário do Monte da Ameira, Sra. Maria da Luz que os levou consigo para Lisboa. Em 2003 foi reconhecido um pequeno sítio de ocupação romana correspondente provavelmente a um casal agrícola.

Cronologia: Neolítico e Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009.

 

41 -MIMOSA, Alvalade

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Achados dispersos.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009.

 

42-MONTE DA AMEIRA/MONTE DO BREJO E NECRÓPOLE DA VÁRZEA DO BREJO, Alvalade

Localização: 37º56’29.76’’N; 8º24’15.94’’W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Embora conhecida desde 1929 por observações do Padre Jorge de Oliveira, a villa romana viria a ser melhor conhecida a partir de observações de superfície realizadas por Jorge Feio em 2003, tendo encontrado dispersos por cerca de 1,5ha fragmentos de ânforas, nomeadamente Dressel 14, sigillatas e cerâmica comum o que permite estimar uma ocupação desde finais do reinado de Augusto ou mesmo Tibério até uma fase tardia, já baixo Imperial. A 100m da villa, e a caminho do Monte da Ameira observou também o Padre Jorge de Oliveira, na Várzea do Brejo, vestígios de sepulturas romanas.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009.

 

43 -NÚCLEO URBANO DE ALVALADE (ADRO DA IGREJA MATRIZ, CERRADO DE MARIA LANÇA,CERRADO, CASA DO PADRE JORGE DE OLIVEIRA, MOINHOS), Alvalade

Localização: 37°56'26.60"N; 8°23'40.81"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: O espólio encontrado no núcleo urbano de Alvalade revelou a existência de um possível Viccus. Os primeiros materiais encontrados ocorreram em 1913-14, quando o Padre Jorge de Oliveira descobriu no seu quintal algumas tegullae e láteres. Além do espólio encontrado, como as moedas de bronze recolhidas no Cerrado da Maria Lança e do pote cheio de moedas de prata encontrado próximo da Igreja da Misericórdia, em 2005, devido das obras da EDP, mas infelizmente de época de cunhagem desconhecida, uma vez que as obras não tiveram acompanhamento arqueológico, tendo as moedas desaparecido por completo, em 1924 junto do Cerradinho, segundo os registos do Padre Jorge de Oliveira, foi encontrado uma estrutura constituída por uma sapata extensa de alvenaria e pavimento composto por três camadas, a primeira em pedra grossa, seguindo-se uma de seixos ligados com argamassa e cal e a terceira constituída por fragmentos de cerâmica e argamassa de cal (opus signinum?), sobre este pavimento foram identificados láteres de variadas dimensões, tegullae e imbrices. Pelo tipo de construção e por se tratar de uma estrutura que apresentaria possivelmente mais de 5m de comprimento parece tratar-se de uma estrutura para a contenção de líquidos: uma natatio de umas termas ou um tanque para a produção de vinho.

Cronologia: Romano Imperial

 

44 -AMEIRA 4/MONTE DO TELHEIRO, Alvalade

Localização: 37º56’13.60’’N; 8º24’16.33”W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Vestígios de construção de uma parede, pertencendo possivelmente a um casal romano, junto da qual foram encontradas cerâmicas comuns de Época Romana, bem como tegullae, imbrices e láteres.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009.

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009; Património Cultural de Santiago do Cacém. Relatório policopiado da Câmara de Santiago do Cacém, 2011.

 

45 - MONTE DA SAPA,Alvalade

Localização. 37°56'00.43"N; 8°22'53.60"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Nota no caderno de apontamentos do padre Jorge de Oliveira que refere a descoberta de algumas moedas de época romana. Jorge Feio fez prospecção no local e detectou alguns materiais de época romana, bem como cerâmica comum e bojos de ânfora.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009.

 

46 -MONTE DA VINHA, Alvalade

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Vaso de forma ovóide, ou em fundo de saco, ostentando três asas verticais e assimétricas de suspensão e decoração feita a partir de matriz impressa.

Cronologia: Neolítico Antigo

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

47 - HERDADE DOS CONQUEIROS/FIGUEIRA À METADE, Alvalade

Localização: 37°55'38.38"N; 8°21'52.76"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição:Situada na margem direita do rio Sado, a jazida arqueológica encontra-se muito mal preservada, mau grado ao seu elevado interesse.

O aparecimento de machados de pedra polida e elementos moventes e dormentes de mós manuais que têm sido recolhidos por curiosos locais indicam a existência no local de um provável sitio de habitat neolítico, de fase indeterminada.

A villa romana encontra-se destruída até ao nível dos pavimentos, tendo ficado apenas os alicerces das estruturas. Provavelmente foi abandonada em consequência de cheias do rio, tendo em conta os calhaus rolados depositados junto da estação. Terá sido abandonada voluntariamente ou pelo menos sem destruição violenta. A cerca de 150m a NE da villa foram encontradas duas lápides funerárias atribuídas à necrópole. A jazida foi identificada pelo Padre Jorge de Oliveira em cuja colecção, na posse dos seus descendentes, existem abundantes materiais nela recolhidos. Esta jazida tem sido alvo de sucessivas prospecções e recolhas de materiais depositados na Escola Secundária de Alvalade. Em 1979 ocorreu uma intervenção arqueológica realizada por Clementino Amaro e Manuel Rosivelt Santos Barreto. Entre o espólio merecem referência: fragmentos de terra sigillata itálica nas formas Goudinou 37/38, um fundo da forma Drag. 37 com marca de oleiro PRIM. PRIMUS (reinado de Tibério), forma Hispânica 18 e cerâmica norte-africana nas formas Hayes 38/52 e Lamb. 2; fragmentos de ânforas Haltern 70, Dressel 14, Dressel 20; moeda de Constâncio, cunhada na primeira oficina de Arles, e fíbula de tipo Zerat IIA e Thill 108/11.

A necrópole situa-se a cerca de 200m da villa e nela foram recolhidas três estelas funerárias em grauvaque com inscrições, atribuídas aos finais do século I a. C./ inícios do século I d.C.; encontram-se depositadas na Casa do Povo de Alvalade.

Os materiais recolhidos na villa e as duas estelas funerárias permitem admitir uma ocupação entre finais do século I a.C. e o século V d.C.

Cronologia: Neolítico e Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1988; AMARO, 1982;ENCARNAÇÃO, 1984; FEIO, 2009; QUARESMA, 2003.

 

48 -PEGO DA MANGRA, São Domingos da Serra

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 527)

Descrição: Vaso completo de colo com decoração impressa.

Cronologia: Neolítico Antigo Evolucionado

Bibliografia/ Fontes: Arquivo do Museu Municipal Vasco da Gama.

 

49 - HERDADE DA CORREDOURA, Alvalade

Localização: 37°55'10.53"N; 8°22'13.25"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição:No sítio da Corredoura jazida destruída pelos trabalhos da REFER na linha férrea foi detectado ao longo de cerca de 300 metros do talude Este da linha de caminho de ferro camada arqueológica coeva da ocupação do Neolítico antigo do povoado da Gaspeia finais do 6º / primeira metade do 5 milénios a.C. Por fim saliente-se ainda uma mais antiga referência para o Monte da Corredoura de igualmente vestígios romanos não especificados.

Cronologia: Neolítico, Idade do Ferro e Romano

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009; escavações arqueológicas inéditas do MAEDS.

 

50 - GASPEIA, Alvalade

Localização: 37°54'56.88"N; 8°22'9.24"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Habitat sazonal do Neolítico antigo evolucionado e Mesolítico. Foram detectadas várias estruturas de combustão e exumado espólio artefactual (lítico e cerâmico); não surgiram restos faunísticos, devido à intensa lixiviação das areias do substrato.

Cronologia: Neolítico antigo e Mesolítico

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009; SOARES, 2013; TAVARES DA SILVA & SOARES, 1982; SOARES & TAVARES DA SILVA, 2000.

 

51 - MONTE DAS GÁSPEAS,Alvalade

Localização. 37°54'32.53"N; 8°21'56.70"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição:No decorrer de uma prospecção prévia à construção de uma vala, no âmbito da modernização da Linha do Sul, foi observada a existência de materiais de construção de época romana e fragmentos de bojos de ânforas. O Sr. José Romão (antigo morador do Monte Novo) indicou que há cerca de 30 anos o sítio foi alvo de escavações arqueológicas.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009.

 

52 -MONTE DA RETORTA 2,Alvalade

Localização. 37°53'49.45"N; 8°22'11.18"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Numa área de 0,2ha foram recolhidos vários materiais de construção.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009.

 

53 -MONTE DA RETORTA 1,Alvalade

Localização. 37°53'41.52"; 8°22'15.21"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Achado de instrumentos em sílex e em pedra polida depositados em coleções particulares.

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: Colecção particular

 

54 –VÁRZEA DOMONTE DA RETORTA 1,Alvalade

Localização. 37°53'38.58"N; 8°21'58.49" (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Achado de instrumentos em pedra polida depositados em coleções particulares.

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: Colecção particular

 

55 -DEFESA 5,Alvalade

Localização. 37°52'47.83"N; 8°21'29.49"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Numa pequena elevação sobranceira à margem direita do Sado foram encontrados materiais diversos (peso de lagar, escórias de ferro, fragmentos de cerâmica sobretudo de dollia) distribuídos numa área de ca. de 1.5ha pertencentes a uma villa.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009.

 

56 - DEFESA 4,Alvalade

Localização. 37°52'04.86"N, 8°22'09.15"W (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição:Sitio de ocupação romana que se localiza a 600 m da villa da Herdade da Defesa 3. Tem à volta de 1364 m2 de dispersão de materiais à superfície na sua grande maioria materiais de construção como láteres e imbrices, apesar de aparecerem também fragmentos de ceramica comum.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: FEIO, 2009.

 

57 - HERDADE DA DEFESA 1, Alvalade

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 528)

Descrição: Tampa de sepultura, gravada com representação de espada e figura ancoriforme.

Cronologia: Idade do Bronze

Bibliografia / Fontes: ALMAGRO, 1966; GOMES & MONTEIRO, 1976-77; HELENO, 1933.

 

58 - HERDADE DA DEFESA 2 e 3 , Alvalade

Localização: 37°51'44.19"N; 8°22'13.33"W (C.M.P. 1:25000, Folha 537)

Descrição: Foi encontrado sepultura romana. Durante o acompanhamento arqueológico dos trabalhos de modernização da linha do sul no troço Ermidas do Sado/Funcheira foi identificada uma área de dispersão de materiais maioritariamente de cronologia romana, materiais medievais e modernos.

Cronologia: Romano, Medieval Cristão e Moderno

Bibliografia / Fontes: ALARCÃO, 1988; FEIO, 2009.

 

59 -CERRO DO PINHEIRO, Cercal

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 536)

Descrição: Necrópole

Cronologia: Neolítico

Bibliografia / Fontes: Património Cultural de Santiago do Cacém. Relatório policopiado da Câmara de Santiago do Cacém, 2011.

 

60 -HERDADE DO RACO, Cercal

Localização: Incerta (C.M.P. 1:25000, Folha 536)

Descrição: Necrópole de inumação.

Cronologia: Romano Imperial

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

61 - ALPENDURADA 2, Cercal

Localização: 37°46'24.66"N; 8°36'43.05"W (C.M.P. 1:25000, Folha 545)

Descrição: Dispersão de escórias e pingos de fundição, associados a outros materiais arqueológicos.

Cronologia: Idade Média

Bibliografia / Fontes: Endovélico.

 

Principal Bibliografia Arqueológica do Concelho de Santiago do Cacém

ABERG, N. (1921) – La Civilisation Énéolithique dans la Péninsule Ibérique. Uppsala: Vihelm Ekmens Universitetsfond.

ALARCÃO, J. (1968) - Vidros Romanos dos Museus do Alentejo e Algarve. Conímbriga, 7, p. 7-40.

ALARCÃO, J. (1988) - O Domínio Romano em Portugal. Lisboa: Europa-América.

ALMAGRO, M. (1966) - Las Estelas decoradas del sudoeste Peninsular. Biblioteca Prehistorica Hispânica, 7. Madrid.

ALMEIDA, Fernando de (1962) - Arte Visigótica em Portugal. O Arqueólogo Português, 4, Nova Série. Lisboa, p. 236.

ALMEIDA, Fernando de (1964) - Ruínas de Miróbriga dos Célticas. Setúbal: Junta Distrital de Setúbal.

ALMEIDA, J. A. Ferreira de (1951) - Três lucernas do museu de Santiago do Cacém. O Arqueólogo Português, 1, S. 2. Lisboa: Imprensa Nacional, p. 271, 287.

ALMEIDA, J. A. Ferreira de (1953) - Introdução ao estudo das lucernas romanas em Portugal. O Arqueólogo Português, 2, S.2. Lisboa: Imprensa Nacional.

AMARO, C. (1982) - Santiago do Cacém. In Informação Arqueológica, 2, 1979. Lisboa, p. 79-82.

AMO, M. del (1993) – Formas y ritos funerarios en las necrópolis de cistas del Suroeste Peninsular. SPAL. Revista Prehistoria y Arqueologia, 2, p. 169-182.

ARTHUR, M. L. C. (1955-56) - Sobre a necrópole de Santo André (Santiago do Cacém). Humanitas, 7-8. Coimbra, p. 174-176.

BEIRÃO, C. M. de M. (1973) – Cinco aspectos da Idade do Bronze e da sua transição para a Idade do Ferro no sul do País. Actas das III Jornadas Arqueológicas da Associação dos Arqueólogos Portugueses, 1. Lisboa: Associação dos Arqueólogos Portugueses, p. 193-221.

BIERS, J. et al. (1984) - Mirobriga: a portuguese-american project in southern Portugal. Muse, 18. Columbia, p. 35-53.

BIERS, W. R. et al. (1982) - Um projecto de cooperação científica, descrição da estação. Semente, 6.

BIERS, W. R. et al. (1988) - Mirobriga. Investigations at an iron age and roman site in southern Portugal by the University of Missouri-Columbia, 1981-1986 (BAR International Series; 451) Oxford.

CABRAL, M. E. F. N. (1976-77) - Lucernas romanas de Miróbriga. Setúbal Arqueológica, 2-3. Setúbal: MAEDS, p. 445-468.

CAEIRO. J.O. (1985) - Miróbriga — 1982. Santiago do Cacém. Informação Arqueológica, 5. Lisboa, p. 128-129.

CARDOSO, J. L. (2012) – Bronze do Sudoeste, In J. de ALARCÃO & M. BARROCA (coord.) Dicionário de Arqueologia Portuguesa. Porto: Editora Figueirinhas, p. 64, 65.

COFFYN, A. (1985) - Le Bronze Final Atlantique, dans la Péninsule Ibérique. Paris: Diffusion du Boccard.

DELGADO, M. (1971) - Cerâmica campaniense em Portugal. Actas do II Congresso Nacional de Arqueologia, 2, p. 403-410.

(2011) – Descoberta de dois sarcófagos romanos. Arquifolha – Jornal trimestral com notícias do passado, 12. Santiago do Cacém: C.M. de Santiago do Cacém, p. 12.

DIAS, L. Ferrer (1976-77) - Terra sigillata de Miróbriga (conservada no Museu Municipal de Santiago do Cacém). Setúbal Arqueológica, 2-3, p. 361-410.

ENCARNAÇÃO, J. (1984) - Inscrições romanas do conventus pacensis. Subsídios para o estudo da romanização. Coimbra.

FALCÃO, J. A. et al. (1988) - Epigrafia romana do concelho de Santiago do Cacém. I. A ara funerária da Herdade da Cascalheira (Santo André). Anais da Real Sociedade Arqueológica Lusitana, 2a, S. 2, Santiago do Cacém, p. 37-48.

FEIO, J. (2008) – Vestígios da cristianização do Conventus Pacensis: as basílicas de São Bartolomeu (Alvito) e Monte do Roxo (Alvalade). In Actas do 3º Encontro de Arqueologia do sudoeste Peninsular, 2, S. 2.Aljustrel: Câmara Municipal de Aljustrel, p. 477-489.

FEIO, J. (2009) - A ocupação romana em torno de Alvalade: novos dados. In Actas do 1º Encontro de História do Alentejo Litoral.

FERREIRA, C. J. A. et al. (1993) - Património Arqueológico do Distrito de Setúbal. Subsídios para uma carta arqueológica. Setúbal: Associação de Municípios do Distrito de Setúbal, p. 373.

FERREIRA, O. V. (1971) - Cerâmica negra de tipo grego encontrada em Portugal. Arqueologia e História, 3, S. 5. Lisboa, p. 313-326.

GOMES, M. V. & MONTEIRO, J. P. (1976-77) - As estelas decoradas da herdade do Pomar (Ervidel Beja – Estudo comparado. Setúbal Arqueológica, 2-3, p. 281-343.

HELENO, M. (1933) - Grutas artificiais do Tojal de Vila Chã (Carenque). Lisboa: Tipografia da Empresa do Anuário Comercial de Lisboa.

NOLEN, J. U. S. (1976-77) - Alguns fragmentos de paredes finas de Miróbriga. Setúbal Arqueológica, 2-3, p. 423-454.

NOLEN, J. S. (1979) - «Ampurian gray ware» from Miróbriga. Conimbriga, 18. Coimbra, p. 105-112.

NUNES, M. L. A. (1974) - Moedas romanas de Miróbriga. In Actas das II Jornadas Arqueológicas (1972). Lisboa: Associação dos Arqueólogos Portugueses, p. 185-194.

PEREIRA, M. (1971) - Subsídios para o estudo da terra sigillata de Miróbriga. In Actas do II Congresso Nacional de Arqueologia (1970), 2. Coimbra: Junta Nacional de Educação, p. 433-44.

(2011) - Património Cultural de Santiago do Cacém. Relatório policopiado da Câmara de Santiago do Cacém.

PONTE, S. da (1979) - As fíbulas de Miróbriga. Setúbal Arqueológica, 5. Setúbal: MAEDS, p. 195-204.

QUARESMA, J. C. C. (2003) - Terra Sigillata Sudgálica num Centro de Consumo: Chãos Salgados, Santiago do Cacém (Miróbriga?). Lisboa: Instituto Português de Arqueologia – IPPC.

SILVA, J. G. C. (1945) - Apontamentos e considerações sobre as pesquisas arqueológicas realizadas desde 1922 nos concelhos de S. Tiago-de-Cacém, Sines e Odemira. Arquivo de Beja, 2 (1-2). Beja, p. 129-134.

SILVA, J. G. C. (1946) - Apontamentos e considerações sobre as pesquisas arqueológicas realizadas desde 1922 nos concelhos de S. Tiago de Cacém, Sines e Odemira. Arquivo de Beja, 3. Beja, p. 336-351.

SOARES, A. M. M.; SANTOS, F. J. C.; DEWULF, J.; DEUS, M. de & ANTUNES, A. S. (2009) – Práticas rituais no Bronze do Sudoeste. Alguns Dados. Estudos Arqueológicos de Oeiras, 17, p. 433-456.

SOARES, J. (2013) - Caçadores-recolectores semi-sedentários do Mesolítico do paleoestuário do Sado (Portugal). Actas do Congresso Pré-história das Zonas Húmidas. Paisagens de Sal (Setúbal Arqueológica, 14). Setúbal: MAEDS, p. 13-56.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (1976-77) - O monumento megalítico da Palhota (Santiago do Cacém). Setúbal Arqueológica, 2-3, p. 109-150.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (1979) - Alguns aspectos do Neolítico Antigo do Alentejo Litoral. Actas da Iª Mesa Redonda sobre o Neolitico e o Calcolítico em Portugal (Trabalhos do Grupo de Estudos Arqueológicos do Porto, 3). Porto, p. 9-50.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA C. (1979a) - Cerâmica pré-romana de Miróbriga. Setúbal Arqueológica, 5. Setúbal: MAEDS, p. 159-184.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (1995) - O Alentejo Litoral no contexto da Idade do Bronze do Sudoeste Peninsular. A Idade do Bronze em Portugal. Discursos de Poder. Lisboa: Museu Nacional de Arqueologia, p. 136-139.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (2000) - Capturar a mudança na Pré-história recente do Sul de Portugal. Actas do 3º. Congresso de Arqueologia Peninsular, 4, p. 213-224.

TAVARES DA SILVA, C. (1978) - Ocupação da II Idade do Ferro da Pedra da Atalaia (Santiago do Cacém). Setúbal Arqueológica, 4. Setúbal: MAEDS, p. 117-132.

TAVARES DA SILVA, C. (1982) - Santiago do Cacém. Pedra da Atalaia - Idade do Ferro (séculos III-I a.C.) e Época Romana (século I d. C.). In Informação Arqueológica, 2. Lisboa, p. 26.

TAVARES DA SILVA, C. (1987) - Megalitismo do Alentejo Ocidental e do Sul do Baixo Alentejo (Portugal). El Megalitismo en la Peninsula Ibérica. Madrid: Ministério de Cultura, p. 85-93.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1978) - Uma jazida do Bronze Final na Cerradinha (Lagoa de Santo André, Santiago do Cacém). Setúbal Arqueológica, 4, p. 71-115.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1981) - Pré-história da Área de Sines. Lisboa: Gabinete da Área de Sines.

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1982) - Des structures d'habitat du Néolithique ancien au Portugal. Actes du Colloque International de Prehistoire, Montpellier (1981).

TAVARES DA SILVA, C. & SOARES, J. (1983) - Contribuição para o estudo do megalitismo do Alentejo Litoral. A sepultura do Marco Branco (Santiago do Cacém). O Arqueólogo Português, I, S. 4, p. 63-87.

SOARES, J. & TAVARES DA SILVA, C. (2000) - Protomegalitismo no Sul de Portugal: inauguração das paisagens megalíticas. In Muitas antas, pouca gente?Actas do I Colóquio Internacional sobre Megalitismo. (Trabalhos de Arqueologia, 16). Lisboa: Instituto Português de Arqueologia, p. 117-134.

VASCONCELOS, J. L. de (1914) - Excursão archeologica à Extremadura Transtagana - Alcácer do Sal. O Arqueólogo Português, 19 (7-12), S.1. Lisboa, p. 300-308.

VIEGAS, J. R. & DIAS, L. F. (1976-77) -Necrópole lusitano-romana com incinerações de Monte Sardinha (S. Francisco da Serra). Setúbal Arqueológica, 2-3. Setúbal: MAEDS, p. 353-360.

Add new comment